Pular para o conteúdo principal

Vacinas contra a pandemia provam que a ciência sempre vence a religião

Imunizantes foram desenvolvidos em tempo recorde

JAMES A. HAUGHT
FFRF

Algo para lembrarmos durante a pandemia: a ciência venceu todos os confrontos da história em sua guerra contra a religião.

Esta guerra começou na Grécia Antiga e ainda se agita mais de dois milênios depois.

A Grécia clássica fervilhava de fé mágica. Multidões de animais foram sacrificados a um conjunto bizarro de deuses invisíveis que supostamente viviam no topo do Monte Olimpo. Multidões deram dinheiro a oráculos que supostamente transmitiam mensagens dos deuses. 

Até mesmo “guerras sagradas” foram travadas pela riqueza acumulada pelos santuários oraculares.

Em meio a toda essa confusão, alguns pensadores sábios começaram a buscar explicações naturais, não sobrenaturais. Foi o nascimento da ciência — mas foi arriscado.

Anaxágoras (500-428 aC) ensinou que o Sol e a Lua são objetos naturais, não divindades. Ele foi condenado à morte por impiedade, mas escapou para o exílio. 

Protágoras (490-420 aC) disse que não sabia se os deuses existem — então ele foi banido de Atenas. Seus escritos foram queimados e ele se afogou enquanto fugia no mar. 

O mártir mais famoso foi Sócrates (470-399 AEC), que foi forçado a beber veneno por ofensas, incluindo “não adorar os deuses adorados pelo estado”.

Ao longo dos séculos, os crentes frequentemente mataram pensadores científicos — mas a ciência sempre se mostrou correta.

Hipácia (c. 360-415 EC), uma mulher brilhante que chefiava a famosa biblioteca de conhecimento de Alexandria, foi espancada até a morte por seguidores cristãos de São Cirilo.

O médico Michael Servetus (c. 1510-1553) — o primeiro a aprender que o sangue flui do coração para os pulmões e vice-versa — foi queimado na Genebra puritana de João Calvino por duvidar da Trindade.

Giordano Bruno (1548-1600) foi queimado pela Santa Inquisição por ensinar que a Terra gira em torno do Sol e que o universo é infinito. 

O pioneiro da ciência Galileu (1564-1642) escapou por pouco do mesmo destino pelo mesmo motivo, mas foi sentenciado à prisão domiciliar perpétua.

Na época em que Charles Darwin (1809-1882) percebeu a evolução, a religião ocidental em sua maioria havia perdido o poder de matar os não conformistas. 

O grande avanço de Darwin desencadeou uma batalha religião-contra-ciência que continua hoje. Isso causou o notório “Julgamento do Macaco de Escopos” no Tennessee em 1925, e ainda se manifesta quando fundamentalistas tentam banir a evolução dos cursos de ciências nas escolas públicas. 

Ciência está
ganhando da fé

Eles afirmam que um pai-criador sobrenatural fez todas as espécies na forma moderna cerca de 6.000 anos atrás, enquanto a ciência prova que a vida é muito mais antiga e que novas espécies evoluíram a partir das anteriores. A evolução se tornou o alicerce da biologia moderna.

Hoje em dia, quase todo mundo percebe que a ciência é uma dádiva colossal para a humanidade, curando doenças, eliminando o trabalho enfadonho, avançando o conhecimento, abrindo comunicações em todo o mundo e geralmente tornando a vida melhor. 

A ciência mais uma vez veio em socorro com várias vacinas Covid-19 desenvolvidas em um tempo incrivelmente curto. Em contraste, a religião dá pouco ao mundo — e não tem soluções a oferecer para o coronavírus.

A ciência venceu todos os confrontos históricos, minando constantemente os dogmas sobrenaturais da religião.

O biólogo mundialmente conhecido Richard Dawkins diz que a fé "subverte a ciência e mina o intelecto". Felizmente, ainda está perdendo a guerra com a ciência.

James A. Haught é jornalista e membro da FFRF (Freedom From Religion Foundation), organação sem fins lucrativos que se dedica à defesa da separação entre o Estado e a Igreja.

Religiões compõem um imenso zoológico bizarro de adoração ao sobrenatural





Comentários

Whencks Churry disse…
Hipátia, Giordino Bruno e Galileu não sofreram perseguição por causa da religião. Hipátia foi morta por motivos políticos não ligados a ciência, Galileu era mantido pela Igreja católica, ele e Bruno tiveram problemas teológicos e não científicos com a Igreja. Antes de Galileu, Copérnico tinha prosposto o mesmo modelo e não foi perseguido. Embora seja errada a perseguição teológica e política, elas não tem nada a ver com ciência vs religião.
Motivos políticos contaminados pela RELIGIÃO e vice-versa. Religião quando sai do foro íntimo meramente pessoal, e entre adultos, somente traz problemas enormes. E pior quando é INSTITUCIONALIZADA.
Religiao tem a ver sim, mas não sozinha. Com seus "ótimos" valores morais, éticos, "científicos" etc moldam caráter dos que acreditam com fé. E é muito útil aos sedentos pelo poder.
Lógico que os tais "valores religiosos" são definidos humanamente, uma vez que divindades e afins sobrenaturais nem existem, apenas são meros ideais. Esquizofrênicos etc em suas "visões e conversas com Deus, espíritos e quetais" colaboraram. SE a pessoa tem fé em determinados valores, vai colocar no ideal religioso, seja deliberadamente, como por algum problema mental (visões etc). Muitos são por apenas cinismo, para manipular o povão.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Nova espécie de ave descoberta na Caatinga tem origem em variações do São Francisco

BC muda cédulas do real, mas mantém 'Deus seja Louvado'

Louvação fere o Estado laico determinado pela Constituição  O Banco Central alterou as cédulas de R$ 10 e R$ 20, “limpou” o visual e acrescentou elementos de segurança, mas manteve a expressão inconstitucional “Deus seja Louvado”.  As novas cédulas, que fazem parte da segunda família do real, começaram a entrar em circulação no dia 23. Desde 2011, o Ministério Público Federal em São Paulo está pedindo ao Banco Central a retirada da frase das cédulas, porque ela é inconstitucional. A laicidade determinada pela Constituição de 1988 impede que o Estado abone qualquer tipo de mensagem religiosa. No governo, quanto à responsabilidade pela manutenção da frase, há um empurra-empurra. O Banco Central afirma que a questão é da alçada do CMN (Conselho Monetário Nacional), e este, composto por um colegiado, não se manifesta. Em junho deste ano, o ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que a referência a Deus no dinheiro é inconcebível em um Estado moderno, cuja

Responda cristão: Deus criou as estrelas antes ou depois da Terra?

Livro conta em 300 páginas histórias de papas das quais poucos sabem

A física moderna sugere que o tempo não avança, é apenas uma ilusão

Evangélicos quebram imagens de umbanda no Rio

por Denise Menchen , da Folha Quatro integrantes da igreja evangélica Nova Geração de Jesus Cristo foram presos, acusados de invadir ontem à noite um centro de umbanda no Catete, zona sul do Rio de Janeiro, e quebrar cerca de 30 imagens religiosas, prateleiras e um ventilador (foto). O caso foi registrado na 9ª DP (Catete). Segundo uma das dirigentes do Centro Espírita Cruz de Oxalá, a advogada Cristina Maria Costa Moreira, 45, cerca de 50 pessoas aguardavam em fila a abertura do atendimento ao público, às 19h, quando Alessandro Brás Cabral dos Santos, Afonso Henrique Alves Lobato, Raimundo Nonato e uma jovem identificada apenas como Dominique chegaram ao local. De acordo com Moreira, eles ofenderam os presentes e forçaram a entrada na casa. "Eles chegaram dizendo que queriam ver onde estava o demônio e foram direto para o terreiro", conta Celso Quadros, 52, outro dirigente do centro espírita. "Quebraram tudo, inclusive imagens que temos há 40 anos". A a

Ateus americanos recorrem à Justiça na 'guerra ao Natal'

Bento 16 associa união homossexual ao ateísmo

Papa passou a falar em "antropologia de fundo ateu" O papa Bento 16 (na caricatura) voltou, neste sábado (19), a criticar a união entre pessoas do mesmo sexo, e, desta vez, associou-a ao ateísmo. Ele disse que a teoria do gênero é “uma antropologia de fundo ateu”. Por essa teoria, a identidade sexual é uma construção da educação e meio ambiente, não sendo, portanto, determinada por diferenças genéticas. A referência do papa ao ateísmo soa forçada, porque muitos descrentes costumam afirmar que eles apenas não acreditam em divindades, não se podendo a priori se inferir nada mais deles além disso. Durante um encontro com católicos de diversos países, Bento 16 disse que os “cristãos devem dizer ‘não’ à teoria do gênero, e ‘sim’ à aliança entre homens e mulheres no casamento”. Afirmou que a Igreja defende a “dignidade e beleza do casamento” e não aceita “certas filosofias, como a do gênero, uma vez que a reciprocidade entre homens e mulheres é uma expressão da bel

Xuxa pede mobilização contra o 'monstro' Marco Feliciano

Pela primeira vez a apresentadora se envolve em uma polêmica A apresentadora da Rede Globo Xuxa (foto) afirmou em sua página no Facebook que o pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP), o novo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, não é “um religioso, é um monstro”. Sem citar o nome de Feliciano, ela ficou indignada ao ler que “esse deputado disse que negros, aidéticos e homossexuais não têm alma”. “Vamos fazer alguma coisa! Em nome de Deus, ele não pode ter poder.” É a primeira vez que Xuxa pede mobilização de seus fãs em uma questão polêmica. Amiga do padre Marcelo Rossi, ela é católica praticante. No Facebook, em seu desabafo, escreveu sete vezes a palavra "Deus" e argumentou que todos sabem que ela respeita todas as religiões. A apresentadora também se mostrou abalada ao saber que Feliciano, durante uma pregação, pediu a senha do cartão bancário de um fiel. “O que é isso, meu povo?” “Essa pessoa não pode ser presidente da C