Testemunhas de Jeová destroem livros para renegar história da brutalidade de sua doutrinação

O Corpo Governante das Testemunhas de Jeová determinou a destruição de livros, revistas e documentos antigos, para esconder a história de sua própria doutrinação, que é repleta de apelos hiper-realistas, assustadores, em texto, imagens e áudio.

A supressão dos documentos dificultará no futuro as pesquisas de historiadores independentes sobre a religião. Há um movimento na internet de ex-seguidores da religião para a preservação de cópias desses documentos.

A "lista de descarte", como chama o Corpo Governante, tem duas páginas, sem explicar o motivo da decisão.

Como se trata de registros que se tornaram inadequados para os atuais dias, de combate à intolerância e à pregações radicais, a cúpula da religião está fazendo um revisionismo histórico para se modernizar, continuando a mesma, na avaliação de ex-TJs.

A lista dos documentos a serem "descartados" incluem anuários, livros editados antes de 1987 (exceto o “A Bíblia é inspirada por Deus”), brochuras publicadas antes de 1980, livretos publicados antes de 1990, cassetes de áudio e de vídeo, o livro “Testemunhas de Jeová - quem são elas? O que acreditam?”, entre outros.

O extermínio de livros não poupa os destinado às crianças, e é fácil de entender. O “Meu livro sobre histórias da Bíblia”, que iniciou a doutrinação de várias gerações, por e exemplo, é ilustrado por cenas brutais de inspiração bíblica.

Há ali a representação do assassinato de Abel por Caim (com sangue escorrendo), crianças morrendo no dilúvio, Abraão com a faca na mão para matar seu filho Isaac, apedrejamento de Estêvão e por aí vai. 

Google e Facebook chegam a censurar algumas dessas imagens por causa de sua brutalidade.

As TJs estão sendo colocadas cada vez mais no rol das crenças intolerantes, por causa da discriminação aos seus ex-fiéis.

Nos últimos dois anos, a Igreja fechou centenas de salões (que equivalem a templos), como resultado da união de congregações em decorrência de redução do número de seguidores.

Ilustrações de histórias infantis








Comentários

  1. Qque gente doente ... putz ... olha a foto da mulher chorando e do cara ensanguentado no chão ... carai... Level Fred Krugger ...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo12/25/2020

    O fanatismo dos que se opõem às Testemunhas de Jeová já ultrapassa a marca do ridículo. A suposta lista de supressão de documentos e publicações não é mais do que uma orientação para que não se distribuam ao público publicações impressas velhas e em mau estado ou de cuja temática existem novas versões. Ou seja, eliminar dos Salões do Reino o material de distribuição antigo para que se distribua apenas o que é mais recente.

    Se fosse para fazer "revisionismo", então porque é que essas publicações estão agora disponíveis nos canais oficiais da religião? Essas publicações a descartar podem agora ser consultadas por um número maior de pessoas do que nunca antes! Mesmo as próprias Testemunhas de Jeová que antes estavam limitadas à sua própria biblioteca pessoal podem consultar publicações com mais de 50 anos! Por exemplo, as edições da revista A Sentinela desde 1950 estão disponíveis no site JW.org gratuitamente e para todo o mundo.

    Tenham vergonha nas notícias falas que publicam! E agora veremos se não é este comentário que será eliminado... rsrsrsrs!

    ResponderExcluir
  3. Notícia falsa? Ora, não é normal uma instituição dar sumiço em documentos que fazem parte de sua história. A não ser que tenha coisa a esconder. No vídeo deste link [https://www.paulopes.com.br/2018/07/vaza-video-em-que-tjs-pedem-destruicao-de-documentos-comprometedores.html], por exemplo, um alto funcionário da religião pede a destruição de documentos que possam comprometer os anciões (ou anciãos, tanto faz) com envolvimento de pedofilia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo5/27/2022

      mas vc num acabou de ler que os documentos estão no site para que todos acessem???? inclusive o livro de histórias bíblicas...NÃO existe sumiço de documentos...vá la no site ver..ue...obs. eu não sou TJ mas gosto da verdade

      Excluir
  4. Anônimo12/26/2020

    O Brasil deveria fazer o mesmo que a Rússia e banir essas seita, ficaríamos livres de muitos casos de pedofilia.

    ResponderExcluir
  5. Paulopes... Fake News como sempre, distorcendo, inventando, aumentando e mentindo

    ResponderExcluir
  6. Religião é um mau eterno ,Religião,não!!

    ResponderExcluir
  7. Queria que o coleguinha ai de cima que esta todo doído por falarem mal da sua seita de malucos , o porque que a maioria das pessoas que se livra desse poço de preconceito afirma categoricamente que sim existe casos de pedofilia e que são encobertos ... por vezes para proteger esses "anciões" (sic) .. Quer dizer então que essa turma é a mesma que vê disco voador em cima de suas cabeças também ? Que tudo é estorinha ? Fake News por Fake News com certeza os TJs estão muiiiiiiiiiiiiiito a frente do Paulopes ... E olha ... Mostrar pra uma criança um pai pronto pra esfaquear o peito do filho ... Senão vai haver revisionismo então espero que mantenham essas imagens .. pra sempre podermos ver o como danosa é essa seita de lunáticos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, eu sou um uma vitima de pedofilia e tentei contar o que aconteceu comigo por anos para a organizacao, ate que um dia eu fiquei sabendo que este mesmo anciao, molestou a propria filha e ela contou a mae depois de muitos anos.

      Excluir
  8. Há um motivo para o Metallica de antigamente ter escrito músicas sobre histórias do antigo testamento: o negócio era brutal.

    ResponderExcluir
  9. Idiotas úteis de esquerda, matam, esfolam, escravizam, roubam, destroem e vocês, nada fazem ! Os governos matam em nome da corrupção e vocês, nada fazem, para de perder tempo tentando provar o improvável e procura lutar de fato a favor do povo e não de seus interesses escravocratas.

    ResponderExcluir
  10. Acredito que os maiores casos de pedofilia, acontece desde a milênios atrás com os adoradores de "Cosme e Damião" mais conhecidos como MOLOCH, adorados em todas as classes sociais, principalmente nos meios políticos e educacionais das áreas de humanas.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo1/03/2021

    O objetivo de eliminarem livros antigos são:

    - Livros físicos antigos com ensino desatualizado não tem utilidade;
    - Livros físicos antigos expõem a religião;
    - Apagar histórico/não deixar vestígios de ensinos duvidosos;
    - Manter os membros com a leitura atual;

    Apesar dos livros físicos ainda ficarem disponíveis na versão digital no site JW.ORG, isso não é sinônimo de que o texto original ainda esteja 100% disponível. A própria Torre de Vigia diz no site:

    "Alterações feitas no conteúdo de publicações em formato digital talvez não apareçam ainda nas edições impressas."

    Ou seja, esses livros antigos em versão digital podem sofrer alterações/revisões onde modificam/atualizam os ensinos dos livros antigos para corresponder aos ensinos atuais. Também é possível que removam sentenças/ideias/ensinos polêmicos. Não estou fazendo afirmações, mas como a Torre de Vigia tem um histórico grande de revisão a probabilidade é grande.

    Uma testemunha não gasta seu tempo com livros antigos, nem comparando se a versão digital ainda corresponde fielmente a versão original. Quanto mais uma pessoa que não pertence a religião.

    Ter total controle sobre o que foi/é escrito em versão digital dá a qualquer organização o poder de dizer "nunca escrevemos isso." ou "Não foi bem assim que escrevemos". Eliminar a versão física é uma forma de apagar vestígios do passado na tentativa de que niguém aponte o dedo. Por exemplo:

    João: "No livro X de 1964 diz isso e isso, mas como o livro físico já não existe mais, não consigo provar. Só vi por uma foto de uma pessoa que tem o livro que sua avó guardou e postaram na internet."
    Marta: "Será que essa foto é verídica? Vamos no site, a versão digital."
    João: "Mas quem garante que a versão digital ainda mantém o texto original já que as publicações sempre passam por revisão?"

    O formato digital também é uma arma poderosa, por exemplo:

    João: "No ano de 2010 a publicação digital dizia isso e isso."
    Marta: "Vamos verificar."
    Ao buscar o texto, verificam que não consta a informação mais lá, pois foi revisada.
    Marta: "Bom, você tem certeza que viu isso numa fonte confiável? Não foi alguém que alterou o que está escrito em um editor de texto para parecer que estavamos dizendo isso ai? Já vi um ancião falar que alteram até a capa da A Sentinela no Photoshop. A gente tem que ter cuidado."

    Essa é a minha visão sobre qualquer Organização que quer apagar provas/históricos/fontes físicas da sua religião/empresa. No caso das testemunhas, é uma forma de manter os membros sempre presos ao atual e não verem o passado estranho. Mas não é preciso muito esforço visto que a obediência inquestionável exigida pelo CG faz com que os membros acreditem em qualquer informação que eles passem, mesmo tendo provas físicas mostrando o passado.

    ResponderExcluir
  12. Paulo Lopes.. procede de qual fonte os artigos de orientação do Corpo Governante?? Estou com uma Testemunha de Jeová me questionando...

    ResponderExcluir
  13. https://johanneksenpoika.fi/uutiset/juttu_w817.html

    ResponderExcluir
  14. Reprodução da lista do descarte: https://johanneksenpoika.fi/uutiset_b1/tuhottava_kirjallisuus/tuhottava_kirjallisuus_1.png

    ResponderExcluir
  15. Paulo Lopes! Agradeço a informação da fonte.. acredito que para teu conhecimento não tem tal documento em português.. acho que a organização não daria essa brecha pra com seus membros..
    Ainda a pessoa que citei p vc não acredita que é do Corpo Governante essas determinação..

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Historiadora diz que Moisés não existiu. E sofre ameaças de morte