MP da Itália investiga perseguição de Testemunhas de Jeová à ex-fiel

Mulher recorreu ao
Ministério Público com a
denúncia de que sofre perseguição
 de sacerdotes da religião

O Ministério Público da Itália está investigando a denúncia de uma ex-seguidora das Testemunhas de Jeová de que ela passou a ser perseguida por integrantes da igreja após deixar de comparecer em 2018 à congregação. 

A mulher, que ingressou nas TJs em 1994, tem 50 anos e mora em Rimini, cidade da província do mesmo nome, no norte da Itália.

Ela disse ao Ministério Público que passou a ser incomodada por “anciões” (sacerdotes) por telefone e carta e com visitas em sua casa para que voltasse a frequentar a congregação.

Contou que teve de se mudar e que, mesmo assim, o assédio permaneceu.

Pela denúncia, depois que os anciões perceberam que não ia conseguir convencer a ex-fiel voltar para a igreja, eles a expulsaram, impedindo que fiéis tenham contato com ela.

A igreja negou que esteja perseguindo a ex-fiel e disse que sempre estará disposta a tê-la de volta.

Perseguição e discriminação descritas pela italiana têm sido ocorrido em vários países, inclusive no Brasil.

Com informação do site TR24 e de outras fontes.





Fundador das Testemunhas de Jeová quase foi preso por não pagar pensão a mulher

Testemunha de Jeová recusa sangue, morre e deixa 9 filhos

Muçulmanos acusam Nike da ofensa de tênis que pisa em Alá

Na Rússia, Testemunhas de Jeová tomam do seu próprio veneno

Testemunhas de Jeová não podem coletar dados sem autorização, diz tribunal europeu



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários