Pular para o conteúdo principal

Astrologia: achar que posições planetárias influenciam as pessoas é pseudociência

> JAMES A. HAUGHT
Freedom From Religion Foundation

A astrologia não tem base em fatos.

O sistema solar é relativamente plano, ocupando um plano imaginário no céu denominado eclíptica. Os planetas oscilam 8 graus em cada lado da linha central, em um cinturão chamado zodíaco. Conforme a Terra viaja em torno de sua órbita ao longo do ano, 12 constelações diferentes de estrelas entram na área do zodíaco.

Séculos atrás, os místicos antigos pensavam que a posição dessas constelações, mais o paradeiro dos planetas que passavam, eram sinais e presságios mágicos.

Eles mapearam as datas em que as constelações estavam escondidas atrás do Sol e listaram as condições sobrenaturais supostamente causadas por cada passagem. Acreditava-se que as posições celestiais na hora do nascimento de uma pessoa exerciam uma influência milagrosa sobre o indivíduo.

Hoje, todo cientista diz que a astrologia é um absurdo. Se as posições planetárias influenciassem vidas, cada criança nascida em Nova York em um determinado dia teria uma personalidade e futuro semelhantes.

Pior ainda, os gráficos concebidos nos tempos antigos — e usados ​​ainda hoje — são inválidos.

A mudança na órbita da Terra fez com que as constelações entrassem no zodíaco em datas diferentes. Por exemplo, em 23 de março, quando os gráficos dizem que Áries é a constelação todo-poderosa, o sol na verdade está em Peixes.

A sóbria Enciclopédia Britânica afirma que a astrologia é "desprovida de valor intelectual".

Acrescenta que as descobertas da astronomia científica “erradicaram a crença na astrologia entre os instruídos” e fizeram com que a astrologia se tornasse uma “pseudociência continuada entre os não intelectuais. . . tornando-se cada vez mais fraudulento”. 

Em 1987, astrólogos e outros místicos anunciaram “a Convergência Harmônica”, um alinhamento de planetas coincidindo com o antigo calendário maia, que supostamente transformaria o mundo com “feixes galácticos” de energia psíquica. Nada aconteceu. Uma mulher cética que conheci chamou o evento de "Convergência Imbecil".

A astrologia é pouco diferente da leitura da palma da mão, da contemplação da bola de cristal e da leitura da sorte nas cartas de Tarô. No entanto, continua popular.

Os horóscopos são inofensivos quando considerados apenas como diversão. Mas quando são levados a sério é perturbador.

> James A. Haught é jornalista e membro da FFRF (Freedom From Religion Foundation), organização sem fins lucrativos que se dedica à defesa da separação entre o Estado e a Igreja.



Comentários

Posts mais acessados na semana

Constelação familiar é tóxica e pode causar danos irreparáveis, alerta psicólogo

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Escritor cristão admite que evangélicos têm 'estranha atração por figuras autoritárias'