Estudo conclui que a Lua foi habitável há 4 bilhões de anos


Em duas épocas,
 houve vapor de
 água no satélite
 natural da Terra  
[notícia]

por Agência Brasil

Um grupo de pesquisadores determinou que as condições na superfície da Lua foram suficientes para suportar formas de vida simples há 4 bilhões de anos, segundo um estudo publicado na segunda-feira, 23 de julho de 2018, pela revista especializada Astrobiology.

Os cientistas concluíram que houve outro período de habitabilidade há 3,5 bilhões de anos durante um pico na atividade vulcânica da Lua.

Durante as duas épocas, o autor principal, Dirk Schulze-Makuch, astrobiólogo da Universidade Estadual de Washington, comprovou que a Lua liberou grandes quantidades de gases voláteis superaquecidos, incluindo vapor de água, desde o seu interior.


Esta desgaseificação poderia ter formado poças de água líquida na superfície lunar e uma atmosfera densa o suficiente para mantê-la lá durante milhões de anos.

"Se água líquida e uma atmosfera significativa estiveram presentes na Lua durante longos períodos de tempo, acreditamos que a superfície lunar teria sido pelo menos transitoriamente habitável", explicou o cientista.

O trabalho de Schulze-Makuch e Ian Crawford, da Universidade de Londres, se baseia nos resultados de missões espaciais recentes e na análise de mostras de rocha lunar e solo que comprovam que a Lua não é "tão seca" como se pensava anteriormente.

Em 2009 e 2010, uma equipe internacional de cientistas descobriu centenas de milhões de toneladas de gelo na Lua. 

E existe evidência de uma grande quantidade de água no manto lunar que  teria se depositado em uma etapa muito prematura.

Também é provável que a Lua tenha sido protegida nesse período por um campo magnético capaz de defender formas de vida na superfície dos "ventos solares mortais", de acordo com os autores.

Schulze-Makuch explicou que a vida na Lua pode ter se originada em grande parte como ocorreu na Terra, mas o cenário mais provável é que tenha sido provocada por um meteorito.

A evidência mais antiga de vida na Terra provém de cianobactérias fossilizadas que têm entre 3,5 e 3,8 bilhões de anos. Durante esse tempo, o sistema solar foi dominado por impactos de meteoritos frequentes e gigantes.

"É possível que meteoritos que continham organismos simples como as cianobactérias tenham sido expulsos da superfície da Terra e chegado à Lua", descreveram os cientistas.

Com foto de Marcello Casal Jr. / Agência Brasil


Estudo afirma que bolsões vulcânicos da Lua tem água

Astrônomos descobrem que Júpiter tem mais 12 luas

Brasileiros participam da observação de fusão de estrelas




Estudo mostra novas evidências da colisão de Theia com a Terra

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site