Pular para o conteúdo principal

Malafaia estimula golpe que instituiria uma ditadura bolsonarista-evangélica

> PAULO LOPES
jornalista

O pastor Silas Malafaia postou nas redes sociais um vídeo onde ataca o STF (Supremo Tribunal Federal) e pede ao presidente Jair Bolsonaro que recorra às Forças Armadas para dar um golpe de Estado, o que significaria a imposição de uma ditadura.

Malafaia e Bolsonaro têm contatos frequentes. Entre os religiosos, o pastor exerce a maior influência sobre o presidente.

Os comandantes militares rejeitam qualquer possibilidade de intervenção, mas, se isso viesse a ocorrer, se instituiria uma ditadura bolsonarista-evangélica no Brasil. O presidente, aliás, já manifestou em várias ocasiões o seu desprezo pelo Estado laico. 

Casado três vezes, ele posa de cristão fundamentalista, para obter apoio dos líderes religiosos, os oportunistas de sempre.

Malafaia defende abertamente uma intervenção militar no STF, mas a maioria dos líderes religiosos evangélicos se mantem em silêncio, fingindo surdez para as ameaças de Bolsonaro. Edir Macedo é um caso à parte. Ele está subindo no muro, para estar do lado do próximo presidente, seja ele quem for, esteja à direita ou à esquerda.

Por motivos óbvios, os políticos não apoiam a investida de Bolsonaro contra a democracia porque, para eles, seria um suicídio: o Congresso Nacional também poderia sofrer intervenção do ditador Bolsonaro.

O mais relevante é que a sociedade hoje é diferente da de 1964 e não daria endosso a uma intervenção militar. Os generais sabem disso, até mesmo, supostamente, aqueles que estão encastelados no Planalto, ao lado de Bolsonaro.

Malafaia é um dos principais vocalizadores na internet do ódio bolsonarista. Ele ataca no vídeo o ministro Luís Roberto Barroso, também presidente do TSE, que pediu a inclusão de Bolsonaro no inquérito das fake news por afirmar sem provas que as urnas eletrônicas não são confiáveis, argumentando que, se ele perder as eleições de 2022, seria fraude.

Como faria um terrorista, Malafaia prega uma inversão de papéis. Para ele, Bolsonaro é democrata, apesar das constantes ameaças do presidente de agir fora da Constituição, e os ministros Barroso e Alexandre de Moraes, o responsável pelo inquérito da fake news, são os ditadores da toga. Ela acusa o STF de desrespeitar a Constituição por abrir um inquérito sem respaldo legal.

É forte a tensão política e ela tende a se agravar ainda mais. Com atraso, o STF passou a reagir às ameaças do bolsonarismo, mas tem poupado a vertente religiosa dos apoiadores da vocação a ditador de Bolsonaro. Talvez esteja passando da hora de haver uma investida contra os delírios desses sabotadores da democracia

O fato é que Malafaia também pode ser incluído no inquérito das notícias falsas, porque, negacionista, ele já tentou desacreditar a vacina Coronavac e foi um defensor do "tratamento precoce" contra a Covid — remédios sem nenhuma comprovação científica contra doença.

Antes tarde do que nunca.

> Com informação de vídeo de Silas Malafaia e de outras fontes.


Instagram remove vídeo de Silas Malafaia por conter 'discurso de ódio'





Comentários

  1. Tá demorando pro Malafaia respeitar a constituição

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele respeitar? É daquela turma que só pela força mesmo deveria ser tratada. Mas na nossa Republiqueta dos Bananas, a "Bananolândia", quase todo povo é conivente e as autoridades fazem vistas bem grossas.

      Excluir
  2. Um povo que acredita em virgem grávida, arca de Noé, cobra falante, Torre de Babel, pode acreditar facilmente que Bolsonada e Silas Maracutaia são honestos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Juiz condena Datena a pagar indenização por ofender ateus

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber