Pular para o conteúdo principal

Ateus obtêm na Justiça suspensão de edital de construção do Museu da Bíblia no DF

Justiça cancelou o edital de concurso público para um estudo de arquitetura do Museu Nacional da Bíblia, cuja construção é contestada pela Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos), para a qual a obra desrespeita o Estado laico.

A associação recorreu à Justiça em setembro de 2020, mas o pedido de embargo da obra foi recusado porque ainda não havia nenhum registro oficial sobre a construção do museu.

Com a publicação do edital, que previa a entrega de propostas a partir de 1º de março, o juiz Paulo Afonso Cavichioli Carmona, da 7ª Vara da Fazenda Pública do DF, determinou a suspensão de todos os procedimentos relativos à obra, inclusive "ficando proibido o Distrito Federal de efetuar pagamentos de prêmio ao vencedor do concurso".

A Secretaria de Cultura do DF vai recorrer.

Para o advogado Thales Bouchaton, da Atea, o projeto de construção do museu seria “uma afronta" porque ele atende a “interesses privados de segmentos religiosos que possuem influência no Distrito Federal e no Congresso".

Iniciativa de um grupo de deputados evangélicos e pastores, o projeto do museu é controverso também porque, para a construção, o governador Ibaneis Rocha (MDB) manifestou a intenção de doar um terreno de 10 mil quadrados em área tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Há ainda o questionamento da autenticidade do projeto. Seus patrocinadores afirmam que o esboço é de autoria de Oscar Niemeyer, mas o estudioso Rolando Piccolo Figueiredo diz que se trata de apenas rabiscos, com tantos outros que o arquiteto de Brasília deixou.

Projeto de um grupo de
envangélicos com recurso público
 
> Com informação da Justiça, Atea e de outras fontes e ilustração reproduzida da rede social.

Fake news se combate com pensamento crítico permanente, dizem pesquisadoras

Comentários

  1. Igreja ganha tanto dinheiro no Brasil, deveriam fazer com o dinheiro deles e parar de usar o dinheiro do povo pra promover religião.

    ResponderExcluir
  2. Governos devem estimular o esclarecimento e entendimento intelectual. Isso é retrocesso.

    ResponderExcluir
  3. Supondo que consigam contruir tal museu. ENTÃO que se mostre as variadas VERSÕES da Bíblia... As junções dos vários livros antigos do Velho Testamento, exclusões dos Apócrifos pelas questões das conveniências. O Novo Testamento nem tem livros de cunho histórico (como no sentido do VT - as crenças e costumes antigos etc), a construção do MITO de jesus Cristo etc. Com paralelos na História e as guerras ENTRE os cristãos que se achavam "mais escoceses" que outros...
    Só seria aprovdo se fosse feito com ISENÇÃO perante a História e a Ciência em geral. E para completar, pois há o risco do crédulo ir para outra religiões ou crença, resumo dos erros dos outros livros das outras religiões, da Astrologia, dos esoterismos etc.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Angola vai julgar bispo da Universal por lavagem de dinheiro e associação criminosa

Vaticano investiu por mais de 20 anos em indústria de contraceptivo, diz TV