Pular para o conteúdo principal

Pastor comete crime ambiental ao pôr fogo em pico de parque durante culto

Um pastor de Cachoeiro de Itapemirim (ES) terá de pagar uma multa à União por ter cometido crime ambiental.

No dia 11 de janeiro de 2020 ele celebrou um culto no Pico da Bandeira, área de preservação do Parque Nacional de Caparaó, queimando papéis, supostamente de pedidos feitos por fiéis. Estava acompanhado por 15 cristãos.

Se um funcionário não tivesse debelado a fogueira, a vegetação poderia ficar em chamas.

Pela proposta do Ministério Público Federal, o pastor, cujo nome não foi revelado, vai ter de depositar R$ 61,237 em uma conta judicial.

O Parque do Caparaó fica na divisa entre Espírito Santo e Minas Gerais. O Pico da Bandeira é o terceiro ponto mais alto do Brasil, com 2.892 metros de altitude.

Em todo o parque há pedido para a preservação do local.

'Amor' de
pastor pela
natureza


Com informação da Tribunal Online e foto de divulgação.

Fortalecida pelo bolsonarismo, associação de juristas evangélicos ameaça o Estado laico

Comentários

Posts + acessados hoje

Igreja do 'santo' Maradona tem altar, cultos e mandamentos

Para não pagar imposto, TJs alegam que máquina de passar roupa é essencial à religião

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade