Médico italiano é condenado por tentar salvar com transfusão a vida de uma Testemunha de Jeová

O Tribunal de Tivoli (Itália) condenou o médico G.G a dois meses de prisão por ele tentar salvar com transfusão de sangue uma mulher seguidora das Testemunhas de Jeová — religião que não aceita esse procedimento.

A juíza Chiara Pulicati dispensou G. L. de cumprir a pena, mas a condenação permanecerá na ficha criminal dele.

O médico terá de pagar uma indenização à família. O valor ainda não foi definido.

Em 2013, familiares de Michela, 36, levaram-na às pressas para o Hospital São João Evangelista de Tivoli porque ela estava com insuficiência respiratória grave.

A paciente expressou decisão de não ser submetida a uma transfusão de sangue, mas o médico recorreu ao procedimento com última tentativa de salvá-la.

Michela morreu quando recebia o quinto saco de sangue.

Seus familiares e amigos pertencentes às Testemunhas de Jeová acreditam que ela foi perdeu a chance de ficar do lado de Jesus por ter recebido sangue, mesmo a decisão não sendo dela.

A condenação foi anunciada no dia 1º de outubro de 2020. Como ja havia uma sentença semelhante, está se firmando na Itália uma jurisprudência que se choca com o juramento que os médicos fazem de salvar vidas.

Familiares acreditam
que Michela perdeu
lugar no paraíso


Com informação do site Vistanet e de outras fontes e foto ilustrativa.


Testemunha de Jeová recusa sangue, morre e deixa 9 filhos

Mulher com câncer recebe sangue para não morrer e é rejeitada por filhas TJs

Tribunal do Maranhão autoriza transfusão de sangue em Testemunha de Jeová

Justiça do Canadá garante vida de filha de TJ ao autorizar transfusão

Com oposição da mãe Testemunha de Jeová, transfusão salva bebê

Fiel questiona as TJs: leite tem a mesma substância do sangue

Ex-fiel diz por que as Testemunhas de Jeová são uma 'seita destrutiva'