Pular para o conteúdo principal

Cidades francesas projetam charges de Maomé em prédios públicos

Cidades da França, como Montpellier e Toulouse, projetaram em prédios públicos charges de Maomé publicadas pelo seminário satírico Charlie Hebdo.  

A exibição ocorreu na noite de 21 de outubro. Policiais vigiaram os edifícios.

Tratou-se de uma homenagem ao professor Samuel Paty, de história e geografia, que foi degolado por um muçulmano por mostrar uma charge de Maomé do Charlie em uma aula sobre liberdade de expressão.

O assassinato chocou os franceses. A polícia prendeu mais de dez pessoas que estariam envolvidas no ataque.  

O governo francês está preparando medidas para reforçar a laicidade de Estado, com fechamento de pelo menos uma mesquita e a expulsão de fanáticos do Islã.

 

Com informação das agências.

Folha de S.Paulo republica charge de Maomé do jornal satírico Charlie Habdo

Tribunal nega cidadania alemã a muçulmano por não apertar mão de mulher

Ateu muçulmano escreve sobre como se libertou do islamismo

Goleiro muçulmano recusa troféu da Fifa patrocinado por cervejaria

Onze curiosidades sobre o mais cruel inferno, o muçulmano

Muçulmano radical brasileiro quis envenenar comida de sem-teto

Comentários

Atitude corretíssima do Governo francês. Ideais são se direitos, liberdade de expressão, ainda mais ser sarcástico aos opressores.

Posts + acessados hoje

Malafaia faz campanha contra vacina: ‘Não podemos ser cobaias de chinês’

Negro apanha por suspeita de estar roubando seu próprio carro

Para não pagar imposto, TJs alegam que máquina de passar roupa é essencial à religião