Pular para o conteúdo principal

Cidades francesas projetam charges de Maomé em prédios públicos

Cidades da França, como Montpellier e Toulouse, projetaram em prédios públicos charges de Maomé publicadas pelo seminário satírico Charlie Hebdo.  

A exibição ocorreu na noite de 21 de outubro. Policiais vigiaram os edifícios.

Tratou-se de uma homenagem ao professor Samuel Paty, de história e geografia, que foi degolado por um muçulmano por mostrar uma charge de Maomé do Charlie em uma aula sobre liberdade de expressão.

O assassinato chocou os franceses. A polícia prendeu mais de dez pessoas que estariam envolvidas no ataque.  

O governo francês está preparando medidas para reforçar a laicidade de Estado, com fechamento de pelo menos uma mesquita e a expulsão de fanáticos do Islã.

 

Com informação das agências.

Folha de S.Paulo republica charge de Maomé do jornal satírico Charlie Habdo

Tribunal nega cidadania alemã a muçulmano por não apertar mão de mulher

Ateu muçulmano escreve sobre como se libertou do islamismo

Goleiro muçulmano recusa troféu da Fifa patrocinado por cervejaria

Onze curiosidades sobre o mais cruel inferno, o muçulmano

Muçulmano radical brasileiro quis envenenar comida de sem-teto

Comentários

  1. Atitude corretíssima do Governo francês. Ideais são se direitos, liberdade de expressão, ainda mais ser sarcástico aos opressores.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Bolsonarista se recusa a tomar vacina e morre de reinfecção de Covid-19

Crise da Universal em Angola chega à África do Sul com acusações de exploração e abortos forçados

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade