Pular para o conteúdo principal

Tribunal nega cidadania alemã a muçulmano por não apertar mão de mulher

O Tribunal Administrativo de Baden-Württemberg, da Alemanha, decidiu que quem se recusar a apertar a mão de uma mulher por motivo religioso não deve receber cidadania alemã.

A sentença se aplicou a um muçulmano que passou em todas as etapas para obter a cidadania, mas quando a funcionária do governo lhe entregou o certificado e estendeu a mão para parabenizá-lo, ele não estendeu o braço.

Médico libanês de 40 anos que desde 2002 está Alemanha, o muçulmano alegou que não poderia tocar em outra mulher a não ser sua esposa.

O libanês se formou em medicina na Alemanha e é médico-chefe de uma clínica.

O Tribunal entendeu que quem rejeita um aperto de mãos demonstra que não se integrou à sociedade alemã e que tem uma "concepção fundamentalista de cultura e valores".

O muçulmano poderá recorrer à instância superior.

Com informação do Deutsche Welle.  

Bolsonaro usa ação de grupelho no Chile para dizer que há cristofobia no Brasil 

Desmascarador de curandeiros e paranormais, James Randi morre aos 92 anos 

Francisco defende pela primeira vez união civil entre pessoas do mesmo sexo 

Comentários

Posts + acessados hoje

Malafaia faz campanha contra vacina: ‘Não podemos ser cobaias de chinês’

Negro apanha por suspeita de estar roubando seu próprio carro

Para não pagar imposto, TJs alegam que máquina de passar roupa é essencial à religião