Pular para o conteúdo principal

Guedes convence Bolsonaro a desistir de subsidiar a conta de luz das igrejas

Bolsonaro acabou ouvindo
 Guedes, que não apoia a
 concessão de benefícios
 

O ministro Paulo Guedes, (foto) da Economia, convenceu o presidente Jair Bolsonaro (foto) a desistir de subsidiar as contas de luz das igrejas.

O Ministério das Minas e Energia já tinha elaborado a minuta do decreto que beneficiaria os grandes templos, que, ligados a rede de alta tensão, pagam mais pela energia no horário noturno, como qualquer outro grande consumidor, como shopping.

O decreto faria com que os templos pagassem um único valor de energia, a mais baixa, cobrada no período diurno.

Bolsonaro comunicou a desistência da concessão do benefício ao receber o presidente da Frente Parlamentar Evangélica, Silas Câmara (Republicanos-AM), e o pastor R.R.Soares, da Igreja da Graça, que consta na lista dos grandes devedores da Receita.

Bolsonaro disse que a quantia que as igrejas deixariam de pagar por conta do benefício seria pequena, mas admitiu que “quando se fala em subsídio, alguém vai pagar a conta”.

Não será surpresa se os líderes evangélicos passarem a criticar a política econômica de Guedes.

Com informação do Estado de S.Paulo e de outras fontes.



Deputado evangélico tem projeto para que dízimo seja descontado do salário

Embora mais pobres, fiéis da Igreja Universal pagam o maior dízimo

Quem não paga dízimo fica exposto ao Satanás, afirma Edir

Para famílias de baixa renda, dízimo é despesa prioritária




Comentários

  1. Nada de amor ao próximo .. de ajuda .. de caridade .. o que essa gente gosta e quer eh DINHEIRO .. e vem uns patetas aqui falar de "militância ateísta" , como se fosse o desejo de ateus de obrigar idiotas fanáticos religiosos a ser tornar pessoas sãs e racionais , siga a fantasia que quiser ; então seus idiotas uteis .. vejam a cara da "militância religiosa evangélica"

    ResponderExcluir
  2. Assistente Religioso15 de janeiro de 2020 16:55

    O subsídio tem que vir de Deus. Subsídio para o homem fazer a própria Terra, pois Deus mandou o homem trabalhar no mesmo tempo em que foi feita a Terra, mas não mandou o homem fazer a própria Terra. Deus só pensou no tempo de serviço, o mesmo ocorrendo quando se diz bom dia, pois o dia é o tempo, enquanto que a velocidade é a distância dividida pelo tempo. Por isso é melhor dizer boa velocidade de Deus para que Deus mande o subsídio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu nao sabia que Deus tinha dinheiro kkkkkkkkkkkkkk, assistente religioso= Retardado.

      Excluir

Postar um comentário

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

Saiba por que a seita Testemunhas de Jeová é um paraíso para pedófilos