Guedes convence Bolsonaro a desistir de subsidiar a conta de luz das igrejas

Bolsonaro acabou ouvindo
 Guedes, que não apoia a
 concessão de benefícios
 

O ministro Paulo Guedes, (foto) da Economia, convenceu o presidente Jair Bolsonaro (foto) a desistir de subsidiar as contas de luz das igrejas.

O Ministério das Minas e Energia já tinha elaborado a minuta do decreto que beneficiaria os grandes templos, que, ligados a rede de alta tensão, pagam mais pela energia no horário noturno, como qualquer outro grande consumidor, como shopping.

O decreto faria com que os templos pagassem um único valor de energia, a mais baixa, cobrada no período diurno.

Bolsonaro comunicou a desistência da concessão do benefício ao receber o presidente da Frente Parlamentar Evangélica, Silas Câmara (Republicanos-AM), e o pastor R.R.Soares, da Igreja da Graça, que consta na lista dos grandes devedores da Receita.

Bolsonaro disse que a quantia que as igrejas deixariam de pagar por conta do benefício seria pequena, mas admitiu que “quando se fala em subsídio, alguém vai pagar a conta”.

Não será surpresa se os líderes evangélicos passarem a criticar a política econômica de Guedes.

Com informação do Estado de S.Paulo e de outras fontes.



Deputado evangélico tem projeto para que dízimo seja descontado do salário

Embora mais pobres, fiéis da Igreja Universal pagam o maior dízimo

Quem não paga dízimo fica exposto ao Satanás, afirma Edir

Para famílias de baixa renda, dízimo é despesa prioritária