Mais um ritual hindu no Nepal sacrifica cerca de 200 mil animais

Diversas tradições religiosas
 alimentam os deuses com
 o sangue de animais

Em uma pequena cidade no sul do Nepal, um xamã matou nas primeiras horas de 3 de dezembro de 2019 uma cabra, um rato, uma galinha, um porco e um pombo, dando início à maior matança de animais do mundo, o que totalizará, em menos de uma semana, o sacrifício de milhares de bichos, incluindo búfalos, conforme ocorre a cada cinco anos.

A expectativa é que pelo menos 200 mil animais sejam mortos, no mínimo, no chamado Festival de Gadhimai. A preferência é por macho.

O espetáculo dantesco ocorre em uma área cercada por arame farpado do tamanho de um campo de futebol. Do lado de fora, os animais, com sede e fome, aguardam o sacrifício.

Ali, cerca de 200 matadores, contratados por devotos, descem uma espada afiada no pescoço dos bichos, seguindo uma tradição de 200 anos.

Entidades de defesa dos animais têm pressionado as autoridades de Nepal para acabar com esse derramamento de sangue à deusa Parvati, mulher de Shiva.





Em 2015, o Supremo Tribunal de Nepal determinou ao governo que planejasse o fim do sacrifício, começando com a imposição de algumas restrições, para não revoltar os hindus.

O governo ignorou a ordem, e os juízes se deram por satisfeitos,

Os hindus acreditam que, com a matança, obtêm de Parvati e de suas encarnações (Kali e Durga) energia para o trabalho e o sexo.

As fotos do ritual são tão sangrentas, que o algoritmo do Google costuma vetá-las, como já ocorreu com este site.

Os hindus não consomem a carne dos animais sacrificados porque a sua crença prega o vegetarianismo.

Eles matam os animais mesmo crendo que seus parentes mortos possam estar neles incorporados e consumi-los seria canibalismo.

Mas o que mais importa no festival é agradar a Parvati, até porque um parente encarnado em um animal sempre poderá se alojar no corpo de outro, de acordo com a crença.

O Nepal tem 27 milhões de habitantes e a maioria (80%) é hindu.

Em 2009, houve a morte de 250 mil animais, em 2014 "apenas" 200 mil.

Com informação das agências.



Sacrifício de animais esconde o fundamento das religiões

Norte da Bélgica proíbe sacrifício com dor de animal; muçulmanos e judeus reagem

Supremo confirma validade do sacrifício de animais em cultos religiosos

Indiano mata filho de oito meses em sacrifício à deusa Kali




Comentários

  1. o vegetarianismo os tornou humanizados, que bonito

    ResponderExcluir
  2. "Diversas tradições religiosas alimentam os deuses com o sangue de animais"

    Os deuses sentem fome, assim como os seres humanos também sentem fome. Se esses deuses tivessem a mesma potência do Deus de Israel, eles poderiam criar a própria Terra em seis dias, pois Deus mandou o homem trabalhar no mesmo em que foi feita a Terra, mas não mandou o homem fazer a própria Terra. Deus só pensou no tempo de serviço, igual quando se diz dom dia, pois o dia é o tempo, enquanto que a potência é o trabalho dividido pelo tempo, portanto, em vez de bom dia, eu digo boa potência de Deus para que cada um possa fazer a própria Terra.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.