Pular para o conteúdo principal

Ritual à deusa Parvati mata milhares de animais machos

Deusa Parvati gosta 
de sangue de macho
Começou nesta semana no Nepal mais um ritual de oferenda à deusa Parvati. Nos próximos 15 dias, os devotos vão matar milhares de animais machos e férteis porque assim a deusa quer. Ela é mulher do poderoso deus hindu Shiva.

Os sacrifícios mais comuns são de bodes, galos, patos e búfalos. Pela crença, quem fizer a oferenda obterá da deusa energia para o trabalho e qualquer outra atividade, incluindo a sexual.

Os templos estão lotados para a devoção a Kali e Durga, que são as encarnações de Parvati

A abertura do Festival de Dashain – esse é o nome oficial da matança – ocorreu no antigo palácio real com o sacrifício de 54 bodes e 54 búfalos.

Cinquenta e quatro é considerado divino porque o resultado de 5 mais 4 é 9, o maior número unitário. Não se sabe por que o sacrifício não se restringe a 9 animais, evitando assim um espetáculo de crueldade.

O Nepal é um país asiático com população de 29,5 milhões. A religião da maioria (80%) é o hinduísmo.

Em países como a Índia, a tradição alimentar do hinduísmo é vegetariana porque os devotos acreditam que as pessoas possam renascer como animais. O Nepal é uma exceção. Parte dos fiéis leva para casa os bichos sacrificados nos templos para consumi-los. Para os indianos, isso seria canibalismo.

Nos últimos anos, entidades internacionais de defesa de animais têm criticado a matança do ritual e pedido um basta.

Baidyanath Sharma, hindu especialista em religião, afirmou que muitos dos criticam o ritual são consumidores de carne de animais abatidos longe de seus olhos, nos matadouros, e quase ninguém diz nada.

Com informação das agências.

Sacrifício de animais esconde o fundamento espúrio das religiões.
por Danilo Robson em junho de 2011

Comentários

Israel Chaves disse…
Nem sempre só as pessoas pagam o pato pela superstição dos outros. Animais também.
Seja qual for o caso, quem se ferra é sempre o mesmo: O inocente.
LEGIÃO disse…
As fêmeas, além de dar carne, cuidam dos filhotes e dão leite. Os machos, quando em grande número, provocam desordens com suas brigas pelo harém.

A Deusa submete os nepaleses a um dilema: façam sacrifícios ou vocês serão sacrificados.

Assim, pode-se dizer que a matança do gado é em legítima defesa, além de servir de controle populacional de animais - que já não tem predadores naturais - e previne o ataque de búfalos às pessoas.

O Ritual tenta simular o curso natural, o qual foi alterado pela ação do homem.
Avelino Bego disse…
Não importa qual cultura: sempre a religião tem o viés da violência do Homem.

Sempre a religião é reflexo do Homem, e não o oposto.
Anônimo disse…
Ser crente é assinar um atestado literal de burrice.
Anônimo disse…
Na bíblia também fala dos festivais de matança de animais que eles praticavam para o deus hebreu, e muitas vezes esses sacrifícios era pra ele não ficar irado ou para proteger eles de algum inimigo ou dar a eles algum tipo de vitória sobre inimigos também .
Cultura é cultura, nesse campo não adentrarei.
Eu faço mais criticas ao cristianismo por já ter feito parte disso e por ser da cultura ocidental, logo cresci vendo as derrapadas de cristãos.

Acho muito delicado criticar esse tipo de coisa, já que sou consumidor de carne bovina e matança por matança, nós fazemos o mesmo.

"Ah mas eles não tão matando pra comer e sim pela religião, já nós matamos para nos suprir energeticamente."
Não importa, o fim é o mesmo para os animais e eu não posso determinar que matar para comer é uma justifictiva melhor que a de matar por oferenda. Quem pode determinar?
Israel Chaves disse…
O problema não está em matar, está em como e porquê. Matar de forma limpa e para consumir é completamente diferente de matar com crueldade por diversão.
Esse tipo de coisa ainda existe por aqui hoje em dia, sacrifícios animais e não só por motivos religiosos. Ainda existem, por exemplo, imbecis que fazem farra do boi escondidos até hoje aqui em Santa Catarina. Um bando de desocupados pegam um boi (um bezerro, porque são covardes para enfrentar um boi adulto) e o usam para descontar suas frustrações. Se juntam em dezenas e ficam torturando o bicho por horas, até ele morrer de exaustão.
Eu realmente gostaria que eles tivessem o mesmo fim do boi.
Anônimo disse…
Eles não comem depois os bois?