Sacrifício de animais esconde o fundamento das religiões




por Danilo Robson

Consciência
religiosa é
primitiva
A matança de animais esconde o fundamento espúrio de toda religião: viver implica numa culpa a ser expiada pela morte.

Viver sem culpa exigiria, portanto, uma sucessão infinita de mortes, ou de substitutos mortais, no caso as vítimas animais. Ou uma morte eternamente rememorada e comemorada (?) de um infinito suposto redentor ao mesmo tempo morto e vivo, no caso da vítima simbólica do Cristo Morto e Ressuscitado.

É claro que não há Deus nenhum a exigir isso, e sim a consciência implacável dos seres humanos, que obtêm, com o sangue, a violência e dor, o aplacar da fúria do seu inconsciente ávido de morte e reparação pelo "sacrifício".

A doutrina do sacrifício, estudada pelos antropólogos sérios como Eliade, Mauss, dentre outros, demonstra o quanto a consciência religiosa é primitiva, por mais espiritualizada que pareça.

Uma crença que se deve matar ou morrer para justificar a vida é absurda e só poderia ter surgido na consciência dos primitivos, cuja identificação com a vida e a morte mediante a matança e comensalismo era uma analogia nutricional espiritual com aquilo que se pensava adquirir com a incorporação dos elementos mágicos. Assim julgavam assimilar a força, a coragem, a bravura dos vencidos e das feras, comendo-lhes.

Os religiosos de hoje julgam aplacar a ira do seu Deus, quando é a sua própria ira que eles desejam ver acalmada. Só isso.



Morre a cadela mutilada durante ritual de magia negra.


Comentários

  1. PERGUNTA PARA O CRENTE FERNANDO :

    Porque DEUS da GIBIBLIA gostava taaaaaaaaaanto de sacrificios animais em seu bel prazer ?

    Carne gordurosa queimada soltando fumaça e cheirando suave em holocausto a Deus....pombos , carneiros , bezerros , touros etc....


    DEUS COME ? ele teria colesterol alto ?


    Tá bom Fernando pode usar a Gibiblia pra responder ?

    Porque Deus gosta tanto de matança de animais e até de seres humanos em seu nome...?

    ResponderExcluir
  2. Se deus é um ser imaterial(espiritual segundo várias doutrinas)e uma espécie de força metafísica invisível como poderia comer?Anônimo das 15:37 você foi bem humoradamente inteligente ao formular seu questionamento.Com a palavra os senhores religiosos...

    ResponderExcluir
  3. Deus não come os animais, ele os recebe como oferenda de suave odor.
    Deus não se alegra com a morte e o sofrimento do homem, por isso aceita a morte dos animais como reparação pela dívida destes.
    Deus não aceitou o sacrifício de Isaque, providenciando para que Abraão encontrasse um cordeiro para a imolação.
    Deus permite que o sangue dos animais seja um elemento mistagógico para que apreendam o significado da morte vicária de Cristo.
    Deus aceita a oferenda do sangue de Jesus, derramado de uma vez por todas sobre a Cruz.
    Qualquer pretensão de repetir algum sacrifício cruento ou incruento depois desta oferta plena e perfeita, pela qual todos os pecados foram perdoados, é abominável.
    A chamada Missa, onde impropria e sacrilegamente se blasfema do sacrificio único e perfeito, dizendo-se impiamente e mentirosamente repeti-lo;
    Quando a escritura diz que não se pode crucificar Cristo novamente, além de heresia, é abominação e gravíssimo erro e pecado.

    ResponderExcluir
  4. Perdoe-me mas não passam de tolas asneiras e bobagens desnecessárias.
    Sacrifícios de animais são atrocidades descabidas e perversidades criminosas que alguns fazem para seguir preceitos idiotas de religiões estúpidas.

    ResponderExcluir
  5. PURA PERVERSIDADE DESSES MANÍACOS. MERECEM MUITA PORRADA!

    ResponderExcluir
  6. Fé religiosa não justifica esses desatinos.

    ResponderExcluir
  7. Onde estão os crentecados?

    ResponderExcluir
  8. Já que vai rolar um ritual...
    Em vez de galinha...
    Use um caldo knor...
    Respeite os animais...

    ResponderExcluir
  9. Se na morte o homem encontra-se o paraiso vendido pela religiao, a besta do ser humano não mataria um indefeso qualquer e sim a si proprio.

    ResponderExcluir
  10. creio q vcs deveriam estudar MUITO MAIS e descobrirem que no BRASIL este uso de animais é uma constante para N EFEITOS e ja comprovados estão,sou contra para prejudicar qq natureza alheia, porém,ha necessidade sim de animais de sacrificio e qto a TANTA asneira e crendice ?
    Deus vos perdoem, pois não sabem o que falam !
    sou ocultista e estudei para valer este assunto
    e ha muitoooo neste país q religiosos não sabem incluindo os mais que se dizem fiéis a Gzuis.

    ResponderExcluir
  11. Quanta besta tem aqui, os animais sacrificados eram os animais que iriam servir como alimento, era assim com os Levitas bíblicos que viviam dos Sacrifícios!.

    Essa era uma pratica dos povos antigos, e que com Israel se pôs como alimento para os sacerdotes.


    Um animal ofertado em sacrífico em Israel morria, com mais dignidade que o bife que vc come no almoço, já viram como é o abate de muitos açogues?

    ResponderExcluir
  12. Viver implica numa culpa a ser expiada pela morte. Gostei desta frase, e eu acrescentaria mais, se me fosse permitido. Expiação pela morte do gozo. A principal característica da personalidade religiosa é a culpa por tudo que é prazer...E é claro, deve-se incluir aí aquele considerado o prazer mais forte, o prazer sensual. O gozo para a religião é algo a ser confiscado, uma relação patriarcal proprietária clássica; que recai com toda sua fúria sobre nós mulheres, "resgatadas" do pátrio poder pelos maridos...Na verdade uma continuação dos dois poderes, porque o marido é pai, e o filho há de substituí-lo mais tarde; a exigir-nos todo o "sacrifício" e todas as afeições. Muitas mulheres abdicaram de suas sexualidades, de suas liberdades, pela tal mítica maternidade. A religião administra bem esta, como todas as demais culpas. A Bíblia ordena isso lá no Gênesis, quando diz..."o teu desejo será para teu marido, e ele te dominará"...E "parirás com dor". Essa angústia imposta, aliás de origem mitológica, como demonstra Elizabeth Badinter, esse sacrificio religioso da mater dolorosa, na cruz da oferenda de nossa liberdade sexual castrada; é explícito de modo contundente pelo Profeta Ezequiel, ao relacionar de modo teológico pela analogia sexual, o compromisso de submissão e fidelidade que Israel-Esposa e Filha DEVE ao marido Iahweh. Quantas milhões de hóstias vivas foram imoladas no altar da repressão da sexualidade! Algo que fez Diderot perguntar..."Que necessidade tem Cristo DE TANTAS ESPOSAS...e a Humanidade de TANTAS VÍTIMAS"?

    ResponderExcluir
  13. Tá mais que tal esquecemos um pouquinho a religião. Afinal deus não existe mesmo! e que tal pensamos um pouquinho nos milhares de animais usados, mutilados e mortos em experimentos de alimentos a remédios e cosméticos... Ah, me desculpe me esqueci de um pequeno detalha, eles são "sacrificados" pelo nosso bem!!!!!!!!!!! Afinal é melhor que 10 coelhos fiquem cegos do que o meu rímel me causar alguma alergia não é verdade?

    uma viva pra a boa e virtuosa ciência, que é muito mais ética que qualquer religião... uma salva de palmas ^.^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É voce não sabe mesmo o valor dos remédios para a sociedade,talvez nem tenha usado um ainda .Sai troxa.

      Excluir

Postar um comentário

Busca neste site