Aumenta a repressão aos TJs na Rússia, onde são tidos como extremistas

Notória por discriminar
ex-integrantes, a seita
experimenta na Rússia
o seu próprio veneno 

A polícia de repressão a grupos extremistas da Rússia invadiu um resort na cidade de Norilsk, ao norte do país, e prendeu 50 Testemunhas de Jeová que ali se reuniram para atividades religiosas.

Em 2017, a Justiça da Rússia enquadrou as Testemunhas de Jeová na lei de combate aos extremistas e expurgou a religião do país.

Depois, desapropriou o complexo de edifícios onde funcionava a sede local da seita.

As TJs são acusadas de conspirar contra o Governo de Putin, além de se negarem a colaborar com o Estado, como participar de serviços militares.

Eles também eram apontados por discriminar ex-integrantes.

Com sede nos Estados Unidos, a seita acusa o governo russo de não respeitar a liberdade de culto e os direitos humanos.

Quando foi declarada ilegal, a seita tinha cerca de 175 mil seguidores no país.

Dezenas deles fugiram do país e outros foram presos, cerca de 200, de acordo com estimativa seita.

Percebe-se que aumentou a repressão aos TJs porque eles insistem em desafiar o truculento governo de Putin, mantendo atividades às escondidas.

Há poucos dias, houve uma busca policial por integrantes da seita em Kursk, Sochi e Oryol.

A solidariedade internacional aos Testemunhas de Jeová poderia ser maior, se eles próprios fossem defensores dos direitos humanos.

Comentários

Anônimo disse…
Não vejo como perseguição religiosa e sim como combate a pedofilia, visto que mais de 80% das lideranças estão envolvidas com o encobertamento desse tipo de crime.
Unknown disse…
O tratamento dado por um grupo religioso aos seus ex membros não justifica sanções por parte do estado.
Podemos discordar da desassociação mas ela não fere direito algum. É uma sanção feita por um grupo particular, específico, minoritário.
Achar que as graves violações aos direitos humanos das testemunhas de Jeová feitas pelo governo russo se justificam revela o grau de intolerância e até ódio religioso que podem chegar opositores e ex-testemunhas de Jeová.
Eu deixei as Testemunhas de Jeová há 19 anos e participei durante os anos iniciais do Fórum das Ex TJs na internet. Parei de participar quando ficou mais do que claro que a crítica foi substituída pelo ódio e preconceito.
Hoje sou cristão evangélico e deixei essa militância , que parece mais com implicância, no passado.