Pular para o conteúdo principal

Aumenta a repressão aos TJs na Rússia, onde são tidos como extremistas

Notória por discriminar
ex-integrantes, a seita
experimenta na Rússia
o seu próprio veneno 

A polícia de repressão a grupos extremistas da Rússia invadiu um resort na cidade de Norilsk, ao norte do país, e prendeu 50 Testemunhas de Jeová que ali se reuniram para atividades religiosas.

Em 2017, a Justiça da Rússia enquadrou as Testemunhas de Jeová na lei de combate aos extremistas e expurgou a religião do país.

Depois, desapropriou o complexo de edifícios onde funcionava a sede local da seita.

As TJs são acusadas de conspirar contra o Governo de Putin, além de se negarem a colaborar com o Estado, como participar de serviços militares.

Eles também eram apontados por discriminar ex-integrantes.

Com sede nos Estados Unidos, a seita acusa o governo russo de não respeitar a liberdade de culto e os direitos humanos.

Quando foi declarada ilegal, a seita tinha cerca de 175 mil seguidores no país.

Dezenas deles fugiram do país e outros foram presos, cerca de 200, de acordo com estimativa seita.

Percebe-se que aumentou a repressão aos TJs porque eles insistem em desafiar o truculento governo de Putin, mantendo atividades às escondidas.

Há poucos dias, houve uma busca policial por integrantes da seita em Kursk, Sochi e Oryol.

A solidariedade internacional aos Testemunhas de Jeová poderia ser maior, se eles próprios fossem defensores dos direitos humanos.

Comentários

  1. Não vejo como perseguição religiosa e sim como combate a pedofilia, visto que mais de 80% das lideranças estão envolvidas com o encobertamento desse tipo de crime.

    ResponderExcluir
  2. O tratamento dado por um grupo religioso aos seus ex membros não justifica sanções por parte do estado.
    Podemos discordar da desassociação mas ela não fere direito algum. É uma sanção feita por um grupo particular, específico, minoritário.
    Achar que as graves violações aos direitos humanos das testemunhas de Jeová feitas pelo governo russo se justificam revela o grau de intolerância e até ódio religioso que podem chegar opositores e ex-testemunhas de Jeová.
    Eu deixei as Testemunhas de Jeová há 19 anos e participei durante os anos iniciais do Fórum das Ex TJs na internet. Parei de participar quando ficou mais do que claro que a crítica foi substituída pelo ódio e preconceito.
    Hoje sou cristão evangélico e deixei essa militância , que parece mais com implicância, no passado.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Dona Religião é casada com sr. Atraso e têm vários filhos

Bolsonaro fica irritado com aprovação da CoronaVac que vai salvar vidas

Aprovação da CoronaVac significa duro golpe no bolsonarismo

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Bolsonaro compra a novela 'Os dez mandamentos' da Record para a TV Brasil