Nova Zelândia é o 34º país a proibir entrada de cristão pregador de morte aos gays

Anderson diz que
 a Bíblia manda executar
os homossexuais

O governo de Nova Zelândia negou visto de entrada ao pregador cristão Steven Anderson (foto) por ele fazer apologia de ódio aos homossexuais.

É o 34º país a impedir a entrada do líder de uma Igreja Batista do Arizona.

Anderson defende a execução dos homossexuais porque, segundo ele, é o que manda a Bíblia.

Ele se tornou conhecido mundialmente em 2016, quando comemorou a morte de mais de 50 pessoas em um atentado de um muçulmano a uma boate LGBT, em Orlando (EUA).

Anderson não manifestou interesse em pregar no Brasil. Ainda.

Com informação de documento oficial da Nova Zelândia.



Ministério Público vai investigar padre que fez ativismo homofóbico em missa

Cardeal diz que homofobia é invenção gays que visam o 'domínio totalitário'

Homofóbicos sentem excitação com gays, revela pesquisa

Bíblia mostra que Jesus pregou também o ódio ao próximo




Comentários

Anônimo disse…
Pela cara dele, da pra ver que sofre de sérios transtornos mentais causados pelo fanatismo religioso.