Renuncia o bispo que disse que Deus castigou Atena por causa dos ateus

Ambrosios incentivou que as
pessoas cuspam na "escória da
sociedade", os homossexuais

O bispo Ambrosios de Kalavryta (foto), 81, pediu renúncia ou foi forçado a tal porque tem feito declarações ridículas, desgastando a imagem da Igreja Ortodoxa da Grécia. 

Há um ano, quando um incêndio matou mais de 100 pessoas em Atenas, ele disse ter sido castigo de Deus por causa dos ateus da Grécia, principalmente o primeiro-ministro Alexis Tsipras.

Ambrosios vinha afirmando que Deus está furioso com Tsipras porque o primeiro-ministro não batizou seus filhos e acabou com a obrigatoriedade de orações em escolas públicas, além de apoiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo e autorizar áreas para o nudismo.

Em 2017, ele já tinha atribuído à vingança divina a ocorrência de inundações que acabou com dezenas de vidas.

A Igreja Ortodoxa Grega sempre pontuou que se trata da “opinião pessoal” do bispo, não da instituição.

Em janeiro de 2019, a Igreja suspendeu por seis meses o bispo Ambrosios por ele ter sido condenado por um tribunal por pregar o ódio.

Em 2015, ele escreveu em um blog que os homossexuais são a “escória da sociedade” e incentivou as pessoas a cuspirem neles.

A mais recente afirmação esdrúxula do bispo foi de que mulheres grávidas que fazem sexo anal têm  filhos gays.

Com informação do Washington Post e de outras fontes, com foto de reprodução de vídeo.



Lesão no cérebro resulta em fanatismo religioso, diz estudo

Reportagem revela o fanatismo religioso de Datena

Youtuber diz que sacrifício de bode atrapalha governo de Bolsonaro

Estudante faz performance com Bíblia no Rio; e cristãos ameaçam matá-lo




Comentários