Contra abuso, deputados do Chile quebram o segredo do confessionário

Se a lei passar no Senado,
 padres terão de denunciar
 seus colegas pedófilos

A Câmara dos Deputados do Chile aprovou um projeto de lei que acaba com segredo de confissão da Igreja Católica, para que os padres sejam obrigados a denunciar seus colegas pedófilos.

O projeto foi apresentado em 2018 pelo deputado democrata cristão Raul Soto.

A decisão terá de ser aprovada pelos senadores e promulgada pelo presidente Sebastián Piñera

No caso de a decisão ser confirmada, cria-se um impasse porque, para o direito canônico, o segredo da confissão é inviolável, sem exceção, mesmo para denunciar um crime.

O padre que quebrar esse segredo pode ser excomungado.

Há no Chile um crescente repúdio à Igreja Católica, por causa dos abusos sexuais praticados por sacerdotes, inclusive por bispos, que foram encobertos pela hierarquia.

Porta-vozes da Igreja afirma que a aprovação do projeto de lei significa um ataque à liberdade religiosa, desconsiderando que o “sigilo sacramental”, do direito canônico, é diferente do “sigilo profissional”.

A questão envolve uma discussão mais ampla, porque um Estado verdadeiramente laico não se submete às leis da Igreja e nem a liberdade religiosa pode servir de amparo a predadores sexuais.

Com informação do site Acidigital e foto do Flickr.





Igreja Católica do Chile é condenada a indenizar vítimas de padre pedófilo

Manual da Igreja Católica do Chile proíbe padres de dormirem com adolescentes

Igreja do Chile tem confraria secreta de pedófilos, denuncia católica

Vaticano foi cúmplice do golpe no Chile, revela Wikileaks



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários