Liga minimiza denúncia contra padres: ‘Só há estupro quando existir penetração’


Bill Donohue
 diz que a maioria
 das crianças foi
apenas apalpada'
 pelos sacerdotes 

A Liga Católica dos Estados Unidos afirmou que a Justiça de Pensilvânia fez uma avaliação superestimada ao concluir que nas últimas décadas cerca de 300 padres violentaram 1.000 crianças das dioceses daquele Estado.

Bill Donohue (foto), presidente da Liga, escreveu que muitos dos casos registrados pela Justiça são “mentiras obscenas”, porque “a maioria das supostas vítimas não foram estupradas: foram apalpadas ou abusadas de qualquer outra forma, mas não penetradas”.

A Liga Católica é conhecida por defender o retrocesso, mas agora ela se superou ao dar apoio aos padres pedófilos.


Relatório diz como padres da Pensilvânia abusam de crianças e adolescentes

Manual da Igreja Católica dos EUA orienta como acobertar estupradores

Vaticano expressa 'vergonha e dor' diante dos abusos de padres da Pensilvânia




Pedófilo obteve da Igreja Católica carta de recomendação para trabalhar na Disney

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site