Pular para o conteúdo principal

Afirmar que 'Se Deus não existe, tudo é permitido' é grande tolice

Há leis humanas que punem comportamentos criminosos, portanto não dependendo da suposta moralidade pregada por religiosos

WALTER FILHO
promotor de Justiça

Sempre escuto em debates o seguinte: “Se Deus não existe, tudo é permitido”. Com essa expressão, os intolerantes religiosos justificam a obrigatoriedade da crença em um ser superior, ou seja, é preciso acreditar em um deus para se conduzir na trilha do bem. 

Não é bem assim que as coisas funcionam. Existem leis humanas que vedam determinados comportamentos com punição para quem violar as regras — crimes são tipificados.

Os costumes, as tradições, o bom senso, a piedade natural e tantos outros apegos nos impedem da prática de atos contrários ao bem-estar coletivo. Na contramão desses atributos, os radicais religiosos praticam atos sanguinários como imposição da fé propagada pelo grupo.

Se você não pensa igual a eles, é visto como inimigo – a liberdade de escolha é algo satânico e o liberto deve morrer. Na verdade, os depravados tentam esconder seus verdadeiros e inconfessáveis deleites sob o manto das ações criminosas.

Líderes religiosos
fazem previsões
alarmistas para
um mundo sem Deus

Ao olharmos para países de maioria ateísta, percebemos a tolice da frase inicial. Temos como exemplo Noruega e Dinamarca, onde as taxas de crimes são insignificantes, além de serem nações altamente desenvolvidas e destacadas no relatório da ONU que aponta o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) pelo mundo. 

Os serviços de saneamento ambiental atendem todas as residências da Dinamarca — 80% de seus habitantes são ateus. Dois anos atrás, a Noruega estava no topo do ranking como nação mais desenvolvida do planeta, tendo 72% de ateístas.

Os religiosos intransigentes querem punição para estes povos e para quem não acreditar em Deus. São criaturas que instauram em suas consciências a monarquia absoluta. A paixão avassaladora gera nestes indivíduos o fanatismo, um pesadelo que atormenta todos nós.

Podemos não amar as pessoas, mas somos obrigados a respeitá-las; assim, teríamos um mundo melhor para vivermos. Enquanto a humanidade não tiver uma visão sarada da divindade, o mundo vai continuar chorando os morticínios — é o perigo da vitória dos doentes.

> Esse texto foi publicado originalmente no "O Povo Online".

Ateísmo é a liberdade de se opor às ideias mais sagradas

Ateísmo é a evolução lógica da religião, diz Richard Dawkins

Comentários

Esta "afirmação" é oriunda do livro Os Irmãos Karamazov de Dostoyevski que era Esquizofrênico e Russo. É odiado pela maioria dos Ateus.
Paulo Lopes disse…
Odiado pela maioria dos ateus? Discordo. Dostoiévski é um dos maiores escritores da literatura mundial. Quem disse a frase foi um personagem do escritor, e não Dostoiévski. Isso pode fazer grande diferença.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Morre o americano Daniel C. Dennett, filósofo e referência contemporânea do ateísmo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Britney Spears entra na lista de famosos que não acreditam em Deus

Oriente Médio não precisa de mais Deus. Precisa de mais ateus

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Vídeo mostra adolescente 'endemoninhado' no chão. É um culto em escola pública em Caxias

Ignorância, fé religiosa e "ciência" cristã se voltam contra o conhecimento

Prefeito de Sorocaba não acata Justiça e mantém Bíblia em escolas