Pular para o conteúdo principal

Crânio de 20 milhões de anos registra começo da evolução do cérebro

Chilecebus carrascoensis não era tão grande em relação ao corpo, diferentemente do que ocorre com os primatas símios





Fóssil tem 20 milhões de anos

Estudo publicado na revista Science Advances registra um momento da história da evolução do cérebro dos primatas símios, ao analisar um antigo e raro crânio encontrado na América do Sul.

Trata-se do fóssil do pequeno Chilecebus carrascoensis de 20 milhões de anos. Ele foi encontrado na década de 1990 nos Andes, Chile. A notícia de sua descoberta foi dada em 1995.

Geralmente, os primatas, como o Homo sapiens, tem um grande volume de cérebro em relação ao tamanho do seu corpo. Isso, contudo, não ocorre com Chilecebus carrascoensis, que tinha um cérebro pequeno, de oito gramas ou o peso de um morango.

O quociente cérebro/corpo desse primata era de 0,79, abaixo dos atuais macacos, de 0,89 a 3,36. Em humanos, chega a 13,46.

Ainda assim, o Chilecebus possui sete pares de dobras, sugerindo uma organização cerebral complexa para um cérebro tão antigo.

O estudo foi feito por pesquisadores do Museu Americano de História Natural, da Academia Chinesa de Ciências e da Universidade da Califórnia.

Eles submeteram o crânio a uma varredura de alta resolução de tomografia computadorizada, que incluiu uma modelagem em 3D do seu interior. (vídeo abaixo).

Nos atuais primatas, os tamanhos dos centros visual e olfativo estão inversamente correlacionados.

Isso significa que primatas símios com boa visão não possuem um olfato tão bom, havendo certa desproporção.

O Chilecebus surpreende porque tanto a visão como o olfato não estão bem desenvolvidos, inexistindo, portando, uma compensação entre um e outro.

Essa constatação levanta a tese de que a evolução dos centros visuais dos primatas não dependentes dos centros olfativos e vice-versa, diferentemente do que muitos cientistas acreditam.

Os estudiosos acentuam que nem sempre o volume do cérebro dos primatas antropoides aumentou. Em alguns momentos da história da evolução ele pode ter diminuído, para voltar a crescer.


Varredura de alta resolução
do fóssil encontrado nos
Andes na década de 1990

Com informação da Science Advances.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Santuário de Aparecida inaugura mosaicos de padre suspeito de abuso sexual

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão