Prefeito de Jundiaí exonera pastor contratado para hospital

Pedro Bigardi
Bigardi  agiu em defesa
da laicidade do Estado
O prefeito Pedro Bigardi (foto), de Jundiaí (SP), demitiu o auxiliar administrativo José Adilson Telles depois que um jornal da cidade divulgou que o funcionário, que é pastor, estava ganhando cerca de R$ 2.500 para dar aconselhamento espiritual no hospital São Vicente de Paulo.

Jundiaí tem mais de 370 mil habitantes e fica a 60 km de São Paulo.

Bigardi, que é do PCdoB, reconheceu que muitos pacientes precisam de uma assistência espiritual, mas, acrescentou, a prefeitura não pode contratar um pastor para tal demanda porque o Estado brasileiro é laico.

Ele disse que as portas do hospital estão abertas para os religiosos que desejarem dar um conforto espiritual aos pacientes, mas tem de ser um trabalho voluntário, sem pagamento.

O padre Jorge Demarchi não ganha nada da prefeitura para cuidar da capela do hospital. É a Arquidiocese de Jundiaí que dá ajuda de custo de R$ 700.

Quem contratou o pastor foi o secretário e médico Cláudio Miranda (da Saúde), na foto abaixo, sob a alegação de que o hospital tem a necessidade de conselheiros espirituais de outros credos.

Uma petição criada na internet contra contratação do pastor argumentou que, se Miranda está de fato preocupado em acabar com o exclusivismo católico, ele deveria, sem nenhum custo, convidar religiosos das várias crenças praticadas no país, e não apenas um sacerdote evangélico.

Cláudio Miranda
Miranda contratou pastor
para ter votos evangélicos
Na página do Facebook de Miranda, algumas pessoas manifestaram repúdio à contratação do pastor.

Rita Corroul, por exemplo, escreveu: “O senhor está longe de ser aquele dr. Cláudio que eu conheci antes de ser político. Pagar pastor pra dar benção em hospital municipal é o fim dos tempos! Ridículo.”

Miranda já foi candidato a prefeito e, de acordo com seus adversários, ele contratou o pastor para obter votos dos evangélicos nas próximas eleições.

O vereador Rafael Antonucci (PSDB) disse que Miranda deveria gastar recursos para resolver o problema da falta de leitos no hospital, e não contratar um pastor.





Com informação do TerraFacebook e petição pública, entre outras fontes.

Hospital proíbe orações de evangélicos nos corredores
janeiro de 2012


Comentários

  1. Cadê o Ministério Público?
    O Miranda tem que devolver o dinheiro.
    Fez errado, que pague!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao prefeito por tomar uma atitude correta, pois religiosos devem praticar suas crenças nas igrejas e não em local que trata da saúde por meios científicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior, além de quererem lotear o espaço público, ainda querem receber do estado pra isso!

      Excluir
  3. Paulo Lopes, por favor
    divulgue isso

    http://portugues.christianpost.com/news/conversao-de-suzane-richthofen-a-pastora-evangelica-choca-o-pais-e-gera-debate-nas-redes-12014/

    ResponderExcluir
  4. "Bigardi agiu em defesa
    da laicidade do Estado"


    Quem deu o veredicto e fez esta afirmação?
    Sim, pois quanto às citações homofóbicas e racistas do Marco Feliciano, este jornalista não faz afirmações, apenas cita que "são tidas como racistas" e "são tidas como homofóbicas", mas quem as têm como racistas e homofóbicas? Por que este jornalista não tem coragem de afirmar que tais declarações são racistas e são homofóbicas?

    Venho reparando que sempre que alguém pratica homofobia, as matérias do blog timidamente anunciam como ações "tidas como" ou "consideradas" homofóbicas, diferente do que ocorre quando alguém infringe a laicidade do estado, mesmo diante de grande polêmica e impasse de julgamento popular!

    Essa seletividade está longe de ser "tida como" imparcialidade jornalística. Está muito mais para covardia jornalística, tão comum entre os jornalistas "tidos como; considerados" profissionais no Brasil.

    Se não quiser publicar o comentário não tem problema, já que a minha intenção não é propagandear críticas ao seu trabalho, mas somente deixar essa observação direcionada exclusivamente a você.

    Obrigado pela atenção!

    ResponderExcluir
  5. tem que tomar uma atitude séria a favor do estado laico, e o religioso que não faz nada por ninguém não está acima da lei . O crente puxa saco de pastor que não faz nada pela humanidade e nem por ele que é fiel , o pastor só é um tagarela bíblico que não faz nada pela humanidade e ainda assim fica com todo o dinheiro dos trouxas.

    ResponderExcluir
  6. é f***. Em cada canto há um espertinho pra roubar dinheiro dos trouxas...

    ResponderExcluir
  7. Essa é a moda do momento. Quer ganhar a próxima eleição?
    Puxe o saco dos evangélicos. Faça algo que eles gostam. Puxe a brasa para a sardinha deles. Ataque os gays.
    Votos garantidos, do rebanho inteiro.

    E aí vem a pior parte. Se alguém for contra e tentar fazer valer a lei, estará arriscando perder a próxima eleição, porque aí os crentes não vão votar no sujeito. É por isso que a Dilma não diz nada com relação ao Feliciano, se ela disser um "ai" em relação a ele, todos os crentes vão votar no adversário e, lógico, não tem como ganhar assim. Aí, mesmo que a merda seja óbvia, seja ilegal, seja o que for, ninguém vai querer arriscar e deixa como está. Vitória dos crentes.

    Agradar crentes é a principal forma de manipular resultados de eleições, atualmente. Se politicagem já era ridícula antes, agora atingiu níveis que nem consigo descrever.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Israel Chaves, você disse tudo!

      Excluir
    2. Desde que eu me conheço por gente, a religião sempre decidiu as eleições em terras brasileiras, infelizmente. Diga algo contrário e perderá muitos votos. Peguemos a Dilma, por exemplo, ela é favorável ao aborto, mas na hora das eleições, essa comunista, chega a frequentar a igreja católica, ou seja, se ela falar que é favorável ao aborto, abertamente, ela perderá muitos votos. E ainda tem a cara de pau de se aproximar dos protestantes, para que assim ela possa auferir votos das duas principais comunidades cristãs brasileiras.

      Portanto, eu concordo plenamente, essas eleições já viraram piada faz tempo.

      Excluir
    3. Por isso sou contra esse sistema de eleições diretas no Brasil.

      Excluir
    4. Eu vi um alento quando o Malafaia quebrou a cara em sua tentativa de manipulação nas eleiçõres prsidenciais, e alento maior ainda quando o Haddad deu uma 'rasteira' tanto no Serra (apoiado pela crentalha - a banda podre do protestantismo) quanto no Russomanno (vexame maior ainda para o candidato, tido como favorito e passado para trás até pelo tucano). Dilma devia 'pagar pra ver', dar uma escorraçada nesse Feliciano e em toda a crentalhada chantagista. Afinal, os votos dos católicos, umbandistas, ateus, judeus, espíritas, etc. somam mais de 70% da população. São Paulo no ano passado foi um bom exemplo disso.

      Ruggero

      Excluir
    5. Tem razão Ruggero, e digo mais, sou repórter de política e acompanho as eleições desde sempre. A maioria dos evangélicos jamais votou na Dilma ou no PT. A maior congressão evangélica do Brasil, A Assembléia de Deus, aquela que relamente detém muitos votos, em todas as eleições se alinhou com o PSDB, e eles perderam. Acredito que a aliança do PT com a Universal tem mais a ver com a TV Record, do que com a religião, para não se ficarem isolados na mídia televisiva, já que canais como a Band e a Globo estão alinhados com a oposição.

      A maioria dos analistas da area e alguns dirigentes partidários com quem conversei, apontam que a aliança com o PSC é encarada como de alto custo pelo PT nas próximas eleições, e eles não vão brigar só por uns minutinhos a mais na propaganda eleitoral. E a turma do PSDB tem pensamento semelhante, talvez os minutinhos a mais que o PSC dê na propaganda não valham a pena, porque fechar com o feliciano garante o voto de milhares, mas pode fazer perder o voto de milhoes.

      Os caras se isolaram politicamente. Agora fica a pergunta se não hão de despotar como uma espécie de partido nazievanvélico nas próximas eleições, se tornando a opção politica real dos talecrentes. Gente querendo que Feliciano venha para presidente não falta...

      Excluir
    6. Capaz do PSC se unir de vez com o PP do Jair Bolsonaro.

      Excluir
  8. Boa a iniciativa do prefeito em acabar com a contratação do pastor. Agora é pegar o que já foi pago de volta do Miranda, acrescentar ao deperdício que ainda seria feito e investir no hospital. É isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Clayton...

      Excluir
    2. Pegar de volta é "perseguição religiosa"...

      Excluir
  9. Nossa a cada dia surge uma nova afronta ao estado laico, a justiça e a cidadania. Nunca estamos em paz contra estes ataques. Outra vez via a abertura de vagas de concurso público para padres e pastores para "trabalharem" no exército brasileiro. Como isso pode ser possível? É como no caso acima, quer dar conselho espiritual, realizar cultos com os soldados (de maneira facultativa é claro), faça, mas sem salário e sem ser um "trabalhador" da corporação. É o fim da picada mesmo.

    ResponderExcluir
  10. contagem regressiva para as olavetes e reinaldetes reclamarem que o prefeito "comunista malvado" está perseguindo a religião...

    ResponderExcluir
  11. isto é mentira de que evangélicos pode ameaçar uma candidatura presidencial , por isso mesmo que eles nem se importam e deixam o circo pegar fogo , eles não são unidos e para fazer um barulhinho pra conseguir quem sabe talvez 3 ou 5 milhões de votos eles teriam que transformar a igreja em palanque político..

    ResponderExcluir
  12. marco feliciano fez uma campanha pra ganhar uma pesquisa na internet , ele perdeu feio , o que significa que eles não tem tanta força quanto eles acreditam que tem, os ciêntistas político dos partido não são otarios eles sabem disso..

    ResponderExcluir
  13. eu não sei porque religiosos coloca tanta esperança na política, será que eles acreditam que um presidente vai oprimir os gays e impedir eles de se casarem ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles acreditam que uma mulher-costela foi enganada por uma cobra falante e... Deu para entender.
      Perto disso, acreditar que um presidente que vai colocar em prática o que o pastor deles diz na igreja não é nem um pouco estranho.

      Excluir
  14. É crentalhada.

    A casa de vocês está caindo.

    E isso vai acontecer mais rápido do que vocês imaginam.

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir
  15. MALDITO JOGO DE INTERESSES!

    Como alguns já disseram acima, é lamentável que a politicagem tenha atingido esses níveis, e que hoje em dia os políticos façam qualquer coisa para agradar os evangelibãs visando não perder votos.

    Bigardi está de parabéns, embora eu não seja simpático com comunismo. Também vale a pena mencionar que ele, Bigardi, e outros de seu partido, deveria começar a impedir que evangelibãs se infiltrem no PC do B para depois irem legislar em favor da FPE ou BANCADA TEOCRÁTICA. Bigardi e o PC do B deveriam fazer um projeto de lei para impedir que evangelibãs, catolicalibãs, ruralistas, e outros grupos, se infiltrem em praticamente todos os partidos para depois formarem BANCADAS. Bancadas são um golpe na democracia porque não são partidos legalizados, o povo não vota em seus projetos e programas diretamente. Ou seja, BANCADAS são um 'golpe branco' na democracia. A pessoa vota no candidato do partido X e no programa do partido que ele está inserido, mas depois de eleito o sujeito vai legislar em favor de programas evangélicos, católicos, ruralistas, etc. através das tais BANCADAS. Se bem que, no momento, católicos e evangélicos estão juntos na FPE ou BANCADA TEOCRÁTICA.

    Absurdo, e um atentado a democracia e a dignidade do povo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rem razão rubim, evangélico não tem ideologia, tem interesse. Dá pra notar que os interesses teocraticos não são representados somente por vereadores, deputados e senadores do PSC e PR, mas também por políticos do PTB, PSDB, PMDB e até do PT!

      Evangélico não é de esquerda ou de direita, ele está do lado do poder! Não importa qual o partido político da nossa preferência, temos que lembrar que votar em evangélico é votar contra o Brasil!

      Excluir
  16. acho que os políticos desse país enlouqueceram! Hospício neles!

    ResponderExcluir
  17. Que coisa vergonhosa, essa pastorzada! Claro, há exceções - eu mesmo, conheço um pastor que é ótima pessoa e vive sem ostentação alguma. Mas parece que proliferam feito praga esses parasitas da fé: R$ 2.500,00 para 'assistência espiritual'??? Que p... negócio virou a religião, hein! Imagine se os Doutores da Alegria cobrassem pelo espetacular trabalho que fazem?! Ou os ateus da outra matéria postada aqui, no blog, cobrassem para ir à favela entregar doações?!

    Para o prefeito merecer uma nota 10, só falta destituir o tal Miranda do cargo de Secretário e fazer o pastor devolver o dinheiro.

    Ruggero

    ResponderExcluir


  18. Isso sim que é fazer bem ao próximo ou seja ele mesmo. Bem afinal ele é evangélico>

    VOU LANÇAR UM BORDÃO, UM SLOGAN. ORA OS EVANJEGUES MENTEM ROUBAM HÁ PASTORES PEDÓFILOS PORQUE
    AFINAL ELES SÃO EVANGÉLICOS. PORTANTO QUANDO ALGUÉM DIZER QUE É EVANGÉLICO CUIDADO.

    ResponderExcluir
  19. :) ficou muito bonito o post, Paulo.

    No JJ, Jornal de Jundiaí, ainda há referências sobre o caso. Numa das matérias posteriores, pelo que entendi no JJ, o tal secretário também é evangélico, mas não confirmei a informação em outras fontes.

    O Bigardi agiu muito rápido e de maneira muito serena. Não se observa grandes sequelas que possam arranhar a carreira política dele. E olhe que a cidade é de forte colonização italiana, muito católica. Tanto que foi de lá que tirei aquela notícia de Associação de Psicólogos Cristãos e que tem filiais e filiados até aqui em Floripa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site