Pular para o conteúdo principal

Filhos de imigrantes muçulmanos querem tirar a cruz da bandeira suíça


'Imigrantes de segunda
 geração' argumentam
que o Estado é laico

Filhos de imigrantes muçulmanos na Suíça querem que o governo tire a cruz (um símbolo cristão) da bandeira nacional porque, dizem, é incompatível com um país multicultural.

O jornal suíço Aargauer Zeitung informou que esses “imigrantes de segunda geração” estão pressionando o governo com o argumento de que o Estado é laico e que, portanto, a bandeira do país tem de ser neutra.

A Suíça tem 7,8 milhões de habitantes, menos, portanto, do que a população da Grande São Paulo. É um dos países mais ricos do mundo.

Apesar da cruz em sua bandeira, que também está no escudo nacional, os suíços estão entre os povos menos religiosos do mundo.

De acordo com um estudo recente, a Suíça é um dos nove países onde a religião está em extinção.

Com informação do Aargauer Zeitung.


Conselho Islâmico da Suíça faz defesa de circuncisão em meninas

Sem religião da Suíça saltam de 11,4% para 24,9% em 16 anos




Ateus suíços querem vetar Bíblia às crianças por ser cruel

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

  1. Mas isso não é uma cruz, é um sinal de positivo... Pra ser uma cruz teria que ter a "perna" mais comprida - extremamente pedante, eu sei...


    Inclina 45º e faz um X então :/

    ResponderExcluir
  2. Queria ver ser macho para mandar tirar o crescente dos paises muculmanos.

    ResponderExcluir
  3. Pois é. Eles vão pondo o pé e testando a firmeza do chão. Se o chão está firme, eles pisam. Se formos deixando, logo eles obtem tudo o que querem. E o que eles querem é a Eurábia.

    ResponderExcluir
  4. P.S. - Esta bandeira da foto não é a da Suíça, mas a da Ordem Soberana e Militar de Malta (ou alguma outra). A bandeira da Suíça é quadrada. Pelo menos a bandeira suíça oficial.

    ResponderExcluir
  5. Aí está a ignorância e o fanátismo. Primeiro que nem é uma cruz é um sinal médico. E segundo é o símbolo do país. Por causa dos fanáticos, de qualquer religião, é que o mundo está desta forma.
    Jonas Alves
    potialves@ig.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu também não acho que seja uma cruz. De qualquer forma eu acho isso ridículo. Mas se eles estão se incomodando com isso...apenas duvido que conseguirão.

    ResponderExcluir
  7. Você está certo, Gouvêa. A bandeira da Suíça é quadrada. Troquei a ilustração.

    ResponderExcluir
  8. Pois é... Não é pelo laicismo que estão lutando, é contra o cristianismo, porque se fosse um símbolo muçulmano ninguém diria nada. Sendo assim, essa reivindicação não é válida, pois estão sendo tendenciosos e fazendo barulho pelos motivos errados.
    Acho essa briga exagero. Seria como querermos mudar os nomes de São Paulo, Santa Catarina, etc... É referência católica, mas dane-se... Ninguém vai virar católico por causa do nome do estado ou algo assim, além de que isso já é parte da identidade dos locais, ninguém nem lembra do porquê os nomes serem esses. É diferente de, por exemplo, símbolos católicos em repartições públicas ou a frase "deus seja louvado" nas notas de real, que são coisas facilmente colocáveis e tiráveis, disso sim pode-se (e deve-se) reclamar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois eu posso, mas não tenho o menor interesse em reclamar disso. Porque não fará a menor diferença na minha vida. Na minha cidade tem um totem dizendo: "Mauá é do senhor Jesus", disso sim eu reclamo. Pra começo de conversa, o totem foi construído com dinheiro público, portanto o meu (e de todos) dinheiro, e isto realmente significa algo.
      Mas esta frase na cédula?! Não me acrescenta, nem tira nada. E parodiando o seu comentário; não vou virar católico só por pegar dinheiro com esta frase.

      Excluir
  9. Isso tá mais pra um + do que para uma cruz. A linha vertical da cruz é mais longa que a linha horizontal.

    Mas essa paranóia com cruzes e outros símbolos religiosos já tá enchendo o saco. Somos seculares, mas não somos caretas (ao contrário de certos crentes lunáticos)

    ResponderExcluir
  10. Esse religiosos, são mesmo loucos !!
    Alterar o simbolo nacional, apenas pq eles querem é ridículo demais....

    ResponderExcluir
  11. Quero so ver se eles tem coragem de pedirem aos seus paises de origem pra retirarem as meia-luas das bandeiras.

    ResponderExcluir
  12. Os suiços vao mandar esses muçulmanos tomarem naquele lugar. Isso so vai acirrar os animos, e os muçulmanos serao mal-vistos e nao serao mais bem-vindos.

    ResponderExcluir
  13. Com muçulmanos tem de se ter todo cuidado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o cuidado em questão for atirar duas vezes para ter certeza de que matou, está certo...

      Excluir
  14. Daqui a pouco surge um cristão fundamentalista louco e bem armado, numa colônia de férias de filhos de imigrantes muçulmanos e tenta convencê-los de que o problema não é a cruz nem a bandeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa nem ser cristão. Qualquer suíço que já estiver de saco cheio dessa palhaçada...

      Excluir
  15. Não custa lembrar que recentemente os suíços aprovaram uma lei proibindo a construção de minaretes no país, alegando que embora haja liberdade de culto, a função do minarete (chamar os outros para a oração) é um desrespeito ao direito alheio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A função dos minaretes acaba sendo uma demonstração de poder político mais do que qualquer coisa, como se um padre e um sheik arriassem as calças para ver quem tem o c****** mais comprido.

      Excluir
  16. Acho que uma bandeira totalmente vermelha seria muito sem graça. *trollface*

    ResponderExcluir
  17. Que moral tem esses imigrantes para exigirem a mudança da bandeira? Isso ainda vai dar problema em todo o mundo. Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Por que eles não voltam para aqueles lugares onde tem uma luazinha na bandeira e ficam contentes?

    ResponderExcluir
  19. Nisso que dá fundamentalismo religioso, não é só cego mas surdo também.

    ResponderExcluir
  20. Não tem nada de laicismo nessa reivindicação. Nas entrelinhas, eles não querem uma referência ao cristianismo. E digo mais, se não fosse pegar tão mal, eles iam sugerir colocar o crescente ali no cantinho superior esquerdo, 'só pra não deixar toda vermelha', claro.

    ResponderExcluir
  21. Surreal, esse muculmanos estao crescendo e querem dominar a Europa. Os europeus independentemente de serem religiosos ou laicos devem se unir contra esses fundamentalistas muculmanos.

    ResponderExcluir
  22. Agora mexa com eles no país dele e ve se sai vivo,doidos kkk

    ResponderExcluir
  23. Ok, então os cristãos podem exigir que retirem a Lua Crescente e a estrela (simbolos da religião muçulmana) de todas as outras bandeiras de países.

    Que puta falta do que fazer viu, vai carpir um lote, cambada de desocupados.

    ResponderExcluir
  24. Como eu vejo, um ateu pode ser tão preconceituoso e mal informado quanto qualquer crente. Então eles são fanáticos porque vieram de famílias muçulmanas? Quantos católicos existem no Brasil que nunca entraram em uma igreja? Vocês acham mesmo que entre os muçulmanos seria diferente?
    Aqui no Brasil querem tirar a frase: "Deus seja louvado" das cédulas, mas na Suiça isso não seria correto, porque está sendo pedido por descendentes de muçulmanos?
    E o crescente não é um símbolo islâmico, é um símbolo do Império Bizantino adotado pelo Império Otomano, em um caso clássico de aculturação. E podem perceber que nem todos os países de maioria muçulmana o utilizam.
    Achei curiosos os comentários que dizem para os descendentes de imigrantes voltarem para os países de origem. Isto está sendo dito por brasileiros, cuja maioria da população é de origem estrangeira (européia e africana).

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Relatório denuncia a Igreja Católica pelos 'cruéis e falsos ensinamentos' sobre a homossexualidade

Vereador critica repasse de verba às igrejas. E é acusado pela bancada evangélica de 'intolerante'