Ateu desafia cristão a explicar por que Deus permite o mal

O filósofo ateu americano Alex Rosenberg (foto), 67, disse que se tornaria cristão se o teólogo William Lane Craig (na foto abaixo), 64, desse uma explicação razoável por que Deus permite a existência do mal.

Alex Rosenberg
Rosenberg: por que
 um deus benevolente 
permite a crueldade?
O desafio foi feito durante o debate “A fé em Deus é razoável?” de 90 minutos na Universidade de Purdue, em West Lafayte, Indiana (EUA), com transmissão on-line e patrocínio de uma organização cristã.

Rosenberg pediu que Craig desse uma explicação lógica e coerente sobre como um deus benevolente e onipotente pode ter permitido horrores como o Holocausto, Guerra Mundial e peste bubônica.

“Até agora, ninguém foi capaz de dar uma explicação convincente”, disse Rosenberg.

Craig respondeu que, na visão cristã, é falsa a suposição de que o propósito de Deus é apenas tornar as pessoas felizes nesta vida.

Ele argumentou que o objetivo da vida não é garantir a felicidade às pessoas neste mundo, mas obter o conhecimento sobre o transcendente. “Existem muitos males que aparentemente são sem sentido, mas eles não são inúteis no que diz respeito à produção de conhecimento sobre Deus e a salvação eterna.”

Rosenberg é professor de filosofia da Universidade de Duke e escreveu The Atheist's Guide to Reality: Enjoying Life without Illusions, entre outros livros.

Ele costuma dizer que o universo não tem nenhum propósito e que a vida não tem significado. Para ele, a vida é “sorte” de que está vivo e não há nenhuma diferença entre o bem e o mal e que as pessoas procuram ser boas para com as outras porque isso as faz sentirem bem.

William Lane Craig
Craig: sofrimento é
útil para conhecer Deus
Craig é um americano defensor do criacionismo que se notabilizou como polemista ao participar de debates, principalmente com ateus. Chegou a chamar o cientista Richard Dawkins de “covarde” por se recusar a um debate. Ele é admirado pelos cristãos mais intelectualizados.

Aparentemente, os cristãos eram maioria na plateia do auditório da universidade e na audiência on-line, porque uma votação deu Craig como vitorioso no debate.

O apologista Lee Strobel afirmou ao Christian Post que já esperava a vitória de Craig, porque o cristão contou com a vantagem de ter “a verdade do seu lado”.

Quanto a Rosenberg, ele saiu do debate tão ateu como entrou, porque não aceitou a explicação de Craig sobre por que o Deus cristão tem sido tão condescendente em relação ao sofrimento humano.


Com informação do Christian Post.





Filósofo cristão chama ateu de ‘covarde’ por recusar debate
junho de 2011