Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

'Psicóloga cristã' avisa CRP que manterá em blogs a sua fé

Profissional radicaliza e mantém o impasse
A psicóloga Marisa Lobo enviou hoje (24) uma carta protocolada ao CRP (Conselho Regional de Psicologia) do Paraná avisando que não vai “cumprir a determinação” para que retire de seus endereços na internet afirmações que vinculem a psicologia a sua fé cristã. Disse que não modificará “absolutamente nada”.

No começo deste mês, o CRP deu à psicóloga 30 dias para que apagasse esse tipo de vinculação, porque o código de ética da profissão impede qualquer tipo de associação com crenças religiosas ou ideologias políticas. Como sanção, no caso de desobediência, poderá haver até cassação do registro profissional dela.

“Não retirarei nada das minhas redes sociais pois retirar uma palavra de minhas convicções, que são bíblicas, implica negar em público meu Deus e a Bíblia sagrada”, disse.

Ela afirmou que se sente “humilhada” pela perseguição religiosa do CRP e de seus denunciantes e citou o artigo da Constituição que assegura a consciência de crença e liberdade de cultos. Também mencionou a Declaração Universal dos Direitos Humanos e dois trechos bíblicos. Um deles é Mc. 16:15 (“Ide por todo mundo, pregai o evangelho a toda criatura”).

“Nosso Brasil é laico, porém não ateu”, escreveu. “E quando me tiram o direito de me dizer uma profissional que tem uma fé e de externá-la, estão tolhendo meu direito.”

Marisa Lobo, especializada em dependentes químicos, afirmou na carta que em 15 anos de exercício na profissão nunca houve reclamação de paciente contra ela sobre pregação religiosa.

Disse que no consultório não induz ninguém a aderir às suas convicções religiosas, mas afirmou  acreditar que só a psicologia é insuficiente para curar dependência química, havendo a necessidade de Deus. Tanto que, reconheceu, tem indicado a seus pacientes e família entidades religiosas “como complemento de tratamento terapêutico”.

Ela já tinha antecipado que não se submeteria à determinação do CRP ao escrever no Twitter “Quero ver se tem macho para me cassar”.

Marisa encerrou a carta dizendo que o Conselho tome a decisão que lhe convier e informou que vai lutar pelos seus direitos.

Com informação do blog da Marisa Lobo

Ninguém pode usar a psicologia para endossar ideias religiosas.
por Valdo em fevereiro de 2012

Caso Marisa Lobo.   Fanatismo religioso.   Ciência versus religião.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...