Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo secularização

Pesquisa revela que asiáticos estão abandonando suas religiões

Igrejas católicas alemãs estão sendo derrubadas. É a demolição da própria religião

6 de cada 10 italianos de 30 anos não acreditam em Deus. A Igreja Católica tem salvação?

Humanistas, ateus e espirituais se tornam capelães nos EUA: líderes religiosos sem religião

No Chile, 30% da população estão no grupo dos sem religião, agnósticos e ateus

Envelhecimento de fiéis e falta de pastores ameaçam futuro das igrejas evangélicas dos EUA

Berço do cristianismo, Itália torna-se pós-cristã, mostra estudo

Maioria dos franceses não crê em Deus, aponta pesquisa on-line

Só 8% dos católicos do Brasil vão à missa. Índice baixíssimo

Os deuses deixaram de fazer sentido no século 21

Adivinhe quem está com imagem desgastada nos EUA? Jesus

Os sem religião já representam 35% da população do Canadá

Como vai evoluir a secularização dos EUA até 2070? Quatro possibilidades

Pesquisa confirma declínio da religiosidade na Argentina

Quase um em cada cinco argentinos não está afiliado a nenhuma crença religiosa SÉRGIO RUBIN jornalista argentino É de se perguntar se um mundo e um país menos religiosos seriam melhores ou piores. A Argentina será melhor ou pior na medida em que prescinde cada vez mais de Deus, de um deus? A década revolucionária dos anos 60 deu lugar a um processo de enormes transformações culturais no mundo. As religiões não escaparam de tal abalo. O questionamento das crenças passou a ser a ordem do dia nas mãos de uma sociedade que apostava mais na razão e no desenvolvimento científico, satisfazendo-se à medida que alcançava maior bem-estar econômico. E que preferia ver o trabalho religioso relegado ao interior do templo, sem projeção na vida pública (o que se chama laicismo), atitude em certos casos como reação a uma invasão indevida dos religiosos no campo civil. Em um artigo recente no jornal Clarín, a prestigiosa socióloga argentina Marita Carballo — presidente da consultoria de opinião Voices

Igrejas na Alemanha perdem fiéis em ritmo acelerado

Pesquisador diz não ser mais normal pertencer a uma das duas grandes igrejas, a Católica e a Evangélica RELIGIÓN DIGITAL Em 2021, 51% dos alemães pertenciam à Igreja Católica ou à Igreja Evangélica. Em 1990, 72% eram membros de uma das duas grandes igrejas. Além da morte de paroquianos, as Igrejas tiveram que enfrentar inúmeros pedidos de demissão nos últimos anos, no caso da Igreja Católica, em grande parte relacionados aos escândalos de abuso de menores por parte de clérigos. Entre 1950 e 1989 o número de membros da Igreja Evangélica caiu na antiga RDA  [Alemanha Oriental] de 15 para 4 milhões. O número de católicos caiu pela metade para cerca de 1 milhão. Menos da metade dos alemães pertence a uma das duas grandes Igrejas, a Igreja Católica ou a Igreja Evangélica, de acordo com um estudo do Grupo de Pesquisa Worldview na Alemanha (Fowid). "Esta é uma virada histórica, não é mais normal pertencer a uma das duas grandes igrejas da Alemanha", disse um dos autores do estudo, C

Secularização dos EUA é a terceira onda de livres-pensadores, diz livro

Afastamento dogmatismo religioso terá profundas implicações na sociedade americana Os primeiros livres-pensadores foram obviamente os desde sempre — trata-se de uma longa história de um bloco de pensamentos que nem sempre foi devidamente estudado. Mais recentemente os "novos ateus" (Christopher Hitchens, Richard Dawkins e outros) acrescentaram ou fortaleceram uma perspectiva fortemente antirreligiosa ao livre-pensamento. Agora, com o avanço da secularização nos Estados Unidos, está ocorrendo, para alguns observadores, a terceira onda de livres-pensadores. O fenômeno é tão amplo que muitos americanos participam ativamente dessa onda sem saber, de acordo com autores de livros. A própria definição vigente de "secularização" está sendo questionada porque ela não dá conta do que ocorre. Para Jacques Berlinerblau, autor de “ Secularism: The Basics ” e professor na Universidade de Georgetown, os americanos estão se tornando menos religiosos, mas o governo e os tribunais

Com fechamento de 400 templos em uma década, Igreja da Inglaterra ruma para o fim

Congregações não conseguem atrair os jovens De 2010 a 2019, as dioceses da Igreja da Inglaterra fecharam 423 templos por falta de fiéis. Na palavra do reverendíssimo Andrew Nunn, reitor da Catedral de Southwark, a perspectiva é "chocante" porque está em questão o futuro da Igreja. O número de fechamento de templos corresponde às previsões mais pessimistas da cúpula da igreja, a de que essa ramificação do cristianismo poderá ser extinta  nos próximos anos 20 anos .  As congregações não estão atraindo novos fiéis e a idade média de quem as frequenta é alta, de idosos. Os esforços que a cúpula faz para alterar essa situação não apresentam resultados. Uma igreja chegou a permitir que se instalasse sob sua nava um jogo de golfe, para atrais os jovens. As dioceses de Durham e Manchester tiveram o maior número de templos fechados agora possuem 15% do que havia em 1987. Canterbury é uma das apenas três dioceses que apresentaram aumento de templos, de 10,8%. Até 2019, as 43 dioceses

Igreja de 221 anos fecha nos EUA por falta de fiéis; avanço da secularização

Todo ano fecham milhares de igrejas A Primeira Igreja Presbiteriana de Bellefonte (Pensilvânia, EUA) celebrou nas vésperas de Natal o seu último culto. Por falta de fiéis, a igreja de 221 anos teve de encerrar suas atividades. A coleta de dízimo não dava para a manutenção do imenso templo. Igreja fundada em 1800 Antes da pandemia, a igreja tinha 40 frequentadores e depois caiu para 25. Não dá para encher sequer uma capela Quando ela foi aberta pelos fundadores da comunidade de Bellefonte, os Estados Unidos eram divididos em apenas 16 estados. O fechamento do templo histórico é mais um registro de que a sociedade americana segue acelerada rumo à secularização. Somente em 2018, entre 6 mil a 10 mil igrejas foram fechadas, de acordo com estimativa da LifeWay Christian Resources. Outra pesquisa, da Pew Research Center, registrou em 2021 que o número de cristãos dos Estados Unidos caiu para 63%, contra 78% em 2007. As religiões fundamentalistas estão resistindo e tendem a sobreviver como ca

Em uma década, 100 mil católicos da Itália pediram para serem 'desbatizados'

Reação ao conservadorismo da Igreja Desde seu lançamento na internet em 2010 por uma associação de ateus da Itália, o formulário de 'desbatismo' da Igreja Católico foi preenchido por 100.000 pessoas.  Roberto Grendene, secretário-Geral da UAAR (União de Ateus e Agnósticos Racionalistas) afirma que tal adesão deve-se muito mais ao conservadorismo da Igreja do que à campanha ateísta. Muitos católicos não conseguem ficar indiferentes ao reacionarismo politicamente ativo da Igreja e protestam anunciando o desligamento da instituição. Os acessos ao site da UAAR aumentam sempre que o Vaticano gera uma polêmica, informa Grandene. Em dois dias de junho de 2021, por exemplo, a média diária de tráfico subiu de 120 para mais de 6.000. A Igreja da Itália não informa o número de pedidos de desbatismo' que recebeu nos últimos anos, até porque, pelo direito canônico, o fiel não pode renunciar a esse sacramento. O reverendo Daniele Mombelli, professor na Universidade Católica Sagrado Coraç

No Canadá, pela primeira vez número de afiliados às religiões fica abaixo de 70%

Um novo relatório do Escritório Nacional de Estatísticas