Pular para o conteúdo principal

As bactérias do intestino podem melhorar o humor, mostra estudo

Os alimentos fermentados, como o iogurte, pode combater o estresse, além de proporcionar benefícios para a saúde e bem-estar


Andrea Mercak
pós-doutorado em Neurociências, Universidade da Flórida, EUA

The Conversation
plataforma de informação e análise produzida por acadêmicos e jornalistas

Os probióticos têm recebido muita atenção recentemente. Essas bactérias, que podem ser consumidas a partir de alimentos fermentados, iogurte ou mesmo comprimidos, estão associadas a uma série de benefícios para a saúde e o bem-estar, incluindo a redução de problemas gastrointestinais, infecções do trato urinário e eczema. Mas eles também podem melhorar o seu humor?

Comportamento e saúde mental são complicados. Mas a resposta curta, de acordo com a pesquisa publicada recentemente pela minha equipe, é provavelmente sim.

Experiências com ratos
constatou que a microbiota
intestinal desempenha
papel na regulação do estresse

As bactérias benéficas dos probióticos tornam-se parte de uma comunidade de outros organismos microscópicos que vivem no sistema digestivo, chamada microbioma intestinal. Seu microbioma intestinal contém trilhões de uma grande variedade de bactérias, fungos e vírus.

Centenas de espécies de bactérias são nativas do trato intestinal. Cada espécie pode ser dividida em centenas de cepas que também podem ser dramaticamente diferentes umas das outras em seu metabolismo, subprodutos e preferências ambientais.

Essa diversidade bacteriana é a razão pela qual nem todos os probióticos são construídos da mesma forma. Muitos grupos de pesquisa demonstraram que cepas específicas de Lactobacillus têm efeitos de melhoria do humor .

Mas estes efeitos parecem acontecer apenas com a mistura certa de bactérias nas condições certas. Por exemplo, um probiótico que pode reduzir os sintomas de estresse em alguém que está preocupado com o cálculo final pode não funcionar em alguém com sintomas de transtorno de estresse pós-traumático.

Humor em ratos

Em meu trabalho como neurocientista, estudo como o intestino influencia o cérebro. Minha equipe e eu conduzimos recentemente experimentos em ratos que apoiam a ideia de que a microbiota intestinal desempenha um papel na regulação do estresse.

Como se mede o humor dos ratos?

Primeiro, precisávamos entender como os ratos estressados ​​se comportam. Por isso, colocamos eles sob curtos períodos de stress. São contidos durante duas horas por dia, tendo espaço suficiente para se movimentarem, mas não o suficiente para se limparem ou ficarem de pé. 

Imaginamos isso como o mesmo tipo de estresse que as pessoas experimentam quando ficam confinadas a um carro ou a um cubículo por horas seguidas.

Ratos estressados ​​logo exibiram comportamentos semelhantes aos da depressão e da ansiedade, que medimos monitorando quanto tempo eles passaram escondidos quando colocados em um novo ambiente ou quão rapidamente eles tentaram se endireitar quando virados de cabeça para baixo.

Para ver se o comportamento estressado tem associação com o microbioma, usamos outro grupo de ratos totalmente limpos. Esses ratos estavam livres de bactérias, fungos ou vírus e viviam em uma bolha de borracha. Eles essencialmente não tinham nenhum microbioma.
Nós os expusemos ao cocô de ratos estressados ​​ou normais, espalhando roupas de cama sujas em seus recintos. Os micróbios dos ratos doadores começaram a povoar os microbiomas intestinais dos ratos limpos.

Dentro de algumas semanas, os ratos limpos expostos ao cocô de ratos estressados ​​começaram a desenvolver comportamentos semelhantes aos do estresse e da ansiedade, embora nada mais tivesse mudado. Enquanto isso, camundongos limpos expostos ao cocô de camundongos normais não apresentaram diferenças em seu comportamento. Esta descoberta sugere que os micróbios presentes nas fezes mudaram o comportamento dos ratos.

Quais bactérias afetam o humor?

Os resultados dos nossos experimentos nos levaram de volta à nossa questão original: quais bactérias podem mudar o seu humor?

Começamos comparando os micróbios nas fezes de camundongos estressados ​​e normais. Em nossa análise, descobrimos que um grupo de bactérias chamado Lactobacillus foi bastante reduzido nos camundongos estressados. A pesquisa já ligou esse grupo de bactérias à redução do estresse antes. No entanto, o Lactobacillus contém mais de 170 espécies diferentes e ainda mais cepas.

Atualmente, os suplementos probióticos disponíveis aos pacientes não são regulamentados e muitas vezes não são testados. Para fornecer com segurança as cepas mais eficazes aos pacientes, elas precisam ser testadas adequadamente. 

Tivemos, então, de encontrar uma maneira de testar como diferentes cepas afetam o comportamento ansioso. Lactobacillus são uma gama diversificada de bactérias que podem proporcionar benefícios potenciais à saúde das pessoas. Horst Neve/Max Rubner-Institut via Wikimedia Commons, CC BY-SA

Em vez de enfrentarmos esta tarefa colossal sozinhos, criámos um método que outros cientistas do microbioma também podem utilizar para observar este grupo de bactérias da forma mais sistemática possível.
Para recriar as mesmas condições experimentais para cada espécie de micróbio, criamos um grupo de camundongos com apenas seis espécies de bactérias em seu microbioma, o mínimo necessário para um desenvolvimento normal e saudável, que não incluía Lactobacillus. Dessa forma, poderíamos adicionar cepas individuais de Lactobacillus de volta ao microbioma intestinal dos camundongos e observar os efeitos de cada cepa em seu comportamento e biologia.

Testamos duas cepas até agora: Lactobacillus intestinalis ASF360 e Lactobacillus murinus ASF361. Os ratos com esss duas extirpes de Lactobacillus são mais resistentes ao stress e acalmaram as vias neurais associadas ao medo.

Qual é o próximo?

Nosso estudo sobre como diferentes cepas de Lactobacillus afetam o humor é apenas o começo. Esperamos que a nossa investigação abra caminhos para outros cientistas testarem diferentes probióticos.

Embora os investigadores cheguem a um consenso de que as bactérias no seu trato digestivo podem influenciar o seu humor, e vice-versa, ainda há muitos testes a serem feitos tanto em animais como em pessoas.

Nossa equipe está começando a desenvolver maneiras de testar sistematicamente quais bactérias podem proporcionar os melhores resultados de saúde nas pessoas e quais probióticos são mais eficazes. Enquanto isso, dê um pouco de amor aos Lactobacillus em seu intestino por meio de uma dieta saudável e rica em probióticos.

> Esse texto foi publicado originalmente em inglês.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Marcha para Jesus se tornou palanque para candidatos da extrema direita

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres