Polícia do Rio prende pastor que pedia a mulheres fotos delas seminuas

Religioso dizia ter especialidade em sexologia

A Polícia do Rio prendeu preventivamente na quinta-feira (16) o pastor Sérgio Amaral Brito, 59, por ser acusado de pedir a pelo menos cinco mulheres fotos em que elas estejam seminuas.

"[Ele] me pediu para que eu lar a ele fotos minhas de calcinha e sutiã", disse uma das mulheres.

"Disse que, se eu preferisse, poderia trazer uma lingerie na próxima consulta e mostrar em meu corpo."

Sem habilitação profissional, Brito dava consulta psicanalista, sexólogo e terapeuta em Magé, na Baixada Fluminense. Obtinha credibilidade das pacientes com sua condição de pastor.

Pelos depoimentos da mulheres, os abusos ocorreram nos últimos anos. Uma comerciantes, por exemplo, sofreu assédio em 2013.

A mulheres têm perfil semelhante. São morenas, cabelos longos e sofreram abuso quando tinham entre 16 e 27 anos.

Elas criaram um grupo do WhastApp para trocar informações. A expectativa da polícia é surjam mais denúncias.

Em um dos casos, o pastor conseguiu que os responsáveis por uma jovem orassem para que ele não voltassem a cometer abuso.

Pastor Brito foi denunciado
por cinco mulheres

> Com informação da Polícia do Rio de Janeiro e de outras fontes.

Polícia prende pastor por abuso de meninas 'a mando de Deus'