Ninguém mais acredita na Igreja, reconhece bispo católico da Alemanha

Queda do Império Romano

“Perdemos credibilidade. As pessoas não acreditam mais na Igreja, nos padres, nos bispos. Não só se tornou muito difícil para as pessoas acreditar na Igreja, mas também é difícil entender o que e se a Igreja ainda tem algo a dizer hoje na sociedade pós-moderna”.

A afirmação é de dom Franz-Josef Overbeck, bispo de Essen (Alemanha), ao dar uma entrevista sobre a decadência da Igreja Católica na Alemanha e no mundo, por causa principalmente dos padres pedófilos e, agora, da proibição do papa Francisco de benção aos casais homossexuais. 

Em 2010, a Alemanha entrou em estado de choque diante da eclosão de um escândalo de abusos sexuais de crianças na Igreja, com o acobertamento de toda a hierarquia, incluindo o Vaticano.

A Igreja Católica, que vinha declinando lentamente, abruptamente se viu diante da fuga de grande contingente de fiéis.

A percepção generalizada de que a Igreja está caminhando para a sua extinção deixa os clérigos graduados, como Overbeck, em alerta e desespero. E como estivesse ocorrendo a queda do Império Romano, agora espiritual, preconizada pela derrocada de Constantinopla

"O destino do sínodo [assembleia para discutir a situação] é desconhecido. Não sabemos o resultado da viagem, mas sabemos o próximo passo. Neste momento, estamos tentando juntos dar novas respostas às perguntas que as pessoas nos fazem", afirmou bispo de Essen.

Sobre as milhares de crianças violentadas, Overbeck apresentou uma mea-culpa: “Por muitos, muitos anos não as vimos, embora estivessem conosco o tempo todo”.

O que ele diz não é verdade porque os pedófilos da Igreja sabiam o tempo todo onde abordar as crianças. E, na Igreja, como está provado, todos fingiram que nada estava acontecendo,

O bispo admitiu que pelo menos na Europa "é possível falar de crise de consciência".

Europa está deixando de ser cristã

> Com informação do Religion Digital e de outras fontes.

Igreja Católica da Alemanha admite que freiras forneciam crianças a padres pedófilos


Jornal alemão levanta suspeita de que Bento 16 tenha protegido um molestador


Comentários