Pular para o conteúdo principal

Bispos católicos da Alemanha reconhecem que a Igreja foi ‘cúmplice’ do nazismo

Um relatório de 23 páginas da Conferência dos Bispos Católicos da Alemanha reconhece que a Igreja foi “cúmplice” dos crimes nazistas.

De acordo com pesquisas feitas em seus próprios documentos históricos, os bispos afirmam que a Igreja, primeiro, não se opôs à ascensão do nazismo e, depois, cooperou com Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial.

"Como os bispos não se opuseram à guerra com um sonoro ‘não’ (...) eles se tornaram cúmplices", diz o documento.


A cooperação com o nazismo foi tanta, que a Igreja converteu milhares de templos em hospitais militares e colocou freiras à disposição do Exército como enfermeiras.

Em 1937, o Vaticano condenou as leis raciais de Hitler, mas ainda assim os bispos da época deram “palavras de auxílio aos solados e ao regime”.

A Conferência dos Bispos admitiu, no relatório, não ter sido fácil julgar seus antecessores, “mas quem vem depois deve enfrentar a história para aprender com ela".

NÚNCIO CESARE ORSENIGO
COM ULRICH VON RIBBERNTROP,
MINISTRO DO EXTERIOR,
E HITLER



Com informação do New York Post e Sunday Times publicada no br.historyplay.tv.



Na última entrevista, Hitchens falou da relação Igreja-nazismo

Igreja evangélica regional alemã assume que apoiou o nazismo

Nazismo tirou proveito do ódio de Lutero aos judeus

Pastor luterano participou da matança de judeus, diz estudo




Comentários