Pular para o conteúdo principal

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

> JIM HAUGHT
Freedom From Religion Foundation

“O homem está, de certo, totalmente louco; ele não pode fazer um verme, mas faz deuses às dúzias.” — Michel de Montaigne (1533-1592), criador do ensaio.

Mas Montaigne foi modesto demais. Em vez de dezenas, a imaginação humana criou milhares — até dezenas de milhares — de deuses.

Os antigos Vedas sânscritos do hinduísmo, escritos por volta de 1200 a.C, declararam que existem 33 deuses. Mas Upanishads [parte das escrituras hindus] posteriores, por volta de 700 a.C, dizem que o número é 330 milhões. Os nomes são conhecidos por apenas algumas centenas de divindades hindus.

O erudito Gerald Larue listou mais de 100 deuses da antiga Suméria, Mesopotâmia, Phonecia, Assíria, Grécia, Roma e outras culturas primitivas. Ele também disse que o Egito tinha 80 diferentes divindades. Os deuses nórdicos também eram múltiplos. Todos eles desapareceram.

Astecas, incas e maias nas Américas, um milênio atrás, tinham uma impressionante variedade de deuses invisíveis, incluindo uma serpente emplumada mágica, a quem milhares de pessoas foram sacrificadas. Vários deuses celtas também exigiam sacrifício humano.

O número de deuses que são adorados, ou foram, é muito grande para ser contado. O Library Journal comentou: “Os deuses do Haiti, por exemplo, são descritos como tendo mais de 10.000, e há pelo menos a mesma quantidade de deuses japoneses e chineses.”

Até a Bíblia expressa perplexidade sobre a criação de deuses. II Reis 17:29 pergunta: “Como cada nação fez seus próprios deuses?” E acrescenta: “Os Sefarvitas queimaram seus filhos no fogo em Adrammeleque e Anameleque, os deuses de Sefarvaim”.

Claramente, quando os humanos desenvolveram cérebros grandes, eles adquiriram a habilidade de imaginar uma grande variedade de espíritos invisíveis.

Em todas as culturas pré-históricas, surgiu uma classe de sacerdotes, assumindo um enorme poder, alegando apaziguar e invocar deuses invisíveis. Os padres ganharam status privilegiado e viviam no luxo, dominando sobre os servos comuns. 

Um relatório sobre o Egito Antigo diz: “Trinta e dois séculos atrás, durante o reinado de Ramsés III, o grande templo egípcio do deus supremo Amon-Re — suposto criador do mundo e pai do faraó — possuía 420.000 cabeças de gado, 65 aldeias, 83 navios, 433 pomares, vastas terras agrícolas e 81.000 trabalhadores, todos obedecendo aos sacerdotes principais.”

O que havia era uma trapaça deliberada? Voltaire disse: “O primeiro divino foi o primeiro trapaceiro que conheceu o primeiro tolo.” Mas ninguém pode provar motivos ocultos.

Contar o número de deuses é difícil. O cristianismo supostamente tem três — pai, filho e Espírito Santo —, mas e quanto a Satanás? Ele é um deus? E a Virgem Maria? Se ela paira sobre a humanidade, aparecendo milagrosamente para os fiéis, isso não a torna um espírito sobrenatural? E quanto aos anjos e demônios e às “hostes celestiais”? E quanto aos santos, a quem os católicos oram? Se existem e recebem orações, eles devem ser personagens sobrenaturais.

A Igreja Católica reverencia cerca de 11.000 santos, todos canonizados sob alegada evidência de milagres. Se todos os 11.000 permanecerem hoje no mundo espiritual respondendo às orações, eles serão 11.000 semideuses?

Se você for mentalmente honesto, poderá ver uma resposta simples: O número de deuses e espíritos invisíveis é zero porque são invenções da imaginação.

> James A. Haught é jornalista e membro da FFRF (Freedom From Religion Foundation), organização sem fins lucrativos que se dedica à defesa da separação entre o Estado e a Igreja.

Comentários

  1. Não me canso de ler as matérias desse site e ainda não achei um texto para discordar.
    Sou ateu convicto , mas no trabalho tenho que me passar por cristão. Meu chefe é fanático religioso bolsonarista.
    Tenho que engolir sapo para não perder o emprego e concordar com as crenças dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto por sua condição. Já passei por isso. Temos que nos esconder para
      ter o básico de dignidade. Você realmente é uma pessoa forte, aguentar isso ...

      Excluir
  2. Acrescentem mais um, tem o Ademir da Guia - O divino.

    ResponderExcluir
  3. A linguagem é também uma invenção de nossa imaginação. Também é difícil contar o número de linguagens. Milhares delas deixaram de existir. Então, pelo "raciocínio", nós devemos acabar com a linguagem?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Pesquisa confirma que o cristianismo está se desintegrando nos Estados Unidos

Maioria dos católicos dos Estados Unidos apoia a pena de morte; ateus rejeitam

Presidente de Angola rejeita pressão de Mourão em defesa de interesses da Universal