Jeovás da Austrália correm risco de perder isenção por não aderir à combate à pedofilia

O governo da Austrália está elaborando um projeto de lei para cassar isenção de impostos e empréstimos subsidiados às entidades de caridade que não aderirem ao Programa Nacional de Reparação às Crianças Vítimas de Abuso Sexual.

A nova lei poderá ser votada nas próximas semanas e atingirá as Testemunhas de Jeovás, entre outras entidades.

Os jeovás se negaram a participar do programa, embora a estimativa é de que tenha havido 1.800 casos de abuso de crianças e adultos dentro da igreja, o que é um número alto em relação ao total de fiéis no país, 70 mil.

A ministra Anne Ruston, de Serviços Sociais, disse ter ficado decepcionada com a não adesão dos jeovás, o que dificulta que as vítimas tenham apoio oficial, como tratamento psicológico e indenização.

"Passamos muito tempo tentando explicar a eles [jeovás] o que pensamos ser sua obrigação moral, mas se recusam a entender.”

O cancelamento da isenção de impostos, caso ocorra, poderá servir de exemplos a outros países, não só em relação às Testemunhas de Jeová como às demais religiões e entidades filantrópicas que acobertam os pedófilos de suas fileiras. 

Os religiosos se dizem
'testemunhas', mas não
de abuso de criancinhas

Com informação do Yahoo News e de outras fontes.

Saiba por que a seita Testemunhas de Jeová é um paraíso para pedófilos