Pular para o conteúdo principal

Fiéis da Universal são suspeitos de terem manipulado eleição do Conselho Tutelar do Rio

O Ministério Público do Rio abriu procedimento para investigar a eleição para a Comissão de Ética dos Conselhos Tutelares da capital.

O órgão recebeu denúncias de que a votação foi fraudada para ampliar o domínio da Igreja Universal no órgão.

O MP está apurando denúncias de que conselheiros ligados à Universal, igreja da qual o prefeito Marcelo Crivella é pastor, mudaram as regras de votação dias antes das eleições para favorecer a igreja.

Quatro dias antes da eleição, foram mudadas as regras de votação para que cada titular de conselho tutelar tivesse direito a cinco votos, acabando com a eleição direta.

O resultado foi que a eleição acabou em dez minutos e os cinco eleitos para a Comissão de Ética são ligados à Igreja Universal.

Houve o total 405 votos, um recorde para todos os conselhos tutelares do país.

O cargo de conselheiro tutelar é remunerado. 


Com informação do G1 e de outras fontes.




Governador de Goiás veta lei que obrigava leitura da Bíblia nas escolas

Religião na escola estimula a intolerância, diz antropóloga

Ensino confessional enfraquece Estado laico, afirma Karnal

Aluna candomblecista será indenizada por ter de rezar, decide TJ-SP

Comentários

Posts + acessados hoje

Igreja do 'santo' Maradona tem altar, cultos e mandamentos

Derrota de Crivella abala projeto de poder de Bolsonaro e o de Edir Macedo

'Penha me transformou em monstro', afirma ex-marido