Pular para o conteúdo principal

TVs católicas oferecem ‘mídia positiva’ a Bolsonaro em troca de verba

A ala mais conservadora da Igreja Católica está oferecendo “mídia positiva” (emissoras de TV e de rádio) ao presidente Jair Bolsonaro em troca de verbas em relação à pandemia. 

Em videoconferência com o presidente no dia 21 de maio, dirigentes dessas emissoras e parlamentares católicos pediram por verbas e influência no governo ao mesmo tempo em que se colocaram à disposição para divulgar o que governo supostamente tem feito de bom.

O padre Welinton Silva, da TV Pai Eterno, de Trindade (GO), por exemplo, disse que sua emissora está em dificuldade e que o presidente poderá usá-la para expor a “pauta positiva das ações do governo” sobre a Covid-19.


“Precisando mesmo de um apoio maior por parte do governo para que possamos continuar comunicando a boa notícia, levando ao conhecimento da população católica, ampla maioria desse país, aquilo de bom que o governo pode estar realizando e fazendo pelo nosso povo.”

Entre outros, além do padre Welinton Silva, apresentaram propostas para obterem vantagens dos cofres públicos as seguintes pessoas:

- deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), coordenador da videoconferência, líder do governo na Câmarae integrante da Frente Parlamentar Católica.

- padre e cantor Reginaldo Manzotti, da Associação Evangelizar é Preciso,

- empresário João Monteiro de Barros Neto, da Rede Vida,

- deputado Francisco Jr (do PSD-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica),

- padre João Henrique, da Aliança de Misericórdia),

- deputado Diego Garcia (Podemos-PR), da Frente Católica,

- deputado Eros Biondini (Pros-MG), que defendeu os interesses dos empresários católicos “alinhados com o governo”.


O adesismo desses representantes católicos se choca com a postura da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros).

Em choque com a Rede Globo, Bolsonaro tem premiado com verba publicitária redes de emissoras como a Record, do bispo Edir Macedo, e SBT, do sempre governista Silvio Santos.

Como o STF está apertando o cerco à rede de blogs de fake news que apoia o governo, Bolsonaro com certeza dará um jeito de atender as demandas dos católicos que estão apoiando um presidente que ficará na história como o genocida do coronavírus. 



Com informação de Felipe Frazão, do jornal O Estado de S.Paulo, e da gravação da videoconferência.




Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

Criacionista afronta o Estado laico ao autorizar grupo de orações na Capes

Governo Bolsonoro usa verba publicitária para pagar ‘dízimo’ às igrejas amigas

Fundamentalismo religioso de Bolsonaro é pior que o da Idade Média, diz Roberto Freire




Comentários

Deso disse…
Isso não seria corrupção ativa?

Posts + acessados hoje

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

MP apura origem de R$ 5,9 bi da Universal em suposto esquema de corrupção de Crivella

Ateus tentam impedir gasto de R$ 80 mi em centro evangélico disfarçado de museu