Pular para o conteúdo principal

Antes de ser ministro da Saúde, Teich sugeriu que idosos merecem menos atenção que jovens

Como os recursos públicos são limitados, os gastos com a saúde pública devem privilegiar os jovens, em detrimento dos idosos.

Foi isso que sugeriu em 2019 o médico Nelson Luiz Teich, que vai substituir Luiz Henrique Mandetta no Ministério da Saúde.



Quando falou sobre quem deve ter prioridade no atendimento público, Teich não foi assertivo, preferindo a argumentação de que “a sociedade vai ter de fazer escolhas”, mas deixando transparecer qual seria a decisão dele.

“Como você tem o dinheiro limitado. Você vai ter de fazer escolhas. Vai ter de definir onde vai investir. Eu tenho uma pessoa mais idosa, que tem doença crônica, avançada. E ela tem uma complicação. Para ela melhorar, eu vou gastar praticamente o mesmo dinheiro que vou gastar para investir num adolescente que está com problemas. Mesmo dinheiro que vou investir. É igual. Só que essa pessoa é um adolescente, que tem a vida inteira pela frente. A outra é uma pessoa idosa, que pode estar no final da vida. Qual vai ser a escolha?”, disse.

Na mesma palestra, ele reforçou que “o dinheiro é limitado e você tem de trabalhar com essa realidade. A segunda coisa, as escolhas são inevitáveis. Quais vão ser as escolhas que você vai fazer? Depois que você tem esse conhecimento de quanto dinheiro você tem e qual a necessidade que você tem de sanar, aí você aloca esse dinheiro”.

Como a maioria das vítimas fatais do Covid-19 é de idosos, a expectativa, agora, é saber se Teich manterá sua escolha pelos jovens, em um falso dilema, porque é possível cuidar de toda a população, de pessoas de todas as faixas etárias, todos têm direito à vida.

Teich, na palestra, aparentemente não entrou na questão da extrema desigualdade de distribuição de renda do Brasil, que faz um idoso da classe média ter mais chance de sobreviver a doenças que o velho da população pobre.

SE DEPENDER DE TEICH,
VAI FALTAR DINHEIRO PARA
CUIDAR DOS IDOSOS





Vídeo: Quarentena, brigas políticas, remédios polêmicos. É a Gripe espanhola de 1918!

20 fatos que você precisa saber sobre entubação

Vídeo: prefeito que disse que cura da Covid-19 virá da igreja é internado

'Internet Segura' adverte para onda de golpes na quarentena

Cidade de Nova York improvisa necrotério fora de hospital

Psicóloga diz como é possível manter o equilíbrio emocional em tempo de pandemia

13 teorias da conspiração sobre o coronavírus. Ou: a bolsa ou a vida?

Microbiologista critica a negação à ciência e alerta que o Covid-19 mudou o mundo



Comentários

Anônimo disse…
Mesmo argumento que os bozolóides usam pra defender o embrião, preferem que a mãe morra do que um amontoado de células. Esses psicopatas não podem ser médicos, pois com certeza matam idosos deliberadamente, porcos capitalistas genocidas.