Pular para o conteúdo principal

Ateus impedem que São Sebastião construa monumento milionário a seu padroeiro

A Atea (Associação Brasileira dos Ateus e Agnósticos) conseguiu impedir que a prefeitura de São Sebastião (SP) gastasse mais de R$ 3 milhões na construção de uma estátua de São Sebastião, padroeiro da cidade.

À ESQUERDA, MAQUETE DA
ESTÁTUA, UMA OBRA QUE
TIRARIA DINHEIRO DE
EMPREENDIMENTOS ESSENCIAIS

O juiz da 1ª Vara Cível de São Sebastião, André Quintela Alves Rodrigues, concedeu liminar na ação civil pública proposta pela Atea, que pediu suspensão da obra com o argumento de que a laicidade de Estado impede esse tipo de gasto.

A prefeitura projetou a estátua para ter 40 metros de altura e seria construída pelo escultor Gilmar Pinna. O custo seria de R$ 3.175.056,01.

São Sebastião pertence à microrregião de Caraguatatuba, tem quase 90 mil habitantes e fica a 197 km de São Paulo.


A construção do monumento religioso teria sido um compromisso assumido pelo prefeito Felipe Augusto com um antigo pároco da Igreja Matriz, Padre Elimar.

Ao lavrar a sentença, o juiz observou que o Executivo, em vez de empenhar recursos em uma obra religiosa, deveria dar mais atenção à precária infraestrutura da cidade, aumentar a ofertas de imóveis à população de baixa renda, entre outras medidas.

Além do mais, ele diz, São Sebastião, por causa de suas belezas naturais, enquadra-se mais como uma estância balneária do que local para turismo religioso.

Para o juiz, a construção do monumento religioso "não se mostra razoável dentro de uma realidade municipal com altas demandas e deficiências de serviços públicos".

"Notoriamente, a cidade está voltada para turismo ecológico e exploração das praias, ramo que nada se relaciona com propósitos religiosos”.

Com informação do site Radar Litoral de de outras fontes e foto de divulgação.


Governador de Goiás veta lei que obrigava leitura da Bíblia nas escolas

Religião na escola estimula a intolerância, diz antropóloga

Ensino confessional enfraquece Estado laico, afirma Karnal

Aluna candomblecista será indenizada por ter de rezar, decide TJ-SP






Comentários

  1. Isso que eu acho .. eu como ateu tenho nada contra o cara fazer um vaso e cagar suas fantasias no meio da praça ... mas que faça com arrecadação ...seja de uma empresa .. através de dizimo .. rodando bolsinha .. pouco ligo .. mas quando tira dinheiro da prefeitura que podia ser usado pra escolas e hospitais ... ai concordo e dou parabéns a Atea ... Nao é a birra da religião .. é o respeito do dinheiro dos ateus e dos religiosos que são conscientes dos gastos desnecessários ...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

13 teorias da conspiração sobre o coronavírus. Ou: a bolsa ou a vida?

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Saiba por que a seita Testemunhas de Jeová é um paraíso para pedófilos