Pular para o conteúdo principal

Justiça nega recurso a ateus para que autoridades paguem viagem ao Vaticano

A Justiça Federal do Distrito Federal negou pedido de liminar apresentado pela Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) contra a participação de autoridades brasileiras na comitiva que foi ao Vaticano para a cerimônia de canonização da Irmã Dulce, em 2019.

POLÍTICOS NÃO PRESTARAM
CONTA DO QUANTO A VIAGEM 
CUSTOU PARA O COFRE PÚBLICO

A Atea argumenta que as autoridades violaram a laicidade de Estado ao participar de um evento religioso e, por isso, deveriam restituir aos cofres públicos os gastos com a comitiva ao Vaticano.

A cerimônia ocorreu no dia 13 de outubro, e a comitiva usou um avião da FAB.

Entre as 25 autoridades, estavam Hamilton Mourão (vice-presidente), Rodrigo Maia (presidente da Câmara), Davi Alcolumbre (presidente do Senado) e senadores.

Com informação da Justiça Federal do Distrito Federal e de outras fontes.



Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

Criacionista afronta o Estado laico ao autorizar grupo de orações na Capes

Governo Bolsonoro usa verba publicitária para pagar ‘dízimo’ às igrejas amigas

Fundamentalismo religioso de Bolsonaro é pior que o da Idade Média, diz Roberto Freire




Comentários

Anônimo disse…
Absurdo usar o dinheiro do povo pra ver o pedófilo argentino.

Posts + acessados hoje

Antes de dizer em live 'aceitem a paz do Senhor', pastor xinga sua mulher

Vídeo mostra que filho de Testemunhas de Jeová já discrimina colega da escola

Justiça de Angola determina o fechamento de todos os templos da Igreja Universal