Diocese de Assis suspende padre que abençoou união de homossexuais

Padre Gomes disse que
 Deus abençoa o amor
 entre Luiz e Claudinei

A Diocese de Assis (SP) decretou a suspensão “ad cautelam” (por cautela) do padre Vicente Paula Gomes por ele ter abençoado um casal gay, formado por Luiz Carlos dos Santos e Claudinei Batista de Almeida.

O bispo de Assis, dom Argemiro de Azevedo, considerou “as acusações” ao padre como grave, porque, segundo ele, o direito canônico proíbe esse tipo de benção.

Padre Gomes deu as bençãos aos homossexuais em dezembro de 2019. Fotos e vídeos que circulam na internet registram o momento.

A Luiz e Claudinei,o padre disse: “Não posso dar esse sacramento [do casamento], mas derramo sobre vocês a bênção para que tenham os deveres de companheiros até o fim de suas vidas e não se esqueçam que Deus abençoa o amor de vocês”.

A suspensão do padre Gomes é um pequeno exemplo entre outros, de maiores proporções, da dificuldade da Igreja Católica em se tornar uma religião contemporânea e, por isso, ela tende a continuar a perder fiéis nas próximas décadas, até virar um capítulo a história da humanidade.



Com informação da Diocese de Assis e de outras fontes.





Nos anos 50, Igreja Católica da Holanda castrou jovens gays

Juiz recusa acusação de Feliciano contra Porta dos Fundos

Novo texto reafirma homofobia da Igreja Católica

Livro critica hipocrisia do Vaticano: uma grande comunidade gay que prega a homofobia




Comentários

  1. Pra eles Deus nega benção aos diferentes, assim sempre foi na história dessa religião pedófila.

    ResponderExcluir

Postar um comentário


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato