Pular para o conteúdo principal

Fábio Porchat manda recado aos terroristas: ‘Com religião se brinca, sim’

'O que é sagrado pra
 você, não é pra mim
 e vice e versa'

O humorista Fábio Porchat (foto) mandou um recado aos terroristas que jogaram bombas na sede do Porta dos Fundos e àqueles que pedem censura ao Especial de Natal que mostra um Jesus gay. 

“Se brinca com religião, com futebol, com política, com a minha mãe, com o Detran, com o que você quiser. Isso não sou eu que estou dizendo, é a Constituição brasileira. A “lei de Deus” não existe para o nosso país”, diz ele em artigo publicado no Globo.

Como o Brasil é um país laico, Deus só existe para o indivíduo.

“Com religião VOCÊ não brinca, e eu respeito isso. Mas a sua lei pessoal não pode valer pra mim, pra minha mãe, pro Detran...”.

“Como você leva a sua vida é problema seu; como eu levo a minha, meu. Até porque o que é sagrado pra você, não é pra mim e vice e versa.”

Porchat diz que as sátiras são fundamentais para garantir a liberdade de expressão e, consequentemente, a democracia.



“Satirizar a Bíblia, olhe só, não é contra a lei. Chutar a Nossa Senhora é contra a lei. Depredar centros de Umbanda é contra a lei. Dizer que você tem que parar de tomar remédio e só quem cura é Deus é contra a lei. Jogar coquetel-molotov em uma produtora porque não gostou do que ela produziu é contra a lei. E, veja, brincar com a imagem de Deus não é intolerância. Intolerância é não querer deixar que brinquem. Impedir alguém de professar a sua fé, de acreditar no que quiser acreditar — porque existem várias religiões, sabia? —, de demonstrar a sua fé, isso é intolerância.”

Porchat diz que sente orgulho em integrar o Porta dos Fundos e comparou os terroristas que jogaram bomba na sede do grupo e àqueles que pedem censura ao Jesus gay a insetos e ratos.

Sabe quando na infância a criança acende uma bombinha e joga no bueiro pra ver sair dali barata? O Especial de Natal do Porta dos Fundos é essa bomba, só que desse bueiro saíram baratas, ratos e monstros. E me orgulho de fazer parte de um núcleo criador que escancara nossa podridão. E, se você foi um dos que comemoraram as explosões, ou concordou com elas, ou as justificou de alguma forma, sinto dizer, talvez você seja uma das baratas, dos ratos ou pior, um dos monstros. Viva o humor! Viva a liberdade de expressão! Viva a tolerância! E, por que não, viva Jesus!”

Com informação do “Globo”.





CNBB sugere que Porta dos Fundos pode sofrer castigo divino por causa do Jesus gay

No canal Porta dos Fundos, Jesus ironiza a ‘cura gay’

Nos EUA, sacerdote hindu pede à Netflix remoção do Jesus gay do Porta dos Fundos

Juiz recusa acusação de Feliciano contra Porta dos Fundos




Comentários

'O que é sagrado pra
você, não é pra mim
e vice e versa'
Exatamente. E por isso levaram bomba nas fuças. Onde dói em mim, não dói nos outros e vice-versa. Sou ateu, mas penso que há de se respeitar o que é sagrado para o outro, ainda que para mim não diga nada. Hipócritas militantes da esquerda mais baixa do país, este pessoal da Porta dos Fundos. Um bando de moleques classe média mimadinhos.
Anônimo disse…
Você então não deve comer Big Mac, em respeito a fé dos Hindus.
Leandro Bueno disse…
No artigo do Globo, o cara que é ateu, afirma:: “Sinto lhe informar, mas com religião se brinca sim. Com qualquer uma." Sério mesmo? Será que com o Islamismo, ele mostraria um Maomé homossexual apaixonado por saitan (o diabo no Islão)? DUVIDO. Mas, o que eu acho mais triste na postura de gente como ele é que o Natal deveria ser um momento de unidade e paz. Ofendendo a fé alheia, o cara só acaba indo contra tal ideal, causando mais tensões sociais e divisões. A quem interessa isso? Talvez a quem financie produções como estas.
E quem te disse que eu como Big Mac? Ou ainda que comesse, não faria com que um indiano me visse comendo-o. Nem lhe assopraria o cheiro nas narinas. Nem lhe diria que é besteira não comê-lo, que é superstição não consumi-lo. Come-lo-ia sem alarde, apenas por gosto pessoal, não como uma forma de afronta.
Concordo com você. Duvido também que eles brincassem com as chamadas minorias. Que ousem fazer piadas com negros, homossexuais, deficientes etc. Como eu já disse, o humor deles não é livre nem libertário, é uma metralhadora com alvos específicos, um humor chinfrim da esquerda mais reles e barata.
Acredito que eles achassem que, ao contrário dos muçulmanos, os cristãos fossem gado manso; se surpreenderam ao ver que nem todos o são.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Lei anti-ciência de Ohio permite que alunos deem resposta com base na religião

Milagrento Valdemiro Santiago radicaliza na exploração da fé

Pai de vocalista dos Mamonas processa Feliciano por dizer que morte foi por ordem de Deus

Capela em centro espacial é absurdo, afirma estudante

do leitor Sérgio "Este prédio da capela poderia abrigar um bom laboratório" Sou físico e aluno de doutorado do INPE [Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais] em São José dos Campos (SP) e gostaria de fazer um breve comentário. Há 5 anos, quando ingressei no mestrado no instituto, fique fascinado com a estrutura física/financeira oferecida ao desenvolvimento da pesquisa. Sinceramente não tenho do que me queixar, mas uma coisa  chama muito atenção (não só a minha, claro). É que dentro do INPE (um centro de pesquisa principalmente física), acreditem, tem uma capela para oração. No local que é considerado o maior centro de pesquisa tecnológica da America Latina (a Nasa brasileira, como muitos dizem) existe tal absurdo. Esse prédio poderia, por exemplo, abrigar um bom laboratório ou coisa mais útil. O INPE (englobando todas as áreas – astrofísica, meteorologia, sensoriamento, engenharia de materiais, etc.) é formado por pesquisadores/cientistas de várias partes do mu

Ministro do STF critica a frase ‘Deus seja louvado’ do real

Marco Aurélio lembrou  que somente no  império  a religião era obrigatória  O ministro Marco Aurélio (foto), 65, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que não consegue conceber “que nas notas de moedas do real nós tenhamos ‘Deus seja louvado’”, porque isso fere a laicidade do Estado. Em uma entrevista ao UOL, lembrou que na argumentação de seu voto favorável à descriminalização do aborto de fetos anencéfalos, em abril, ressaltou que o Brasil não está mais no império, “quando a religião católica era obrigatória e o imperador era obrigado a observá-la”. “ Como outro exemplo de incompatibilidade com o Estado laico ele citou o crucifixo do plenário do STF. “Devíamos ter só o brasão da República.” Aurélio elogiou a decisão do Tribunal de Justiça gaúcho pela retirada do crucifixo de todas as suas dependências, o que demonstra, segundo ele, que o Rio Grande do Sul é um Estado que “está sempre à frente em questões políticas”. Celso de Mello, outro ministro do Supremo, já

Intel deixa de ajudar escoteiros que discriminam gays e ateus

Evangélico, chefão do tráfico no Rio manda fechar igrejas católicas

PSC radicaliza ao dar apoio a Feliciano, afirma Wyllys

por Ivan Richard da Agência Brasil Deputado disse que resposta também será a radicalização O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na foto, criticou a decisão do PSC de manter o pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorais da Câmara. Para Wyllys, o acirramento dos ânimos por parte do PSC pode provocar ainda mais confusão nas sessões da comissão. Feliciano é acusado por de ter feito afirmações homofóbicas, como a de que a "Aids é câncer gay", e racistas. “Não falo em nome do movimento [LGBT], mas, se um lado radicaliza, o outro tende a radicalizar. Se o PSC radicaliza e não ouve a voz dos movimentos socais, das redes sociais, o pedido para que esse homem saia da presidência, se a tendência é radicalizar e não dar ouvidos, é lógico que o movimento radicalize do outro. Isso não é bom para a Câmara, para o Legislativo, para o PSC, nem para o país”, disse Wyllys. Wyllys afirmou que as lideranças do PSC estão “confundindo” as criticas ao

Família esperou por três dias, mas Neide não ressuscitou; corpo foi sepultado cheirando mal