Pesquisa confirma declínio acelerado do cristianismo nos Estados Unidos

Queda dos seguidores de
Cristo se deve em grande parte
às novas gerações, que
 querem distância das religiões

O número de pessoas que se consideram cristãs continua caindo rapidamente, de acordo com pesquisa da PEW (Pew Research Center). 

Do total dos adultos para os quais o instituto perguntou por telefone em julho de 2019 sobre religião, 65% se descreveram como cristãos, o que significa uma queda de 12 pontos percentuais em relação à última década.

Em contrapartida, os americanos que não seguem nenhuma religião — o que inclui ateu, agnósticos ou ‘nada em particular’ — aumentaram de 17% da população em 2009 para 26% agora.

As evasões mais significativas têm ocorrido nas igrejas protestantes e na Católica.

Do total dos adultos, 43% se identificaram com o protestantismo, contra 51% em 2009.

Em relação ao catolicismo, houve no mesmo período queda de 23% para 20%.

Os ateus cresceram de 2% para 4%; os agnósticos de 3% para 5%; e os sem religião ou “nada em particular” de 12% para 17%.

Integrantes de religiões não cristãs tiveram um crescimento modesto.

Como os não religiosos se concentram nas faixas etárias dos mais jovens, as sucessões de gerações tenderão a acelerar cada vez mais o afastamento das crenças.

De cada três integrantes da geração do milênio ou Y (nascidos na década de 80 até o ano 2.000), só um diz que participa uma ou duas vezes por mês de atividades religiosas.

Dessa geração, 64% admitiram pouca frequência à Igreja. Quatro em 10 disseram que raramente aparecem em um culto ou nunca.

O percentual dos que dizem que “nunca” participam de culto, 22%, é o mesmo dos que informam comparecer ao templo ao menos uma vez por semana.

Com informação do  PEW.



Pesquisa enumera as dez cidades mais pós-cristãs dos Estados Unidos

Cristãos hispânicos nos EUA dão pouca importância à Bíblia

Pós-cristãos fazem secularismo avançar nos Estados Unidos

Geração Z dos EUA tem 35% de não afiliados à religião