Professor de geografia de colégio adventista ensina o criacionismo

Cleiton Barreto ensina
 seus alunos que a Terra
 tem 6.000 anos

Enquanto cientistas fazem toda semana descoberta que confirma a teoria da evolução, o Colégio Adventista da cidade de Telêmaco Borba, no Paraná, publica em sua página no Facebook fotos mostrando alunos tendo uma aula criacionista sobre a origem da Terra. 

A página informa que, minicentro escolar criacionista, o professor de geografia Cleiton Barreto apresentou aos alunos dos 6º anos uma miniatura da Arca de Noé.

“Eles puderam entender a distribuição e surgimento das águas no planeta e entraram em contato com os materiais criacionistas.”

No post do colégio, há comentários assim:

Clarice Moreira: “Educação com excelência. Super recomendo.”

Suzy Pallu:  "Parabéns professor Cleiton Barreto Golemba por ensinar aos nossos filhos ensinamentos bíblicos dentro da sua disciplina!!! Que Deus honre seu profissionalismo e competência em meio a tantos comentários negativos e desnecessários!! Somos pais que aceitaram os ensinos religiosos como o principal objetivo na educação de nossos filhos... Aceita quem quer... Quem se preocupa com a educação moral, física, intelectual, religiosa e por aí vai!!! Cada um escolhe o que é melhor para seus filhos... E eu escolho sempre a Educação Adventista, mesmo sabendo que muitas vezes é imperfeita, pois sei que é guiada pelo PERFEITO criador de todas as coisas... DEUS."

Thiago Monteiro: “Meu Deus, que vergonha. Ensinar para as crianças sobre criacionismo, Arca de Noé e outras passagens/crenças religiosas é um desrespeito aos alunos e aos pais, que colocam seus filhos acreditando que terão uma educação de qualidade e séria, mas, no final, terão que ver seus filhos reprovados em qualquer concurso básico (ENEM e outros) por falarem que a Terra é o centro do universo, que a distribuição das águas no planeta é feita por vontade de Deus e que uma família só pode ser constituída por homem, mulher e filhos.

Com todo o respeito, temas de religião devem ser tratados nas aulas de religião.

Fico impressionado que um professor de geografia se submeta a tal papelão. Deveria rasgar seu diploma e virar padre ou pastor."









'Brasil caminha para o criacionismo', alerta cientista

Deputado quer que escolas ensinem a ‘teoria criacionista’

Criacionismo e teoria da conspiração são a mesma falha de pensamento, diz estudo

Livro de Darwin abalou o mundo e desmoralizou o criacionismo



Comentários

  1. O Deus de Israel proibiu Israel de aprender as coisas ensinadas pelos outros povos, a matemática e a filosofia grega, por exemplo.

    "1.Escutai, casa de Israel, a palavra que o Senhor vos dirige!* 2.“Não imiteis o procedimento dos pagãos; nem temais os sinais celestes, como os temem os pagãos, 3.porquanto os deuses desses povos são apenas vaidade. São cepos abatidos na floresta, obra trabalhada pelo cinzel do artesão, 4.decorada com prata e ouro. A golpes de martelo são-lhes fixados os pregos e postos em seus lugares para que não se movam."
    Jeremias, 10 - Bíblia Católica Online

    Leia mais em: https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/jeremias/10/

    ResponderExcluir
  2. Que reportagem pejorativa. O prof. Em uma escola religiosa consegue fazer a integração entre religião e ciência. Estão levando em conta apenas um momento das aulas desse prof. Tenho certeza que ele consegue fazer essa integração da religião com a ciência com grande facilidade e explica a diferença. Muita pobreza de espírito por aqui. Denegrir um profissional sem um acompanhamento devido da carreira dele.

    ResponderExcluir
  3. Eliane, não existe integração entre religião, que pressupõe crer cegamente, e ciência, que se pauta pela dúvida. Ou se é professor ou pastor. Os dois não podem ser ao mesmo tempo. O seu professor é intelectualmente desonesto.

    ResponderExcluir
  4. Prêmio Nobel cada vez mais distante...

    ResponderExcluir
  5. O colégio é cristão e sempre ensinou assim, deixa de querer polemizar, estude os princípios da instituição antes de soltar qualquer coisa pra querer chamar a atenção.

    ResponderExcluir
  6. Tenho três filhos nesse colegio que estudam la a anos e posso falar com propriedade sobre ele ,exelente ensino professores competentes valeu a pena cada centavo pago. Pra mim não existe colégio melhor .

    ResponderExcluir
  7. Mano, o cara tbm falou do evolucionismo ._. Locão esses cara né

    ResponderExcluir
  8. Errou no nome da cidade. É TelemaCo Borba e não TelemaÇo Borba, sem Ç.

    ResponderExcluir
  9. Dois erros de coerência no texto: "mostrando alunos tendo uma criacionista sobre a origem da Terra" uma o que? Aula?
    O segundo é "A página informa que, minicentro escolar criacionista, o professor de geografia" não seria a página informa que em um minicentro escolar..."?

    ResponderExcluir
  10. Clarice Moreira, coitado dos seus filhos, vão ficar alienados igual a mamãe

    ResponderExcluir
  11. Como que Telêmaco Borba, no fim do mundo do Paraná virou notícia?

    ResponderExcluir
  12. Sou filho da Clarice "alienado" e ainda vou ter mais futuro que vc ! Opss... <3

    ResponderExcluir
  13. Perdi com esse nome de Novo Satanás. Socorro...

    ResponderExcluir
  14. Essa não é aquela cidade da fábrica de papel gigante chamada Klabin?

    ResponderExcluir
  15. Jeremias 2:5(Que injustiça Deus cometeu?) Deus mandou trabalhar no mesmo tempo em que foi feita a Terra, mas não mandou cada um fazer a própria Terra. Deus valorizou somente o tempo de serviço de fazer a Terra. E a valorização de somente o tempo de se fazer as coisas também ocorre no bom dia, boa tarde, boa noite, feliz aniversário e salário por hora.

    ResponderExcluir
  16. Não sei porque a surpresa visto que a rede Adventista de Educação está pautada no ensino bíblico cristão, a sua proposta pedagógica deixa isso bem claro. Temas como este sempre foram abordados em sala de aula desde a inauguração da escola no Brasil em 1896. Não é a toa que é uma das redes que mais crescem no país com mais de 500 unidades, com centros universitários e institutos. Tudo isso sempre com respaldo do MEC e secretárias de educação e sempre atuando na legalidade a mais de 123 anos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato