Nos EUA, arcebispo pune colégio jesuíta por ter professor homossexual

Dom Charles C. Thompson
 não gostou de ver a foto
 do professor com seu
 marido na rede social

O arcebispo de Indianápolis (EUA) puniu uma escola jesuíta revogando a sua designação de católica, porque se recusou a demitir um professor declaradamente homossexual, casado.
O professor não ensina religião.

O arcebispo Charles C. Thompson (foto) vinha exigindo a sua demissão desde 2017. Ele não gostou de ver a foto do professor com seu marido na rede social.

Agora, diante da recusa da direção da escola, o arcebispo emitiu um decreto canônico declarando que a Escola Preparatória Jesuíta Brebeuf deixou de ser “uma instituição católica”.

A escola foi criada há 57 anos e tem 800 estudantes.

A Companhia de Jesus do Centro-Oeste dos Estados Unidos, responsável pela escola, informou que vai recorrer a todas as instâncias da Igreja contra a decisão do arcebispo Thompson, indo até o Vaticano, se preciso.

Há outros casos de intolerância religiosa semelhante a do arcebispo de Indianápolis em escolas católicas em vários países.

O papa Francisco vive pregando a aceitação da diversidade sexual, mas ele nem sequer consegue conter os seus  sacerdotes fundamentalistas.

Jesuítas responsáveis pela
 escola vão recorrer contra
 a decisão homofóbica





Cardeal diz que homofobia é invenção gays que visam o 'domínio totalitário'

Novo texto reafirma homofobia da Igreja Católica

Direita usa homofobia cristã para manipular opinião pública

Homofóbicos sentem excitação com gays, revela pesquisa

Documento do Vaticano estimula o fanatismo, afirmam LGBT católicos



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários