Deputado da Universal quer investigar Universidades Paulistas

por Maria Fernanda Guimarães 

Vinculado à Igreja Universal,
deputado do PRB
quer investigar "aparelhamento
das Universidades Paulistas"

Ligado à Igreja Universal, o deputado Wellington Moura (PRB) foi eleito presidente da CPI da Universidades Paulistas. Sem qualquer motivação objetiva e nenhuma “real irregularidade” apontada, como requer a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) , as estaduais Unicamp, Unesp e USP serão investigadas.

De fato, ao jornal O Estado de S. Paulo, o deputado disse que queria "analisar como as questões ideológicas estão implicando no orçamento das universidades".

Ao jornal O Globo, o deputado não escondeu suas reais intenções: " A gente sabe hoje que muitas universidades têm o pensamento esquerdista. Até onde isso fere a questão dos alunos aprenderem alguma coisa? E se o pensamento ideológico atrapalhar as universidades? Vamos entrar nessa questão."

Vício de origem

A deputada estadual paulista Isa Penna (PSOL), que não integra a CPI das Universidades questiona se os reais objetivos dessa CPI, que podem ser "perseguição política, religiosa ou cerceamento de liberdade de pesquisa e ideias".

Para a deputada, “essa CPI tem um vício de origem. O objeto da justificativa é o repasse de verbas públicas. Mas, publicamente, diversos membros da CPI mencionaram a investigação de um suposto aparelhamento ideológico”, disse a parlamentar.

A deputada Isa Penna (PSOL)
teme perseguições a
ideias e pensamentos dentro
das universidades paulistas 


Reitoria e Orçamento

O que a CPI quer, de verdade é promover mudanças na escolha de reitores, de maneira que o Estado    possa  escolher de forma direta reitores mais identificados com a agenda conservadora, menos desvinculados da educação e da pesquisa independente.

Também se busca com essa CPI reduzir a dotação orçamentária para as universidades estaduais e  manipular a  forma como o Estado repassa recursos às instituições, ambas garantidas atualmente pela denominada  "autonomia universitária".

Essa autonomia é garantida  pela Constituição Federal de 1988 no que toca a currículos, programas, coordenadores, linhas de pesquisa, dirigentes, gestores, colegiados etc. Contudo, em São Paulo, essa autonomia foi financeiramente garantida por um  decreto de 1989  do então governador Orestes Quércia que  vinculou recursos do ICMS (hoje em 9,57%) para USP, Unicamp e  Unesp  e a total autonomia dos reitores para geri-los.

Não por acaso, as o sistema universidades paulistas responde por 1/3 de toda a produção intelectual do Brasil. E aí somam-se 198 Universidades, sejam públicas ou privadas.

Universidades Paulistas

Embora o deputado da IURD tenha  mirado apenas nas celebradas Usp-Unicamp-Unesp, o sistema de ensino superior do Estado de São  Paulo ainda é integrado pela  Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), exclusiva de ensino à distância (EAD). 

E ainda  e pelas  Faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC) e as seguintes escolas isoladas: a Faculdade de Medicina de Marília (Famema),  a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). 

O deputado Wellington Moura  (PRB)  é vice-líder do governo João Doria (PSDB) e foi o parlamentar que propôs a CPI.

Projetos irrelevantes

Moura é também um dos deputados que cria projetos de lei absolutamente irrelevantes. Um exemplo (no que foi pareado com outros deputados da quadra: Milton Vieira, Gilmaci Santos, Sebastião Santos) é  o projeto “Dia Estadual do Obreiro Universal”.

Trata-se de um dia para celebrar a importância dos acólitos da Igreja Universal, data  que é comemorada, anualmente  no terceiro domingo do mês de agosto.   O projeto foi aprovado pela Assembleia Legislativa, sancionado pelo então governador Geraldo Alckmin  e transformado na Lei nº 16.078, de 22/12/2015.

No seu projeto de proibição de "ideologia de gênero" encontram-se pérolas linguísticas. Como "orientação sexual de cunho ideológico e seus respectivos derivados". Como orientação sexual é algo pessoal e intransferível, não se sabe o que pode denotar a expressão "cunho ideológico" neste contexto. Imagine-se então o que significariam os termos "os seus respectivos derivados".

Sem Diploma

Moura nunca ingressou em uma Universidade — pública ou particular.  Nem conhece o sistema de ensino superior do Estado, pelo que se depreende do seu foco.  Ele é  portador apenas de um diploma do ensino médio.

Mesmo assim, com essas credenciais, será o presidente por 120 dias  dessa CPI das Universidades Paulistas e  também é presidente da permanente Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento na legislatura 2019-23.


Com Estado, O Globo, site da Alesp e outras fontes







Universidade de Lavras faz proselitismo religioso

Universidade de Londrina proíbe celebração de missa em sua capela

Paleontólogo descobre fóssil de pterossauro de 200 milhões de anos

Cientistas descobrem na Rússia fóssil de mamute com tecido mole



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

Anônimo disse…
Mais um evanjegue atravancando o progresso.