Universidade de Lavras faz proselitismo religioso

Mensagem da universidade dá
destaque à "crença no criador"
Alguém da administração da Universidade Federal de Lavras (MG) resolveu manifestar seu desapreço pelo Estado laico, usando a instituição pública como plataforma de evangelização. É o que fica evidente na  mensagem de “Boas Festas” desejando “crença no senhor”, entre outras coisas, como “felicidade” e “amor”. A mensagem foi colocada em um banner na entrada da universidade e em seu site e perfil no Facebook.

O proselitismo religioso se destaca na mensagem porque está em letras brancas, contrastando com os tons predominantes de verde.  Quem assina é a “Direção Executiva”, mas poderia ter sido uma denominação religiosa, que não faria nenhuma diferença.

Entre os cursos ministrados pela universidade estão os de engenharia em diversas áreas do conhecimento, de ciência ambiental, agricultura e medicina veterinária. O reitor é José Roberto Soares Scolforo, doutor em engenharia florestal. Ele assumiu o cargo em junho de 2012 e vai entregá-lo em 2016.







No vídeo de quatro de minutos de “boas festas” postado no site da universidade aparece um estudante lendo não um livro científico, que tenha a ver com os cursos dali, mas um de cunho religioso, o best-seller “A Cabana”, de Wm Paul Young. O livro conta a história do amargurado Mack Allen Phillips (ele teve a filha de seis anos raptada) que recebe um bilhete escrito supostamente por Deus.

A artimanha sub-reptícia que pôs o livro no vídeo é a mesma que destacou “a crença no criador” no banner.

Antônio Mendes
Mendes pede respeito
à Constituição
O estudante Antônio Mendes (foto) lançou na internet uma petição pedindo à administração da universidade que deixe de fazer proselitismo religioso, por representar uma afronta ao Estado laico determinado pelo artigo 19 da Constituição Federal.

Ele argumentou que, em um ambiente universitário, é de se esperar que as diversidades de pensamento e de religião sejam respeitadas, o que, nesse caso, não está ocorrendo na Universidade de Lavras.

“ O direito de crença, qualquer que seja a divindade, bem como o direito de não crença são assegurados e amparados pelas leis brasileiras”, disse Mendes, que é ateu. Até a tarde de hoje (21) a petição tinha 224 assinaturas. Link da petição.


Proselitismo religioso na entrada da universidade
Escola pública não é lugar de religião, afirma professora
setembro de 2010

Religião no Estado laico   Fanatismo religioso

Comentários

Anônimo disse…
Não está pior que a página do Detran RJ
http://www.detran.rj.gov.br/
Unknown disse…
São detalhes, mas ser certo e coerente independe da gravidade.
Anônimo disse…
Jóia que a minha Universidade enviou foi uma paráfrase de frase do arquiteto de 105 anos, Oscar Niemeyer, sobre linhas e curvas. Até passei a ter certo respeito pelo reitor!

P.S.: Niemeyer morreu com 105 anos, não 104 como querem os muquiranas que ficam amarrando meros 2.7% de volta (9.8 graus) em torno do Sol.
Anônimo disse…
Que vergonha o detran esqueceu do nosso estado laico e esqueceu as outras crenças e os outras divindades :-(... Sera que a faculdade sabe me dizer quem é o criador ou vão vir com lorotas ad nauseam como os crentes...
Anônimo disse…
eu acho engraçado quando os crente diz que jesus nos salvou..mais afinal nos salvou do que ? Do pai maluco dele ?? Já viram como este deus é louco é mau ,cheio de dar chiliques de mandar as pessoas para o inferno, e pior que ele não sabia que quando estava fazendo tudo a árvore a cobra falante ele não sabia que iria dar errado , mais quando deu ele ficou louco.. É a mesma coisa você fazer uma torre de taças de cristal no meio de um campo de futebol e dizer quem derrubar essas taça vai queimar no inferno ,ah deus vai t.n.teu.c hahaha
Bingo disse…
Como é que o DETRAN-RJ espera "respeito às normas de trânsito" se ele mesmo não respeita as normas da Constituição Federal???
José Agustoni disse…
Fui na página do DETRAN-RJ e deixei a mensagem que se segue para a ouvidoria:

A mensagem inicial da página do DETRAN-RJ é dirigida exclusivamente aos cristãos e confessa a preferência do órgão pelo cristianismo.
É certo que a data comemorativa é dos cristãos, mas a mensagem do DETRAN não pode usar este viés como fonte de inspiração para convocar todos os motoristas a refletirem. Os não-cristãos não têm esse modelo de inspiração e comisso o DETRAN os está negligenciando.

Sugiro que a mensagem seja modificada para um pensamento neutro com relação a crenças e religiões e foque apenas na questão da segurança no trânsito.onde todos sabem que quem salva não é Jesus, mas o cinto de segurança.

Grato,
José Serrano Agustoni
Engenheiro
José Agustoni disse…
PS: eu já assinei a petição.
Anônimo disse…
http://www.detran.rj.gov.br/

"Comemorar o nascimento de jesus cristo"

Essa é boa, 99% dos teístas não devem saber que a igreja catolica copiou essa data que é dos povos pagãos para dar mais veracidade ao mito jesus, afinal conhecimento e questionamento é um perigo para as religiões.

Fantasia por fantasia nesse natal comemoro o dia do papai noel.
Anônimo disse…
Se a reitoria da faculdade mostra-se com gente despreparada e desconhecedora da CF e seus princípios, o que esperar da qualidade de ensino da mesma? Será que o MEC avalia esses "profissionais" proselitistas?

Ruggero
Anônimo disse…
Triste ver pessoas que estudaram repetirem lorotas desse nível.
Infelizmente somos animais com uma psicologia complicada.
Terão elas culpa de se apegarem a essas tolices, é má fé mesmo como aparenta, ou é uma espécie de drogadicção intelectual?

NoWhereMan disse…
GENTE LESA GERA GENTE LESA!...
Enquanto existirem professores adeptos a essas crenças, incutindo a moral da Teologia Cristã na cabeça de seus alunos, teremos uma Sociedade forjada com este tipo caráter e sem nenhuma consciência sobre a importância da LAICIDADE!...
Danilo M. disse…
Por favor vejam que absurdo,doutrinação em uma escola!!!watch?v=PZokHt1Z3iM&feature=share
Anônimo disse…
"crença no criador"...


minha nossa, por que essa necessidade inflexivel de se ter uma crença num criador? E ainda por cima tentar empurrar goela abaixo nos outros?


doença... doença mental...
Anônimo disse…
o maiz bizarro de tudo é que até mesmo os crentes sabem que se trata de crença e não de fato empirico. Eles necessitam crer, precisam disso com todas as forças.

talvez eles tentem impor essas idéias por causa do espirito da coletividade, como se a crença se tornasse verdadeira simplesmente porque muitas pessoas são adeptas dela. Isso deve acalmá-los para a verdade que o mundo natural nos joga na cara: que deuses não existem.


é de dar dó...
_Pessoas preconceituosas e dadas a grandes alardes, são as primeiras a se sentirem incomodadas com as palavras; na verdade, são substantivos que deveriam fazer parte da vida das pessoas mas..., ao invés disso, estão causando desconforto e repulsa.
_O que causa tanto transtorno na mente das pessoas amordaçadas pelo ceticismo, é apenas..., uma frase e todos sabemos qual é: isto posto em relação ao contexto apresentado.
Anônimo disse…
Vcs se preocupm com um banner ? A Cef esta dando mi ao corinthias
Acho em grasado esses ateus só porque eles não acreditão em Deus ou
em Religião nenhuma que empedir os cristãos de professar a fé,isso
Não constituicional a liberdade Religiosa seja qual for acrença querem calar por causa de um bando de ignorantes ateus pocurem que fazer o mesmo direito que esses ateus tem todos Católicos,Evangelicos,Espíritas,etc todos tem o direito de expressa a sua fé estamos no país livre a liberdade e para todos.
Deus tá nas lacunas... ops, nos detalhes disse…
Ia fazer Ciências Biológicas na UFLA (o curso é, até agora, bem conceituado pelo MEC) mas, aparentemente, graças "a Deus" mudei de ideia...
Corvo disse…
Nossa! Estou tão revoltado que vou... ... ...simplesmente ignorar! Não adcionaria mais cabelos brancos por causa disso.
Demiurgo disse…
Aproveito a oportunidade para desejar ao Jornalista Paulo Lopes, sua família e a todos os amigos que seguem este blog, um FELIZ NATAL!
Que todas as BENÇÃOS sejam derramadas sobre vocês;
Que o CRIADOR os acolha e os mantenha em segurança;
Que o ESPÍRITO SANTO os console em seus momentos de dor e solidão;
Que o MESSIAS sorria para aqueles são descrentes e os trate como jóias, que são, desse Universo maravilhoso.

Anônimo disse…
Sinto muito mas não precisamos de bengala psicologica.
Anônimo disse…
Cala a merda da sua boca, sua iurdiota estúpida. Você critica a Igreja Católica enquanto a sua igrejinha de merda senta no próprio rabo. Olhe para toda a merda que o Edir Macebo faz antes de criticar a Igreja Católica, sua neopenteca estúpida.
Diabo disse…
É festa!

As Mulheres colocam as mãos na massa; assenhoram-se das cozinhas, dos tempêros, das louças e panelas; sobre a mesa, alguns cadáveres aguardam sua vez de ir ao fôrno.

À noite, shows de luzes adornam as sacadas, as varandas, os telhados; dá pra ver, pelas portas entreabertas das salas, pinheiros enfeitados com bolas coloridas e outros detalhes cintilantes; acima, na parede, o cadáver dos cadáveres, pregado a uma cruz; à volta, os meninos chorosos aguardam seus presentes; no futuro eles serão crentes ou descrentes, mas no momento estão seduzidos pelo clima de festa!

Os Homens cumprem sua função de provedores! Já não precisam sair e matar sua caça, basta trocá-las no supermercado por alguns contos; há cadáveres para todos, há coxas, asas, sobrecoxas, corpos inteiros abertos ou recheados de ingredientes da culinária local!

As Músicas na TV têm um ritmo característico, as letras falam de amor e felicidade! Ao final de cada canção artistas sorridentes sugerem que tal ou qual produto vai tornar a magia mais intensa e prazeirosa!

Tudo está no seu lugar! Vai ter missa! Vai ter culto à meia noite! Vai ter fogueira santa! Vai ter show do Roberto...
Corvo disse…
>>" Acho engraçado esses ateus, só porque eles não acreditam em deus, ou em religião alguma, querem impedir os cristãos de professar a sua fé, isso não é constitucional. A liberdade religiosa, seja qual for a crença, os ateus querem cala-la, este bando de ignorantes. Ateus, procurem o que fazer, o mesmo direito que vocês tem, todos os católicos, evangélicos, espíritas, etc. também o tem. Todos temos o direito de expressar a nossa fé, estamos em um país livre, a liberdade é para todos.".
Anônimo disse…
Na boa véi, feliz natal pra todos, desculpe-me se no calor da discussão ofendi alguém.

NNN
NNN
NNN
NNNNNNNNNNNNNNNNNN
NNNNNNNNNNNNNNNNNN
NNN
NNN
NNN
NNN
NNN
NNN
NNN
NNN
NNN
NNN
_Tenho bastante a lamentar por tua burrice sem par! _Não sei se você é uma besta-fera ou se faz!
_Onde foi que me referi a igreja A, B ou C? _Me mostra, seu perfeito asno!
_Se tem alguma frustração que não consegue administrar e muito menos é capaz de resolver..., esse é um problema teu; que na tua incapacidade deve ter a tentativa, com certeza sem êxito, porque é um idiota!
_Cala a boca, você! _Imbecil!
Anônimo disse…
Pessoas preconceituosas e
dadas a grandes alardes, são as
primeiras a se sentirem
incomodadas com as palavras;
na verdade, são substantivos
que deveriam fazer parte da
vida das pessoas mas..., ao
invés disso, estão causando
desconforto e repulsa.


É só uma opinião da sua pobre cultura de vida e religiosa mais nada.
Anônimo disse…
_O que causa tanto transtorno na mente das pessoas amordaçadas pelo ceticismo, é apenas..., uma frase e todos sabemos qual é: isto posto em relação ao contexto apresentado.

''Vamos por parte , primeiro o que é o ceticismo ?

O ceticismo (AO 1945: cepticismo) (derivado do verbo grego σκέπτομαι, transl. sképtomai, "olhar à distância", "examinar", "observar") é a doutrina que afirma que não se pode obter nenhuma certeza absoluta a respeito da verdade, o que implica uma condição intelectual de questionamento permanente e na inadmissão da existência de fenômenos metafísicos, religiosos e dogmas. O termo originou-se a partir do nome comumente dado a uma corrente filosófica originada na Grécia Antiga.

A dúvida é um importante preceito cético.

"Neste caso a frase seria:

_O que causa tanto transtorno na mente das pessoas religiosas pela fé, é apenas..., uma frase e todos sabemos qual é: isto posto em relação ao contexto apresentado.

"quer dizer acreditar cegamente sem o ingrediente da dúvida..

"Portatanto é evidente que o ceticismo não é uma mordaça , este termo ficaria melhor apresentado se dirigido aos religiosos, me parece a fé ser uma mordaça...

"Crentes são uma vergonha até em suas asserções.



Diego disse…
Proselitismo religioso vindo de lugares publicos é que não é constitucional, muito engraçado os hipocritas cristãofags vindo falar em liberdade para todas as crenças, o que vocês mais são é segregacionistas!

Anônimo disse…
Por isso que a CEF está dando mi ao curintia, afinal, não nos preocupamos nem como coisas básicas, simples e fáceis de cumprir, como o respeito à laicidade do estado.
Laico que não é ateu disse…
Natal é o nascimento do Papai Noel.
Anônimo disse…
Se todos os crentes fossem iguais a esse Demiurgo, acho que eu não teria motivo para me incomodar com eles, muito pelo contrário.
Anônimo disse…
Acho que ele tentou formar uma cruz, com espaços na quarta e quita linha de "N", mas... FAIL! =D

Virou foi uma FORCA! kkkk
Anônimo disse…
*os espaços dos "N" falharam, exceto nas linhas 4 e 5.
Anônimo disse…
vem desejar feliz natal no dia 26 hahaha
Anônimo disse…
os crentes até precisam da bengala mais não é a bengala psicológica não..
_Ok! Na realidade o que fez foi apenas o que a maioria faz e, por isso, não faz diferença; se não a faz nas palavras, o que dizer de sua "ilustre" presença?
_Um ser limitado, não é capaz de elaborar frases que sejam eficazes no sentido de defender suas ideias! _É mais fácil, pegar carona em frases que já existem do que criar as suas; até porque, esta é uma qualidade para poucos e me parece que sua pessoa não faz parte deste grupo.
_Tal atitude configura um alto índice de acomodação mental, sempre procurando torcer as palavras de outrem e puxar a sardinha para a sua brasa!
_Se no seu secularismo, a dúvida é importante..., no sentido espíritual..., é totalmente diferente!
_À propósito: minha concepção de vergonha é oposta a sua na qual tenho bem clarificada sua deplorável imagem!
Neu Ateo disse…
Num sei si vc percebeo, maz eli distacô certas palavras numa provocassão semelhanti à do cartas da UFLA.
Si todos fossem iguais a eli, os ateu tariam ingolindo religião di forma subliminá.
Ping disse…
Aqui ninguém está usando a boca e sim os dedos.
Demo disse…
_Pessoas preconceituosas e dadas a grandes alardes, são as primeiras a se sentirem incomodadas com as palavras;

É de louvar tanta prepotência e arrogância. Você até está certa.

Um dos problemas do ser humano é que ele reage, sem pensar… impulsionado por suas crenças. Efectivamente, só os preconceituosos se sentirão incomodados com palavras como, liberdade, isenção, imparcialidade… independência (da mente).

… na verdade, são substantivos que deveriam fazer parte da vida das pessoas mas..., ao invés disso, estão causando desconforto e repulsa.

Não são substantivos, são adjectivos. Qualificam o deficit de seriedade de mentes que teimam em promover a duplicidade intelectual. Daí o desconforto pelo complexo de inferioridade e a repulsa pela subserviência ética.

_O que causa tanto transtorno na mente das pessoas amordaçadas pelo ceticismo, é apenas...,

Errou, cepticismo não amordaça, exige provas.
As crenças são conhecimento quando justificado. São fé quando não justificado.
E são fé porque lhe falta a justificação epistémica que o conhecimento exige. Estas sim, impõe mordaça.

uma frase e todos sabemos qual é: isto posto em relação ao contexto apresentado.

Ficou inibida ou sentiu-se amordaçada?
Anônimo disse…
Paulo silva, vou te denunciar por assassinato! Assassinato do português.
Volta pro supletivo, crentalhão.
Anônimo disse…
"transtorno na mente das pessoas amordaçadas pelo ceticismo"

Essa foi a maior imbecilidade que eu ja vi essa maluca idiota excretar nesse blog. Parabéns, séria candidata ao troféu envajegue 2012.
Anônimo disse…
Fica sentado no seu rabo então enquanto os crentolas pregam e riem da constituição, boçal omisso.
Anônimo disse…
Não se engane, esse demiurgo só esta posando de santinho pra propagandear se auto-afirmar.
Ja demonstrou seu desprezo ignorante e preconceituoso pelos ateus em outro post.
Anônimo disse…
Sobre o catróllico que insultou a Salamandra: Olha á que ponto chegou o nível dos membros da mesma igreja do snowball. O que mais falta? Tacar protestantes na fogueira?
Rishard Bostwakings disse…
E o dia do Orgulho Ateu é o dia do amiguinho imaginário.

Att, espancador de ateus
Anônimo disse…
Essa mulher deve ser feia pra caralho!!!
Anônimo disse…
Acabou de afirmar que a tal fé a tal espiritualidade é que é uma verdadeira mordaçã.

Mais chamar o ceticismo de mordaça esta deveria ir para o livro de boçalidades do ano.

As vezes eu não quero me achar nem mais inteligente e nem mais capaz do que os religiosos , mais eles vivem me dando motivo, tanto que já nem acho que sou mais inteligente eles me dão certeza disso.

Já o resto as adivinhações e a tentativas de guru dela nem vale a pena rebater , como se diz é melhor deixa-la morrer engasgada no próprio vômito.

Willian Papp disse…
Natal significa nascimento. Hoje em dia, embora tenha sido diferente no passado, no dia 25 de dezembro comemora-se o nascimento de Jesus o Cristo. É claro que Jesus não nasceu em 25 de dezembro. Isso é, apenas, uma convenção.

Dizer que estamos comemorando nesse 25 de dezembro o nascimento de Jesus é, diante de nossa formação cultural, um fato. O fato não é de Jesus ter nascido em dezembro mas de comemorarmos em dezembro o seu nascimento. Não vejo como proselitismo religioso.
Willian Papp disse…
A Universidade está errada.
Anônimo disse…
o ateísmo ta ficando cheio de infantilóides. Foi-se o tempo em que nele havia pessoas mais sérias.


ah, nostalgia...
Anônimo disse…
Sendo proselitismo ou não, é uma expressão religiosa ao credo cristão, ou seja, é modalidade de confissão religiosa, o que se opõe ao Estado laico.

É inexoravelmente inconstitucional!
Demiurgo disse…
O fato de eu ter chegado à conclusão de que pessoas com alma estão mais próximas da divindade que pessoas sem alma, não se caracteriza como desprezo.
O fato de eu reconhecer que as centelhas de minha imaginação podem ser amplificadas a ponto de queimarem todo o Universo não me faz santo nem é uma forma de auto-afirmação.
O fato de eu não saber como fazer os descrentes enxergarem além das cortinas de luz e sombra, não faz de mim um ignorante.
O fato de eu saber que meu destino é a Vida Eterna e o dos descrentes é a Morte, não faz de mim um preconceituoso.
Esses são fatos ou, como queiram, crenças que não vão interferir em suas vidas. De fato, eu não sinto vontade de exortá-los à salvação, pois creio que salvá-los seria um desperdício; não sinto vontade de lhes falar das maravilhas dos céus, pois seria como jogar pérolas aos porcos; não lhes faço citações bíblicas, nem lhes concedo as palavras e pensamentos dos santos, pois a semente deve ser jogada em terra fértil e não no esterco; contenho-me para não lhes conceder sabedoria alguma, pois saber a verdade não é sua função.
Não obstante tudo isto, vou sempre velar por sua existência, para que as crianças saibam do que se afastar; para que os mais pobres saibam quem é o verdadeiro inimigo; para que os anjos saibam a quem punir; para que os demônios tenham a quem imitar.
Anônimo disse…
_Pessoas preconceituosas e dadas a grandes alardes, são as primeiras a se sentirem incomodadas com as palavras; na verdade, são substantivos que deveriam fazer parte da vida das pessoas mas..., ao invés disso, estão causando desconforto e repulsa.

Crença no criador deveria fazer parte da vida de todas as pessoas? E os que não acreditam? Afirmar isso é intolerância religiosa!

Ademais, viola a Constituição e isso incomoda qualquer pessoa esclarecida e de boa fé.

_O que causa tanto transtorno na mente das pessoas amordaçadas pelo ceticismo, é apenas..., uma frase e todos sabemos qual é: isto posto em relação ao contexto apresentado.

Na verdade, essa “uma frase” invoca todo o seu sentimentalismo cristão, em detrimento de todas as outras crenças e descrenças. Por isso, o Estado deve ser neutro; não tomar partido em matéria religiosa. Sendo laico o Estado, essa “uma frase” não pode ser exibida por ele. Você pode exibir na sua casa; o Estado não.
Anônimo disse…
Xurupita de lá peteca
Dileto participante!

_Você é livre para pensar da forma que quiser; tenho porém, a nítida visão de que age de maneira idêntica aos demais uma vez que lê só o que te interessa e sai atirando para todos os lados; se alguma vez, deu-se ao trabalho de prestar atenção ao que escreve Salamandra Gouvêa, deve ter percebido que jamais escrevi algo que tivesse o firme propósito de converter quem quer que fosse, ao cristianismo assim como nunca citei nome de igreja alguma nas postagens que fiz. Caso tenha havido (des)entendimento de sua parte..., sinto muito, muito mesmo!
_Além do mais, a frase que fala acerca de uma crença no criador..., não devia causar tanta repulsa e constrangimento, ainda mais para um grupo formado por pessoas tão cultas e soberbas; um outro fator importante do contexto em discussão é que: a palavra que tanto causa asco, está escrita com inicial minúscula portanto..., não se trata do Deus Vivo! Fiquem absolutamente, tranquilos!
_Alguns creem serem uma evolução do macaco, então..., seu criador pode ser um gorila, talvez o King Kong! Ou talvez se pensar desta forma, dirão: é proselitismo com relação ao gorila! _Francamente!
Anônimo disse…
Caro Demiurgo,

Tudo bem!

Eu gostei mais dessa versão: Gregorian, Amelia Brightman - Join Me.

Deixo o link, abaixo:

http://www.vagalume.com.br/gregorian/join-me.html

Tudo de bom para você, também...

Abraços!!

Welington Gaetho Escola
Anônimo disse…
Primeiro, va estudar evoluçao. Segundo, uma pesquusa rapida no google pelo seu nome mostra que vc se mete em sites nao voltados ao cristianismo para fazer apologia da tv iurd. Poupe-nos desse discursinho sem vergonha, calango.
Anônimo disse…
Pior que crente é ateu conivente
Anônimo disse…
Esse ai tem saudades do tempo que ateu ficava caladinho no armario. Que lindo.
Anônimo disse…
Chora mais crentalhao
Anônimo disse…
afirmar algo sem provas nenhuma não é condizente com uma faculdade é melhor na igreja essas frases.
Corvo disse…
Hahahahahahahahahahaha... Então, meus caros, vocês não se mexem por quê? Oh sim! Ser os defensores do estado laico por um blog é fácil, não? Sinceramente, eu não me importo! Já que vocês são os paladinos do estado laico, mexam-se contra isso e parem de papagaiar nesse blog!
_Primeiro, que você não me dá ordens!
_Segundo, que fez a pesquisa para comprovar, sem querer, acerca do que escrevi: evolução! _Você é uma prova contundente de que ela existe: conseguiu pesquisar! _Já é um grande passo!
_Terceiro, que imaginei que soubesse a diferença entre os termos "converter" e "divulgar": enganei-me...., você é limitado demais para isso!
_Quarto,que não deve se sentir tão importante: não faço discurso, muito menos para você!
_Quinto, lamento por tua imbecilidade que te fez capaz de escrever algo nada criativo, revelando toda a tua pobreza de espírito!

_Até mais, intelectual! kkkkkkkkkkkk
Anônimo disse…
_Você é livre para pensar da forma que quiser; tenho porém, a nítida visão de que age de maneira idêntica aos demais uma vez que lê só o que te interessa e sai atirando para todos os lados; se alguma vez, deu-se ao trabalho de prestar atenção ao que escreve Salamandra Gouvêa, deve ter percebido que jamais escrevi algo que tivesse o firme propósito de converter quem quer que fosse, ao cristianismo assim como nunca citei nome de igreja alguma nas postagens que fiz. Caso tenha havido (des)entendimento de sua parte..., sinto muito, muito mesmo!

Eu sei que sou livre para pensar da maneira que eu quiser, graças à minha liberdade individual que não mais é tolhida por estados tirânicos e/ou que possuem religião no poder!

Agora, vamos a sua frase anterior:

_Pessoas preconceituosas e dadas a grandes alardes, são as primeiras a se sentirem incomodadas com as palavras; na verdade, são substantivos que deveriam fazer parte da vida das pessoas mas..., ao invés disso, estão causando desconforto e repulsa.

Quais seriam esses “substantivos”? No contexto, seriam “felicidade, solidariedade, crença no criador, envolvimento, saúde, paz, compromisso”.

Ou seja: dentre a felicidade, solidariedade, envolvimento, saúde, paz, compromisso, haveria a crença no criador. Se você alega que deveria fazer parte da vida das pessoas, você está envolvendo a crença no criador como “substantivo” necessário as pessoas. E logo após diz que, ao invés disso, estão causando desconforto e repulsa.

A não ser que você tenha um sistema de interpretação de textos diferente do existente na língua portuguesa, você afirma, independentemente da crença ou descrença de qualquer pessoa, que esta deveria ter “crença no criador”. Isso não é ter tolerância com a crença ou descrença alheia, ou seja, é intolerância religiosa.

Quanto a criador, essa palavra remete a um criador divino. E, já sabendo do seu histórico neste blog, sei que é cristão.

Disse, mas não está querendo dizer que disse...

_Além do mais, a frase que fala acerca de uma crença no criador..., não devia causar tanta repulsa e constrangimento, ainda mais para um grupo formado por pessoas tão cultas e soberbas; um outro fator importante do contexto em discussão é que: a palavra que tanto causa asco, está escrita com inicial minúscula portanto..., não se trata do Deus Vivo! Fiquem absolutamente, tranquilos!

A pessoa que não consegue ter discernimento em relação ao que representa a frase onde ela esta, sendo proferida pelo Estado, me desculpe, não pode nem de perto ser considerada uma pessoa culta ou soberba. Ou é ignorante, ou age de má-fé.

Ademais, não é constrangimento e repulsa em relação à frase, ou como ela está escrita. Esse seu argumento é falácia do espantalho: está alegando marotamente uma coisa que não tem nada a ver com a outra, dissimulando o protesto pelo respeito à laicidade do Estado vigente no Brasil.

Quanto ao criador ser em letra minúscula, nada tem a ver com deus vivo ou morto: sendo figura mitológica num sistema religioso, a letra maiúscula vai depender da crença da pessoa. Se fosse por “vivo” ou “morto”, iria ser uma situação, no mínimo, cômica: todos que morressem poderiam ser grafados com inicial minúscula, pois, afinal, estão mortos! *risos*

_Alguns creem serem uma evolução do macaco, então..., seu criador pode ser um gorila, talvez o King Kong! Ou talvez se pensar desta forma, dirão: é proselitismo com relação ao gorila! _Francamente

Se aqui você se refere a teoria científica da evolução, sua frase inteira demonstra total desconhecimento sobre esta – além do uso equivocado do termo proselitismo. Agora, se for alguma crença não científica que a pessoa realmente acredita que seus ascendentes eram macacos, daí pode ser considerada uma religião, assim como demonstra o enorme déficit na educação básica do brasileiro – quiçá pelo atraso proposto pelo criacionismo. Neste caso, a corrupção do Estado para beneficiar crenças religiosas (interesse privado) é um dos causadores da ineficiência educacional brasileira.
_Bravo!!!! _Só falta mandar o livro para a gráfica!
_Diante de todas as falas, "altamente pertinentes" que escreveu, só tenho a te dizer o seguinte: da mesma forma que afirma que Salamandra Gouvêa age de má fé/é ignorante..., a mesma coisa tenho a dizer de sua pessoa pois, é incapaz de entender as entrelinhas! _Lamentável!
_A tua ironia não me surpreende, é típico!
_Não é porque as pessoas não entendem ou não querem entender, que vou me calar! _Isso..., jamais!

_Tchau, bacana!
Anônimo disse…
E desde quando crente de qualquer nível educacional entende algo sobre T.E, tem ai um exemplo latente disso. Que vergonha crentes que vergonha..
Anônimo disse…
Com certeza seus blog de crente deve viver cheios de ateus querendo evangelizalos e todo dia um grupo de ateu vai bater na sua porta tentando te convencer sobre a não existência de deuses..tsc ..tsc.. É vocês crente que vive com a cara atolada aonde tem assuntos de nossos interesses e pior que ninguém chamou vocês .

São vocês que vem por uma necessidade morbida de auto se afirmar, porque para nós nada do que vocês dizem não significa verdadeiramente nada, mesmo porque vocês não dizem absolutamente nada.
Anônimo disse…
Não alimentem o Pappa dos Trolls.
22 de dezembro de 2012 22:04 disse…
Retiro o que eu disse sobre o Demiurgo.

"para que as crianças saibam do que se afastar; para que os mais pobres saibam quem é o verdadeiro inimigo; para que os anjos saibam a quem punir; para que os demônios tenham a quem imitar."

A minha conclusão é de que crentes são verdadeiras víboras, todos eles, sem exceção.
Anônimo disse…
Pappa detected.
Anônimo disse…
Universidade pública colocando cartaz desejando que as pessoas tenham "crença no criador" não é proselitismo religioso? Não é inconstitucional? Não fere a laicidade do estado?

Só pode ser troll mesmo, pois não tem outra explicação pra uma sandice dessa.
Anônimo disse…
A faculdade não apenas está afirmando a existência de um "criador", como está desejando que as pessoas tenham "crença" em tal divindade. E se trata de um órgão público fazendo isso.
Anônimo disse…
Eu estou me mexendo enquanto vc fica aí dando uma de gostoso criticando quem se preocupa com afrontas ao laicismo e falando dos outros sem saber. Vai lavar umas roupas, projeto de crentalhão.
Anônimo disse…
Lindo discurso, Demiurgo, de dar inveja a nazista, eugênicos e aos mais tacanhos ideologistas inquisitores.
Infelizmente, pra vc, nao há uma prova sequer de qualquer uma das suas singelas alegações.
Todos nós temos o impulso de nos sentir especiais, muitas vezes às custas de diminuir os outros. Crianças fazem isso o tempo todo. No entanto, algumas crescem dissimuladas e desenvolvem ideias venenosas como as suas.
Não obstante tudo isto, vou sempre velar por que gente como você tenha o que merece: tratamento psiquiatrico gratuito.
Feliz natal, monte de esterco.
Anônimo disse…
_Diante de todas as falas, "altamente pertinentes" que escreveu, só tenho a te dizer o seguinte: da mesma forma que afirma que Salamandra Gouvêa age de má fé/é ignorante..., a mesma coisa tenho a dizer de sua pessoa pois, é incapaz de entender as entrelinhas! _Lamentável!

Ao contrário, eu entendo tudo o que você escreve! Sei, inclusive, dessa sua intenção de usar as “entrelinhas” para justificar o injustificável. Afinal, desde a sua primeira linha você está defendendo claramente a ofensa a laicidade, querendo que o questionamento sobre a frase lá figurando em uma universidade federal fosse um tabu, e, de quebra, está demonstrando sua intolerância religiosa.

O que me surpreende da cidadã que se refere a si na terceira pessoa é a incapacidade de entender até mesmo o que está escrevendo. Entender o que os outros escrevem, então, pior ainda!

Eu só posso estar falando que você age de má-fé ou ignorância se você admitir que não possui discernimento sobre o que a frase representa onde ela está. E se você está falando que eu afirmei que você agiu de má-fé ou é ignorante, é porque você previamente admitiu que não possui discernimento sobre o que a frase lá representa! Impressionante como a arapuca lhe serviu direitinho...

_A tua ironia não me surpreende, é típico!

E nem sua postura aqui me surpreende. É mais típico do que você imagina...

_Não é porque as pessoas não entendem ou não querem entender, que vou me calar! _Isso..., jamais!

Como eu disse, graças as liberdades individuais você possui esse direito, ao contrário dos estados tirânicos e religiosos. Em estados que confessam religião, por exemplo, essa sua liberdade poderia ser tolhida, em nome dos interesses do clero. Esse é um dos motivos que o Estado não pode confessar uma religião, tal como fez ao escrever “crença no criador” no outdoor (e que você defende).

Quanto a te entender, creio que a maioria lhe entende melhor do que você mesma. Pois você consegue ser totalmente incoerente em poucas linhas! E, ainda por cima, parece ser perita em cair em arapucas... *risos*

P.S. E enquanto você continuar escrevendo coisas assim, irei continuar comentando suas “entrelinhas”...
Anônimo disse…
"Não, não é."

Posso lhe citar diversas doutrinas de direito constitucional que irão embasar minha afirmação que é inexoravelmente inconstitucional. Falo isso não por achismo...
Corvo disse…
Oh! Ateu sapientíssimo! Preservar a laicidade do estado não se dá dessa forma, implicando com pormenores. Nossa cultura está enraizada no cristianismo, você querendo ou não, e esta cultura vai continuar manifestando-se enquanto ela existir. Só há um modo de mudar esse quadro, mudando a nossa cultura. E como mudar a nossa cultura? "Simplesmente" devemos mudar nossa educação!
Corvo disse…
Você disse que está se mexendo, faz o que? Comenta em blogs?
Willian Papp disse…
Anônimo24 de dezembro de 2012 10:52

Estava falando do DETRAN do RJ. Preste atenção.
Willian Papp disse…
Anônimo24 de dezembro de 2012 14:22

Estamos falando sobre o DETRAN do RJ, não é?

Em relação a Universidade está errado. Em relação ao DETRAN do RJ a história é outra. Não confundam as coisas.
Anônimo disse…
RJ é terra de ninguém, onde todos fazem o que bem entendem, independente das leis. Prova disso é essa atitude do DETRAN-RJ, insinuando que todos os usuários celebram uma crença (descrita em letras garrafais, diga-se de passagem).

Por isso que o estado do RJ está um caos, pois as ilegalidades partem justamente dos órgãos governamentais e vão se ramificando entre a população.

Acho que não tem mais volta. Infelizmente tudo demonstra que este estado é um caso perdido, irremediavelmente.
Anônimo disse…
Em relação a Universidade está errado. Em relação ao DETRAN do RJ a história é outra. Não confundam as coisas.

Eu estava falando da Universidade, mas em relação ao Detran/RJ, a inconstitucionalidade continua a mesma. Nem entrando na polêmica de Jesus ter existido ou não, mas a questão que cristo remete a religião que acredita nele nessa qualidade, ou seja, o cristianismo.

É, portanto, uma mensagem religiosa, proferida por um órgão estatal, com confissão religiosa cristã, e sim, neste caso, proselitismo!
Anônimo disse…
Independente de ser proselitismo ou não, pois só o fato de um órgão público estatal manifestar crença religiosa já é algo inconstitucional.
Anônimo disse…
Esse Corvo é míope.
É por ateus e "secularistas" feito ele, que não se preocupam e não "implicam" com "pormenores", é que a nossa cultura se mantém como sempre foi, submissa ao nefasto cristianismo.
Anônimo disse…

"Pior que crente é ateu conivente."
[2]
Corvo disse…
Anônimo25 de dezembro de 2012 03:37

- Bem, dessa forma, vocês conseguirão acabar com o cristianismo em cinco dias!

E míope são vocês, já que não conseguem enxergar a raiz do problema!
Anônimo disse…
"Acho que não tem mais volta. Infelizmente tudo demonstra que este estado é um caso perdido, irremediavelmente."

Surfista do tietê detected.
Anônimo disse…
Se depender de imbecis como esse urubu que fazem nada e só sabem criticar quem faz, esse país ficará entregue aos crentalhões mesmo.

"Pior que crente é ateu conivente." [3]
paulo de tarso disse…
anonimo pare de xingar a salamandra,seu covarde.
paulo de tarso disse…
esse anonimo é uma pessoa muito pertubada,esse cara ja teve a coragem de xingar a minha esposa e a minha filha,basta não compartilhar da mesma opinião que a dele.até mesmo quem é ateu ele desrespeita,voce anonimo é muito homem em blogs duvido que cara cara voce seja assim.
Willian Papp disse…
De novo, senhores: a mensagem do site do DETRAN do RJ não faz proselitismo religioso. Faria se dissesse que só Jesus salva, que Jesus é Deus, que devemos nos converter ao Cristianismo, que Jesus é a verdade, o caminho e a luz e que ninguém vai ao Pai senão por ele etc.

Dizer que o Natal é a época em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo não é proselitismo religioso. Dentro da nossa cultura isso é um fato. Afinal, o Natal, tal qual o conhecemos e comemoramos, hoje em dia, é o nascimento de Jesus Cristo. Como eu já disse, Natal significa nascimento. O que nasceu, então? Na época dos romanos era o Sol. Hoje em dia é Jesus.
Anônimo disse…
os atelhos já foram melhores...


ô saudades...
Anônimo disse…
eu me divirto demais. São os revolucionário de internet.

fazem a revolução e outros ativismos enquanto navegam pelo youtube e blogs. Sentados em suas poltronas e filando a geladeira.



patetice de primeira. Isso sem falar que a maioria (molecadinha criada a leite e biscoito) só conhece o ateísmo do richard dawkins, harris, hitchens, etc.


vira homi, pow...




estudar que é bom ninguem quer...
aí depois
Anônimo disse…
melhor calado que falando groselhas...




a nostalgia se refere aos ateus mais espertos. Essa modinha estragou tudo. Antes era quase que instantaneo se detectar inteligencia elevada (ou pelo menos maior que a média) com ateísmo. Hoje a atelhada mal domina a lingua nativa...


Anônimo disse…
De novo, senhores: a mensagem do site do DETRAN do RJ não faz proselitismo religioso. Faria se dissesse que só Jesus salva, que Jesus é Deus, que devemos nos converter ao Cristianismo, que Jesus é a verdade, o caminho e a luz e que ninguém vai ao Pai senão por ele etc.

Diz que Jesus é cristo, ou seja, que ele é o messias! Messias esse que seria o ungido, e, por sua vez, uma das figuras da Trindade. Jesus só é cristo para os cristãos!

Ademais, quem disse que proselitismo significa somente converter?

Michaelis:
proselitismo
pro.se.li.tis.mo
sm (prosélito+ismo) 1 Diligência ou zelo em fazer prosélitos. 2 Conjunto de prosélitos.

prosélito
pro.sé.li.to
sm (gr prosélytos) 1 Pagão que se converteu à religião de Israel. 2 Aquele que se converteu a uma religião diferente da que tinha. 3 Indivíduo que aderiu a uma doutrina, idéia ou sistema. 4 Partidário, sectário.


Ou seja: além do DETRAN/RJ estar afirmando a verdade de que Jesus teria sido o cristo (contrariando os dogmas de outras religiões, e ignorando a descrença dos ateus, agnósticos, deístas e etc.), ele está dentro do conjunto de pessoas que aderem à doutrina cristã. Fora isso, confessa o cristianismo e prega a mensagem do mesmo, violando frontalmente a laicidade.

Dizer que o Natal é a época em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo não é proselitismo religioso. Dentro da nossa cultura isso é um fato. Afinal, o Natal, tal qual o conhecemos e comemoramos, hoje em dia, é o nascimento de Jesus Cristo. Como eu já disse, Natal significa nascimento. O que nasceu, então? Na época dos romanos era o Sol. Hoje em dia é Jesus.

Vivemos dentro de uma sociedade multicultural, então, não pode se afirmar que isso está dentro da nossa cultura. Pode estar dentro da sua cultura, e na cultura dos cristãos, mas não está na cultura de todos os cidadãos – principalmente de crenças, descrenças e sistemas religiosos diferentes do cristianismo. Não vivemos mais no absolutismo cultural, onde pode se afirmar com exatidão o que é cultural e o que não é para as massas. Fora que nem todos comemoram o natal, ou, se comemoram, estão o fazendo para comemorar o nascimento de Jesus. Muitos correlacionam o natal como um festivo tipicamente cristão, mas para outros a conotação é diferente: consumismo. É fato que o natal é religioso, todavia, é fato também que muitos somente o vinculam a figura do papai noel.

E, independentemente de tudo isso, o Estado não pode emitir mensagens religiosas. Como dizem os renomados constitucionalistas lusitanos José Joaquim Gomes Canotilho e Vital Moreira:

Corolários imediatos do princípio da separação são, por um lado, o princípio da não confessionalidade do Estado e, por outro lado, o princípio da liberdade de organização e independência das igrejas e confissões religiosas

O primeiro implica a neutralidade confessional do Estado e proíbe toda e qualquer identificação ou preferência religiosa do Estado, qualquer ingerência religiosa na organização ou governo do Estado ou dos poderes públicos, não podendo estes assumir ou desempenhar quaisquer funções ou encargos religiosos, não sendo legítima a realização oficial de cerimônias ou actos religioso ou a utilização em actos, funções ou locais oficiais de ritos ou símbolos religiosos. O Estado e as autoridades públicas não tem religião e nem tomam partido em matéria religiosa, nem cuidam do cumprimento de deveres religiosos.
” (Constituição da República Portuguesa Anotada, p. 609)
Corvo disse…
Concordo com o amigo acima, se dizem ateus, mas ñ conhecem J.P. Sartre ou Arthur Schopenhauer, apenas leram Dawkins e se dizem os esclarecidos. Ha! Patético! Como disse o amigo acima, são os revolucionários de sofá. E como eu havia dito, continuem assim, dessa forma vc's conseguirão derrubar o cristianismo em três dias.
Corvo disse…
Concordo com o amigo acima, se dizem ateus, mas, com certeza, não conhecem Arthur Schopenhauer ou J.P. Sartre, apenas leram Dawkins e se consideram os ateus esclarecidos. Ha! Patético! E como o amigo disse - " são os revolucionários de sofá". E que continuem assim, como eu disse, vocês derrubarão o cristianismo em três dias!
Anônimo disse…
Antes um ateu de internet que um pseudo-ateuzinho pregador de omissão como vc.
Chora mais, urubu.
Anônimo disse…
Quem fala o que quer ouve o que não quer.
Você é outro imbecil que vem cagar asneiras nesse blog então nao adianta ficar chateadinho não.
Bingo disse…
Vejamos a mensagem confessional do ÓRGÃO PÚBLICO:

"Neste fim de ano, época em que aproveitamos
para comemorar o nascimento de JESUS CRISTO
e parar refletir sobre tudo aquilo que fizemos em 2012,
o DETRAN-RJ agradece a você que compreendeu a importância da segurança
do trânsito na vida de todos.

O DETRAN-RJ deseja a você e a toda sua família
um Natal de amor e paz, e um Ano Novo de
fraternidade, alegria e respeito às normas de trânsito."


No primeiro parágrafo, o órgão se declara confessional ([nós, o DETRAN-RJ] aproveitamos para comemorar o nascimento...), em seguida, dá um destaque no nome JESUS CRISTO (assim, todo em letras maiúsculas), e ao final, manifesta desejo, ou seja, faz proselitismo, para que os usuários e suas respectivas famílias participem do "Natal" (que, de acordo com as própria mensagem, trata-se necessariamente de uma celebração/culto religioso).

Essa mensagem do DETRAN-RJ é tão ou mais abusiva que os crucifixos e bíblias abertas expostos nas repartições públicas! Se isso não é proselitismo estatal, então não sei o que mais poderia ser.

E esse Willian Papp fazendo malabarismos falaciosos pra tentar demonstrar o contrário, só pode estar de sacanagem, não é possível!!! Até a Salamandra (que dispensa apresentações aos leitores do blog) concordou com ele, o que, convenhamos, já denota o nível de "coerência" na interpretação esdrúxula que ele fez para tentar camuflar o escancarado proselitismo religioso do DETRAN-RJ.

Francamente, tem que ser muito ingênuo e incauto pra não perceber a má fé e a desonestidade intelectual nas postagens de gente assim.
Anônimo disse…
O Willian Papp está tentando amenizar pro lado do Detran pois ele também trabalha num órgão público que está fazendo ampla divulgação do culto cristão chamado Natal, então a defesa dele não passa de conveniência em causa própria, é ou não é?

Vejamos:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/santo_amaro/
Anônimo disse…
Não dá pra esperar muita honestidade da parte de quem tem rabo preso (emprego) num órgão público.
Anônimo disse…
Tentar desqualificar o modo de militância alheia não o torna militante, muito pelo contrário. Pessoas como esse Corvo, mais atrapalham do que ajudam, ou melhor, ajudam sim, ajudam os teocratas.

Em todos os movimentos sociais há auto-sabotadores desta estirpe, e os 'argumentos' são sempre os mesmos, sempre!

"Pior que crente é ateu conivente." [4]
Anônimo disse…
Ateu 'inteligente' era ficar caladinho e socialmente se passar por cristão.
Gay 'decente' era ficar escondidinho no gueto e socialmente se passar por hétero.
Negro 'respeitoso' era ficar cabisbaixo e reconhecer a autoridade dos brancos.
Mulher 'sábia' era ficar caladinha no fogão e submissa ao marido.

Ah, que saudade da ditadura militar/cristã! Bons tempos aqueles, oh nostalgia...
Anônimo disse…
num seja dramatico
Anônimo disse…
militancia na frente do monitor enquanto toma suquinho gelado e come doritos?



tá me zuando...


"- genivaldo, desliga esse computador e vai dormir, já são 20:00, moleque!!!

- já vou mãe, deixa só eu acabar de fazer a revolução aqui. Tem um "crentelho" mega-burro que não conhece Dawkins e os fundamentos do ateísmo. vou acabar com a raça dele!! Pronto! Humpf!!!
"




vira homi...
Willian Papp disse…
Anônimo25 de dezembro de 2012 18:20

Diz que Jesus é cristo, ou seja, que ele é o messias! Messias esse que seria o ungido, e, por sua vez, uma das figuras da Trindade. Jesus só é cristo para os cristãos!

Isso é óbvio. Não há outro Jesus para os cristãos que não seja o Cristo. O nome “Jesus” é irrelevante, mesmo porque, Jesus é um nome latinizado. O Cristo não se chamava Jesus. Os judeus do século I não falavam português ou latim. O importante é, justamente, ele ser o Cristo, o ungido, o messias. Ora, se estamos falando do Natal é óbvio que estamos falando sobre nascimento. No início, os romanos comemoravam o nascimento do Sol, o Sol invencível, o Sol que vencia as trevas e trazia a luz. Com a cristianização do império romano o Sol foi substituído por Jesus o Cristo. Uma troca óbvia, afinal, para os adeptos daquela nova religião, Cristo era aquele que veio trazer a luz, não uma luz física, mas, sim, uma luz espiritual. Uma luz que alivia o sofrimento dos injustiçados e dos excluídos. O cristianismo já era forte, justamente por ser uma religião dos injustiçados e excluídos (e convenhamos que injustiçados e excluídos sempre foram abundantes no mundo), quando Roma resolveu adotá-lo. O Natal é, portanto, uma festividade cristã. Uma festividade cristã que faz parte da cultura ocidental à qual, nós, brasileiros, estamos inseridos.

Ou seja: além do DETRAN/RJ estar afirmando a verdade de que Jesus teria sido o cristo (contrariando os dogmas de outras religiões, e ignorando a descrença dos ateus, agnósticos, deístas e etc.), ele está dentro do conjunto de pessoas que aderem à doutrina cristã.

O DETRAN do RJ está afirmando que o Natal é o quando se comemora o nascimento de Jesus. Qual Jesus? O Jesus que namorou a Madona? Claro que só pode ser, por uma questão óbvia, o Cristo. Afirmar isso não contraria o dogma de nenhuma religião. E sabe por quê? Porque cada religião tem os seus dogmas próprios. Jesus é o Cristo, o ungido, o messias para os cristãos. Não o é para os judeus, para os muçulmanos, para os xintoístas. Entretanto, o Natal não é uma festividade judaica, ou muçulmana, ou xintoísta. O Natal é uma festividade (adivinhe) CRISTÃ. Cristã, dos cristãos, de Cristo.

Vivemos dentro de uma sociedade multicultural, então, não pode se afirmar que isso está dentro da nossa cultura. Pode estar dentro da sua cultura, e na cultura dos cristãos, mas não está na cultura de todos os cidadãos.

Nonsense. O DETRAN do RJ está no Brasil. Estamos falando, portanto, de Brasil, de cultura brasileira. Existem os conjuntos da cultura cristã, da cultura judaica, da cultura islâmica, da cultura afro, da cultura budista, da cultura secular etc. Todos eles coexistindo dentro de um território: o território brasileiro. E todos esses conjuntos estão contidos dentro de um conjunto maior chamado cultura brasileira. Já que estamos numa sociedade multicultural, ou seja, de múltiplas culturas, de culturas diferentes coexistindo dentro de um mesmo território, como você pode afirmar que a cultura cristã não faz parte da nossa cultura? Se você é brasileiro a cultura cristã faz parte da sua cultura. Afirmar o contrário, tendo em vista ao já exposto, é uma falha lógica grave.

E, independentemente de tudo isso, o Estado não pode emitir mensagens religiosas.

O DETRAN do RJ não o fez.

Para finalizar, resta dizer o seguinte: o uso dos vocábulos “Jesus”, “Cristo”, “Natal”, “messias”, “Deus” nem sempre configura proselitismo religioso. Para haver proselitismo religioso é necessário haver a intenção da catequese, da doutrinação. Afirmar fatos culturais como “no Natal comemora-se o nascimento de Jesus Cristo” não configura proselitismo religioso. Seria o mesmo que dizer que um site de notícias que esteja cobrindo o Hajj, ou seja, a peregrinação dos muçulmanos a Meca esteja fazendo proselitismo religioso. Natal é uma festa cristã que faz parte da nossa cultura ocidental e brasileira. Manifestações culturais e religiosas são liberdades asseguradas em lei. Laicidade não se confunde com antirreligiosidade.
Willian Papp disse…
Não dá para esperar honestidade alguma de pessoas que se escondem no anonimato e, ao invés de se manterem no foco do debate, talvez, por incapacidade intelectual ou, quem sabe, desonestidade intelectual (eu aposto na primeira opção dado o baixo nível da linguagem apresentada e da dificuldade de interpretar textos simples por parte destes), acabam por desvirtuá-lo. Desviam a atenção do tema debatido para o debatedor, atacando-o. Quando faltam argumentos sobram ofensas. Esperar o que de pessoas que não possuem, nem sequer, coragem para mostrar a cara.
Corvo disse…
>>"Tentar desqualificar o modo de militância alheia não o torna militante..."

-Acho que o sapientíssimo não entendeu! Eu não sou ateu militante, longe disso. Gosto de ficar quieto em meu canto, e caso toquem nesse assunto, assumo minha cosmovisão e minhas opiniões sem problema algum. Não gosto da ICAR tão pouco das igrejas Neopentecostais, minhas criticas à elas não caberiam em uma biblioteca. E como eu disse, isso é um pormenor, comparado à nossa cultura. Brigar por isso é apenas quebrar o galho de uma árvore, não vai resolver em nada!

Caso queria fazer algo para o nosso estado, algo digno, lute pela melhoria de nossa educação, não só pela melhoria, mas sim, por uma educação diferente, que faça de nossas crianças seres pensantes, e modifique toda nossa base cultural. Caso contrário, você continuará a implicar com detalhes.

Anônimo disse…
Mimimi, não vou responder diretamente os argumentos por que é de um anônimo que não mostra a cara... mimimi, não vou responder diretamente os argumentos por que fez comentário pessoal a meu respeito, mesmo estando perfeitamente dentro do contexto do debate, uma vez que estou utilizando o meu perfil público cujas informações estão à disposição de todos, e constantemente o utilizo para dar "embasamento moral" às minhas posições (tanto que eu vivo criticando quem não se expõe dessa forma como eu faço). Mimimi aproveito o gancho desviante do foco deixado por algum comentarista pra poder fazer malabarismos falaciosos e fazer parecer que tenho alguma razão...
Anônimo disse…
Enquanto debatedor, demonstra merecer tanto respeito quanto a Salamandra, o Filho de Abraão e essa turminha de trolls que se utiliza de falácias pra defender seus posicionamentos esdrúxulos contra o resguardo da laicidade do estado! Quanta ardilosidade, desonestidade... quanta sujeira!
Willian Papp disse…
Anônimo26 de dezembro de 2012 13:07

Mimimi, não vou responder diretamente os argumentos por que é de um anônimo que não mostra a cara...

Se você se direciona a mim devo sugerir que você leia com atenção os comentários dessa postagem. Asseguro-lhe que você encontrará comentários meus muito bem elaborados, racionais, lógicos e baseados em evidências. Quando o comentário do debatedor adversário possui argumentos eu respondo; quando possui apenas merda eu prefiro me abster.

Quanta ardilosidade, desonestidade... quanta sujeira!

Eu que o diga!!! É difícil encontrar um debatedor anônimo que não se sirva desses expedientes.
Anônimo disse…
Isso é óbvio. Não há outro Jesus para os cristãos que não seja o Cristo. O nome “Jesus” é irrelevante, mesmo porque, Jesus é um nome latinizado. O Cristo não se chamava Jesus. Os judeus do século I não falavam português ou latim.

Nem judeus, nem cristãos, nem mulçumanos, nem ninguém falava português naquela época. A língua portuguesa veio ser adotada quase um milênio depois. Isso sim é irrelevante...

E Jesus é nome próprio. Cristo é adjetivo (para os cristãos, é também cognome ou agnome)!

O DETRAN do RJ está afirmando que o Natal é o quando se comemora o nascimento de Jesus. Qual Jesus? O Jesus que namorou a Madona? Claro que só pode ser, por uma questão óbvia, o Cristo. Afirmar isso não contraria o dogma de nenhuma religião. E sabe por quê? Porque cada religião tem os seus dogmas próprios. Jesus é o Cristo, o ungido, o messias para os cristãos. Não o é para os judeus, para os muçulmanos, para os xintoístas. Entretanto, o Natal não é uma festividade judaica, ou muçulmana, ou xintoísta. O Natal é uma festividade (adivinhe) CRISTÃ. Cristã, dos cristãos, de Cristo.

E aqui você acaba de admitir que o Estado está escrevendo uma mensagem... CRISTÃ!

Nonsense. O DETRAN do RJ está no Brasil. Estamos falando, portanto, de Brasil, de cultura brasileira. Existem os conjuntos da cultura cristã, da cultura judaica, da cultura islâmica, da cultura afro, da cultura budista, da cultura secular etc. Todos eles coexistindo dentro de um território: o território brasileiro. E todos esses conjuntos estão contidos dentro de um conjunto maior chamado cultura brasileira. Já que estamos numa sociedade multicultural, ou seja, de múltiplas culturas, de culturas diferentes coexistindo dentro de um mesmo território, como você pode afirmar que a cultura cristã não faz parte da nossa cultura? Se você é brasileiro a cultura cristã faz parte da sua cultura. Afirmar o contrário, tendo em vista ao já exposto, é uma falha lógica grave.

Você não leu corretamente o que escrevi. Eu disse que não faz parte da cultura de todos, mas sim dos cristãos e daqueles que se veem adeptos da cultura cristã. Entenda: tal como o natal foi transformado para uma festividade cristã pela Igreja Católica Apostólica Romana, ela pode ser transformada para muitos para uma festividade diversa, sem conotação religiosa ou conotação religiosa diversa. Ou pode – como é – ser totalmente ignorada (no sentido de não fazer parte do calendário religioso), pois não faz parte da formação da personalidade de determinadas pessoas – esta, por sua vez, uma das definições da cultura.

É tanto assim que você sabe por que os testemunhas de jeová não comemoram o natal? Sabe por que os judeus comemoram o chanucá e não o natal? Porque mulçumanos nada fazem no natal? Porque uma parcela de ateus e agnósticos não comemoram o natal, ou tão somente o utilizam como feriado para troca presentes (práxis consumista)? É porque a cultura cristã não faz parte da cultura deles, ou, se comemorado o natal, não é o natal cristão, que diga, o nascimento do Jesus cristo que você alega.

Entenda que essa “falha lógica grave” que você atribui a mim nada mais é a sua incapacidade de compreender que determinadas culturas não estão inseridas em outras culturas, até mesmo por serem conflitantes ao sentimento e ao gosto de determinadas personalidades. Você confunde claramente o convívio de diversas culturas em um território (melhor seria dizer em uma sociedade) como uma grande cultura: a brasileira. Isso que você está alegando é uma tentativa de hegemonizar uma cultura, transformando-a simplesmente numa “cultura brasileira”, onde o natal deve ser cultura de todos e ponto final, sendo nada mais do que uma adaptação moderna do absolutismo cultural. Isso que é ser sem noção! Não à toa existe a antropologia cultural estudando as diversas culturas em diversos agrupamentos sociais dentro ou fora de um território.
Anônimo disse…
O DETRAN do RJ não o fez.

Só porque você não quer reconhecer! É claro que fez. Começando ao se referir a Jesus como cristo! Não se referiu como Jesus de Nazaré, ou simplesmente Jesus; se referiu a Jesus como o messias, como aquele que cumpriu todas as profecias messiânicas, que era o consagrado filho de deus. Outrossim, o site fala em comemoração do nascimento de Jesus cristo, deste Jesus dos cristãos, da maneira que os cristãos acreditam. Isso em detrimento, por exemplo, dos testemunhas de jeová, que não creem no nascimento de Jesus nesta data; também dos judeus, que não creem em Jesus como cristo; posto como de muitas pessoas que nem acreditam – ou são céticos sobre – ter existido Jesus, ou, se existido, nada foi como o Jesus cristão!

Ademais, você mesmo reconhece que o natal é uma festividade cristã. O DETRAN/RJ emite uma mensagem de comemoração do natal cristão, referindo-se a Jesus cristo dos cristãos (redundância necessária depois de tudo o que já lhe foi explicado), uma questão puramente religiosa, cujo Estado não pode tomar partido (vide explicação dos dois dos maiores estudiosos de direitos constitucionais do mundo que colacionei), e, assim, aderindo a um grupo de prosélitos... e ainda consegue afirmar que isso não é mensagem religiosa?

A inconstitucionalidade é clara! Até se considerasse cultura – que é só para os cristãos –, essa mensagem não teria espaço para ser dita, visto que contraria princípios constitucionais!

Para finalizar, resta dizer o seguinte: o uso dos vocábulos “Jesus”, “Cristo”, “Natal”, “messias”, “Deus” nem sempre configura proselitismo religioso. Para haver proselitismo religioso é necessário haver a intenção da catequese, da doutrinação. Afirmar fatos culturais como “no Natal comemora-se o nascimento de Jesus Cristo” não configura proselitismo religioso. Seria o mesmo que dizer que um site de notícias que esteja cobrindo o Hajj, ou seja, a peregrinação dos muçulmanos a Meca esteja fazendo proselitismo religioso. Natal é uma festa cristã que faz parte da nossa cultura ocidental e brasileira. Manifestações culturais e religiosas são liberdades asseguradas em lei. Laicidade não se confunde com antirreligiosidade.

Quem disse que é necessário a intenção de catequese, da doutrinação? Colacionei o significado de proselitismo mais acima, onde também é o conjunto de pessoas que aderem a uma doutrina, ideia e sistema. Ao afirmar cristo a Jesus, adere-se a doutrina cristã, tornando o Estado prosélito.

Natal não faz parte da cultura de todos os brasileiros, e menos ainda de todos os ocidentais. Isso sim é fato!

E mais: Estado não possui liberdade para professar crença religiosa. Não é direito subjetivo do Estado. E ali é o site de um órgão estatal. Caso não saiba, um dos princípios do direito administrativo é a impessoalidade, ou seja, os atos do agente público, em tal função, devem ser pautados no interesse público, e não em interesses pessoais (privados). Ele não pode manifestar sua religião através do site do DETRAN/RJ, pois assim o faz como representante do Estado, e não como pessoa comum. E nem é de interesse público, pois contraria o princípio da laicidade!

Por fim, e falando em falha grave, é gravíssimo erro interpretativo acreditar que o DETRAN/RJ, por ser vedado constitucionalmente de emitir mensagem religiosa – tal como fez – estaria incorrendo em antirreligiosidade. Isso acaba se transformando em argumentum ad terrorem de sua parte. Antirreligiosidade seria se ele estivesse se posicionando contra as religiões, o que NUNCA aconteceria se ele se mantivesse neutro (leia-se, sem essa mensagem religiosa que estamos discutindo). É simples. Essa sua frase final não tem nenhum cabimento nesta discussão!
Anônimo disse…
O uso dos vocábulos “crença”, “criador”, “Deus” nem sempre configura proselitismo religioso. Para haver proselitismo religioso é necessário haver a intenção da catequese, da doutrinação. Afirmar fatos culturais como “crença no criador” não configura proselitismo religioso. Seria o mesmo que dizer que um site de notícias que esteja cobrindo o Hajj, ou seja, a peregrinação dos muçulmanos a Meca esteja fazendo proselitismo religioso. Crença no criador é uma atitude cristã que faz parte da nossa cultura ocidental e brasileira. Manifestações culturais e religiosas são liberdades asseguradas em lei. Laicidade não se confunde com antirreligiosidade.

Logo, a universidade também está correta.
Anônimo disse…
Por acaso, eu já mencionei que esse Corvo é míope?
Vá caçar um milharal pra você, desocupado omisso que só não se omite quando é pra criticar alguém que está fazendo algo, ao contrário de ti que vem aqui apenas pra criticar pormenores. Vá fazer algo de útil pra sociedade, tipo zelar pela laicidade do estado, daí talvez as outras melhorias venham como conseqüência, seu comedor de migalhas!
Anônimo disse…
o ateísmo tá ficando pior que a religião. Haja fanatismo!


e lá vamos nós...
Anônimo disse…
pessoas que se acham divinas: apresento-lhes a psiquiatria e a psicanalise. Tomem vergonha na cara e façam bom proveito.



boa ação do dia... deve ser o "espírito" natalino.
Corvo disse…
Olha só, o sapientíssimo leitor de Dawkins perdeu as estribeiras, típico. Não vim aqui criticar pormenores, vim aqui trocar ideias, e esperava que fosse de forma amistosa, mas a ocasião me fez criticar esse pormenor. Não sou omisso, só não me preocupo com pormenores, até perece que vocês dogmatizaram o ateísmo. Ditando diretrizes, do gênero "defender o estado laico", acho isso simplesmente patético!

Entenda, o ateísmo não dá diretriz alguma, portanto sou livre para agir da forma que eu achar interessante (claro que dentro de um certo conceito de "liberdade"), principalmente no que tange o estado laico, ao qual já dei minha opinião acima, leia-o novamente e descobriremos quem é o míope!

Agora, fazer algo útil para sociedade? Supostamente, você faz o que? Briga em um blog por causa de um Outdoor? Impressionante, a nossa sociedade está salva, todos os problemas (poluição, violência, fome, educação, etc.) estão resolvidos! Brilhante!

Enfim, olhando bem os seus "argumentos", estes demonstram bem o tipo de pessoa que você é, um birrento que, com a falta de argumentos, parte para um vil Ad Hominem, patético e previsível!

Gima disse…
Comemorar o nascimento de um amigo imaginário. Fica difícil, um país em que a maioria ainda acredita em contos de fadas. JC é só um mito nunca existiu que absurdo.
Faithless Crow disse…
É irrelevante tal discussão acima, o cristianismo está fortemente diluído em nossa cultura, e esta continuará a se manifestar enquanto existir, como afirmei mais abaixo. Estado laico, como implicam muitos ateus, nunca, de fato, irá existir, enquanto o cristianismo for nossa cultura predominante. E brigar por coisas ínfimas, como a frase do DETRAN/RJ, não irá alterar em nada esse quadro!
Concordo com William. O que está na página do Detran-RJ não é proselitismo religioso. O Detran-RJ não está promovendo a crença a alguma fé. Goste ou não, o Natal é isso. É um feriado cristão, de celebração do nascimento de Jesus Cristo.
Man, o Natal é feriado nacioonal (em todo o mundo). E goste ou não o significado que ele tem em nossa cultura é esse. Você está tentando enxergar quadrado como círculo. Não é proselitismo religiosos lembrar que é Natal e pedir respeito às leis de trânsito durante essa época de festas. Se você se sente incomodado pela existência de feriados nacionais de cunho religioso (o que é justo), faça campanha é contra isso.
Anônimo disse…
o cristianismo está fortemente diluído em nossa cultura, e esta continuará a se manifestar enquanto existir, como afirmei mais abaixo.

O cristianismo é mais uma das culturas existentes na sociedade. Vivemos numa sociedade multicultural. Absolutismo cultural acabou faz tempo (só vive na cabeça de quem não tem apreço às liberdades democráticas)...

Estado laico, como implicam muitos ateus, nunca, de fato, irá existir, enquanto o cristianismo for nossa cultura predominante.

O cristianismo é cultura predominante para os absolutistas culturais. Por sorte, a laicidade não se baseia em absolutismo cultural. Ao contrário: a laicidade serve como respeito ao multiculturalismo religioso ou naquilo que possa ter influência da religião, resultando como instrumento garantidor das liberdades religiosas, de consciência e de expressão.

Quanto ao fato de “implicam muitos ateus”, a laicidade de longe é só defendida por ateus. Aliás, quem tem o mínimo de contato com aqueles que defendem realmente a laicidade sabem que independe de religião: basta ser esclarecido e comprometido com a república e a democracia.

E brigar por coisas ínfimas, como a frase do DETRAN/RJ, não irá alterar em nada esse quadro!

Não para os conformistas que, na verdade, não estão interessados em fazer nada – quando não o interesse é ser contra a laicidade. Para estes, é só reclamar de alguém que se propõe a fazer algo, pois o silêncio educado (leia-se submissão) é mais cômodo.

Questões como esta são suscitadas em diversos países laicos, tal como EUA, Canadá, Portugal e Alemanha, assim como por muitos escritores. Essas coisas “ínfimas” nada mais são que intromissão das religiões cristãs no Estado.

É irrelevante tal discussão acima

Para quem pouco – ou nada – conhece sobre laicidade, certamente será irrelevante! Nem sabe quais são as motivações que suscitam esse debate...
Anônimo disse…
O que está na página do Detran-RJ não é proselitismo religioso.

Só se você ignorar totalmente o significado de proselitismo e prosélito nos dicionários – e já posto aqui.

Detran-RJ não está promovendo a crença a alguma fé. Goste ou não, o Natal é isso. É um feriado cristão, de celebração do nascimento de Jesus Cristo.

Impressionante a gigante contradição na mesma frase. “Não está promovendo a crença a alguma fé” e, logo em seguida, “é um feriado cristão, de celebração do nascimento do Jesus cristo”. Além de ignorar o fato de Jesus ser cristo tão somente na crença dos cristãos (que já foi demonstrado ad nauseam aqui), e cristão ser o significado de quem segue determinada religião (cristianismo), consegue simplesmente esquecer o que escreveu na primeira sentença. Se é celebração do nascimento de Jesus cristo, então é celebração religiosa do Jesus da crença dos cristãos, ou seja, promoção da fé cristã!

Francamente...

Man, o Natal é feriado nacioonal (em todo o mundo).

Certamente você não tem a mínima ideia do que está falando! Vai procurar o feriado do natal nos países teocráticos ou confessionais mulçumanos...

Você está tentando enxergar quadrado como círculo.

Não, eu simplesmente estou usando a inteligência para argumentar, e não a paixão – que lhe está fazendo cometer erros gravíssimos sobre religião, geografia, história e etc...

Não é proselitismo religiosos lembrar que é Natal e pedir respeito às leis de trânsito durante essa época de festas

É proselitismo religioso falar em celebração do nascimento de Jesus cristo. Já expliquei isso, também, ad nauseam...

Se você se sente incomodado pela existência de feriados nacionais de cunho religioso (o que é justo), faça campanha é contra isso.

Não sei se você afirmou isso por não ter simplesmente lido o que já foi escrito, ou por total desonestidade intelectual, ou por ignorância, ou por má-fé, ou se foi tudo junto...

A questão não é o feriado: é o Estado emitir mensagem religiosa, o que contraria o princípio da laicidade.