Universidade de Londrina proíbe celebração de missa em sua capela

Pastoral produzia na capela um boletim com logotipo da
 universidade , cujo mailing era usado para a distribuição 
Por recomendação do Ministério Público, a UEL (Universidade Estadual de Londrina) proibiu a celebração na capela de seu campus da missa de ação de graças e qualquer outro tipo de cerimônia religiosa.

O Estado do Paraná gasta cerca de R$ 800 milhões com o orçamento anual da universidade, que tem 20 mil alunos e mais de 5 mil funcionários.

Para o Ministério Público, pelo fato de o Estado ser laico, nenhuma crença religiosa pode fazer uso da estrutura da UEL.

No ano passado, o procurador da República João Akira Omoto instaurou um procedimento administrativo para apurar a denúncia de que uma entidade católica tinha se instalado na capela. Ficou comprovado que ali a pastoral universitária produzia um boletim que era distribuído pelo mailing da universidade, inclusive com papel com o logotipo da instituição.

Marinete Violin, responsável pelos assuntos jurídicos da UEL, afirmou que a Constituição garante a expressão de crenças religiosas, mas reconheceu que o MP está certo. “O Estado é laico”, disse. “Não se pode usar a estrutura e os instrumentos da universidade para fins religiosos.”

A capela era usada para a missa de ação de graças havia dez anos. Agora, dom Albano Cavallin, arcebispo emérito de Londrina, vai ter de celebrá-la na Capela Nossa Senhora Esperança, no Jardim Champanhat.

Dom Cavallin admitiu que a pastoral cometeu “uma falha” ao usar papel com o timbre da universidade, mas disse que a proibição da missa “não tem fundamento jurídico consistente”.

Afirmou que, na missa da capela do Jardim Champanhant, vai falar “o que é estado secular, estado laico e estado ateu”.

Com informação da Rádio Paiquerê AM, de Londrina, e foto de Rodrigo Torrezan.

Bombeiros de Tatuí abolem crucifixo; comando manda recolocá-lo.
novembro de 2010

Comentários

Anônimo disse…
Na Universidade Federal de Ouro Preto, no Campus de Mariana ocorre uma situação semelhante. No local, funcionava até a década de 80 um seminário e em virtude disso, há uma capela. Posteriormente a Arquidiocese doou o terreno para a universidade. Nos últimos 2 anos, creio eu, voltaram a ser celebradas missas nessa capela, contando inclusive com a paralização de alguns serviços desse campus para que os funcionários possam assistir a missa (fora a participação desses mesmos funcionários nos preparativos da missa, tudo em horário de serviço, é claro)...

Esse é o estado laico brasileiro...
rayssa gon disse…
ele vai falar o que é estado laico e o que é estado ateu?

essa daí eu queria assistir de primeira fila.
Anônimo disse…
O MP vai acabar com mamata em todo Brasil.
Camila Zampieri disse…
Enquanto isto a famigerada O.A.B. continua impedindo hum milhão de bacharéis em direito de advogar.Paulo fale alguma coisa por favor.
Anônimo disse…
Eu ainda acho que são pessoas sem fé que são contra a igreja, porque ela é contra casamento de homossexuais, aborto, etc. Tais coisas ferem a moral do homem de bem.
Marcos.
Anônimo disse…
Liberdade vigiada para quem não sabe ser livre.
Anônimo disse…
Tah muito certo, certíssimo. Essa história de pastoral da juventude já existia na minha época de universitária, e era falida, um fóssil do que devia ser a ressurreição dos jac,jec,jic,joc,jucs de outrora, no tempo da minha mãe, mais precisamente. Reconhecidamente um antro de burgueses decadentes, tornou-se um mini-escritório de assuntos da renovação carismática para jovens e estudantes. Devia ser uma coisa e tornou-se outra. A proposta era de um centro de discussão de idéias, pensadores, e desvirtuou-se num "grupo de jovens", no melhor estilo padre zezinho, um verdadeiro retrocesso. Essa decisão do MP veio a calhar.
cassey disse…
Camila Zampieri, tenho aligeira impressão que você não passou no exame de ordem. Em um país que faz mais, muito mais mesmo, bacharéis em direito do que precisa, é necessário de fato criar um fator seletor de pessoas que de fato selecione os melhores para trabalhar.
Anônimo disse…
A Igreja se utiliza de espaço, logotipo e funcionários públicos para atuar. O presidente se utiliza de espaço, logotipo, material, financiamento, funcionários e imagem públicos para eleger seus candidatos... isso é Brasil! O Ministério Público tem ainda muito o que fazer!
Quanto ao papel timbrado eu entendo, mas por que univrsidade tem uma capela se ela não pode ser usada por grupos religiosos...