Defensora da legalização do aborto deixa Brasília por causa de ameaças


Tentativas de calar a
professora Débora Diniz
 ocorrem desde abril 

por Congresso em Foco

A professora Débora Diniz, da faculdade de Direito da Universidade de Brasília, teve de deixar a cidade após sofrer pela internet ameaça de morte. Ela é uma das convidadas do STF (Supremo Tribunal Federal) para falar a favor da descriminalização do aborto em audiência pública nos dias 3 e 6 de agosto de 2018.

Ela chegou a seu acuada em um evento por um grupo de indivíduos ainda identificados pela polícia.

A coordenação do Programa de Pós-Graduação em Direito da UnB e a Organização das Nações Unidas divulgaram notas de repúdio.


A reitoria da UnB afirmou que está acompanhando o caso desde o início das ameaças e que o levará para o Conselho de Direitos Humanos da universidade. 

Na semana passada, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios pediu a inclusão da antropóloga no Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos do governo federal dada a gravidade das ameaças feitas a ela.

A ministra Rosa Weber convocou a audiência pública no início de abril de 2018. Ela é relatora da ADPF (Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental) 442, que questiona dois artigos do Código Penal que proíbem a interrupção voluntária da gravidez. 

Para a audiência, Weber convidou  40 expositores, contra e a favor da legalização do aborto.


Cartunista da Mafalda afirma ser favorável à legação do aborto

Uma a cada cinco brasileiras já fez aborto, mostra pesquisa

Não grite 'assassina' à mulher que abortar por causa do zika




Nove relatos de mulheres sobre o estupro que sofreram

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

  1. O curioso é você colocar a imagem de uma bonequinha sendo calada, para defender Débora Diniz, mas apagar meus comentários porque continham a verdade. O grande ídolo de alguns ateus, Neil deGrasse, está sendo acusado de estupro, mas ainda tem texto nesse site cheio de elogios para Neil...

    Vou continuar comentando... O ódio não vencerá...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site