Cura de impotência com hipnose pelo SUS divide opiniões de cariocas


Tratamento não
tem fundamento
científico

O jornal Extra colheu opiniões de populares favoráveis e contrários ao tratamento de impotência sexual com hipnose — um tratamento que recentemente passou a ser oferecido pelo SUS. 

O segurança Paulo Roberto Souza, 57, por exemplo, acha importante haver esse tratamento alternativo, embora esse não seja o caso dele porque tem “sangue bom”.

O estoquista Márcio Silva de Melo, 37, afirmou que, se o SUS está oferecendo, é porque o tratamento deve funcionar.


Mas para o vendedor ambulante Valdir Ferreira, 62, trata-se de uma balela.

“Quem tem impotência sexual tem que ir ao médico e tratar com remédio”, disse.

Ferreira está certo porque não há qualquer evidência científica de que a impotência sexual possa ser curada com hipnose.

Com a prescrição de um remedinho, o SUS pode resolver a maioria dos casos desses pacientes.

Ocorre que o SUS, para fazer média com a turma da “medicina alternativa”, e em detrimento à população, aumentou a oferta de pseudoterapias, porque, além do mais, isso sai mais conta do que adquirir aparelhos de tomografia e contratar técnicos para operá-los, por exemplo.

As piadas que podem ser feitas com o tratamento hipnótico para obtenção de ereção ajudam a atender a ineficácia das pseudoterapias e mostra o quanto é ridícula a oferta pelo SUS de magias.

Com informação do Extra.


SUS desperdiça recursos ao adotar práticas alternativas, diz CFM

‘Medicina alternativa’ coloca o SUS contra a ciência, dizem estudiosas

SUS adota o Reiki, uma pseudociência de cura pelas mãos



É desonesto dizer que terapias estranhas evitam cirurgia, afirma Drauzio Varella

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

Busca neste site